Your SlideShare is downloading. ×
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Doenças Sexualmente Transmissíveis

7,686
views

Published on

Trabalho realizado por: …

Trabalho realizado por:
André nº2
Pedro nº17
Sara Sousa nº19
Vanessa nº21

8ºD
2009/10

Published in: Technology

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
7,686
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
107
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Doenças Sexualmente Transmissíveis
    Professora:Maria João Nogueira
    Trabalho realizado por:
    André Santos nº2
    Pedro Babo nº17
    Sara Sousa nº19
    Vanessa Pais nº21
  • 2. INDÌCE
    .Doenças Sexualmente Transmissíveis:
    Sida ( HIV):
    Comportamentos de risco.
    Prevenção.
    Contagio.
    Casos Diagnosticados.
    Hepatite B:
    O que é a hepatite B?
    Como se transmite a hepatite B?
    Como prevenir ?
    A mãe com hepatite b pode amamentar?
    Quais os sintomas da hepatite b?
    Casos diagnosticados.
  • 3. INTRODUÇÂO
    Com este trabalho , pretende-mos conhecer e dar a conhecer , o que é a sida e a hepatite b , e para termos o devido cuidado.
  • 4. Doenças Sexualmente Transmissíveis
    Sida(HIV)O Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) é um lentivírus da família dos retrovírus. É constituído por moléculas de ácido ribonucleico (ARN), com uma única cadeia e possui envelope formado por proteínas.
  • 5. Os retrovírus infectam predominantemente animais vertebrados. São conhecidos outros retrovírus que provocam síndromes de imunodeficiência adquirida noutras espécies de vertebrados, nomeadamente, o Vírus da Imunodeficiência dos Felinos e o Vírus da Imunodeficiência dos Símios.
    o a partir do Vírus de Imunodeficiência dos Símios encontrado nos chimpanzés da África ocidente
    Segundo as investigações feitas nesta área, o VIH pode ter evoluído, e ter passado aos humanos dessa região e daí para o resto do mundo. Esta é a teoria actualmente aceite para a origem do VIH.
  • 6. Existem dois tipos de vírus da imunodeficiência humana, o VIH-1 e o VIH-2, e tanto um como outro só se reproduzem nos humanos. O VIH-1 é o vírus de imunodeficiência humana mais predominante, enquanto o VIH-2 se transmite com menos facilidade e o período entre a infecção e a doença é mais prolongado.
  • 7. O vírus tem que entrar no sistema sanguíneo para poder multiplicar-se. Ele infecta e multiplica-se dentro dos linfócitos T4, também conhecidos como células CD4, que fazem parte do sistema imunológico. Ao penetrar na célula, o VIH transforma o seu código genético de ARN em ADN, o que é possível através de uma enzima chamada transcriptase reversa, que lhe permite replicar-se e destruir estas células. Para completar o seu ciclo de reprodução, o vírus utiliza ainda outras duas enzimas, a protease e a integrase
  • 8. Sida:(VHI)
    células CD4 são um elemento fundamental do sistema imunológico, porque são estas que informam outras células sobre a necessidade de combater vírus. O VIH destrói as células CD4 e quando a sua contagem baixa, a resposta do organismo torna-se deficiente. O vírus cria, diariamente, dez milhões de novos vírus, destruindo outro tanto de células CD4.
  • 9. Todos os dias o organismo produz quase a mesma quantidade de células CD4 para repor a diferença, mas, a partir de certa altura, não consegue aguentar este ritmo. Se a contagem diminui para menos de 200 unidades por mililitro de sangue, diz-se que o seropositivo passou a ter SIDA. O vírus começa a multiplicar-se assim que entra no sistema sanguíneo da pessoa infectada, mas podem passar algumas semanas até que o organismo comece a produzir anticorpos.
  • 10. Existem, pelo menos, nove subtipos do VIH-1 que são geneticamente diferentes, identificados com as letras de A a J, todos pertencentes ao grupo M. Foram já identificados outros, bastante heterogéneos, pertencentes ao grupo O e ao grupo N.
      Na América do Norte e na Europa predomina o subtipo B;
      Em África a maioria das estirpes isoladas pertencem aos subtipos A, C e D, sendo o subtipo C o mais comum;
      Na Ásia predominam os subtipos C e B e a forma recombinante AE.
  • 11. Comportamentos de risco - sida , hiv
    Toxicodependentes que se injectam e partilham agulhas, seringas e outro material usado na preparação da droga para injecção.
    Pessoas que não praticam sexo seguro, isto é, que não usam preservativos e têm mais do que um parceiro sexual.
    Profissionais de saúde - acidentes com contacto com objectos cortantes contaminados (agulhas) ou com sangue, ou outros líquidos orgânicos, contaminados.
  • 12. Prevenção
    Usar sempre preservativo nas relações sexuais, não partilhar agulhas, seringas, material usado na preparação de drogas injectáveis e objectos cortantes (agulhas de acupunctura, instrumentos para fazer tatuagens e piercings, de cabeleireiro, manicura).
    Além dos preservativos comuns, vendidos em farmácias e supermercados, existem outros, menos vulgares, que podem ser utilizados como protecção durante as mais diversas práticas sexuais.
    É, também, preciso ter atenção à utilização de objectos, uma vez que, se estiverem em contacto com sémen, fluidos vaginais e sangue infectados, podem transmitir o vírus.
     
  • 13. Contágio
    Através de sangue, sémen, fluidos vaginais, leite materno e, provavelmente, dos fluidos pré-ejaculatórios dos seropositivos. O VIH não se transmite pelo ar nem penetra no organismo através da pele, precisando de uma ferida ou de um corte para penetrar no organismo.
    A forma mais perigosa de transmissão é através de uma seringa com sangue contaminado, já que o vírus entra directamente na corrente sanguínea.
  • 14. Sida: Casos Diagnosticados
    1983----------------------------------------------1 Caso
    1984---------------------------------------------4 Casos
    1985-------------------------------------------29 Casos
    1986-------------------------------------------41 Casos
    1987-------------------------------------------81 Casos
    1988-----------------------------------------142 Casos
    1989-----------------------------------------202 Casos
    1990-----------------------------------------261 Casos
    1991-----------------------------------------307 Casos
    1992-----------------------------------------438 Casos
    1993-----------------------------------------568 Casos
    1999-------------------------------------- 1.137 Casos
    2000--------------------------------------1.027 Casos
    2002--------------------------------------1.083 Casos
    2005----------------------------------------778 Casos
    2008----------------------------------------387 Casos
  • 15.
  • 16. Doenças Sexualmente Transmissíveis
  • 17. Doenças Sexualmente Transmissíveis
    HEPATITE B
    O que e a hepatite B?
    A hepatite B, provocada pelo Vírus da Hepatite B (VHB), descoberto em 1965, é a mais perigosa das hepatites e uma das doenças mais frequentes do mundo, estimando-se que existam 350 milhões de portadores crónicos do vírus.
    Contudo a prevenção contra este vírus está ao nosso alcance através da vacina da hepatite B que tem uma eficácia de 95 por cento.
    Existe também a possibilidade de transmissão de mãe para filho. Em Portugal, calcula-se que existam 150 mil portadores crónicos do VHB .
  • 18. Doenças Sexualmente Transmissíveis
    HEPATITE B
    Como se transmite a hepatite B?
    Na maioria dos casos é adquirida pelo contacto sexual e pela toxicodependência, dado que o vírus da hepatite B (VHB) é transmitida pelo contacto de sangue ou de outros fluidos orgânicos, aliás da mesma forma que o Vírus da Imunodeficiência Adquirida. O contacto social não representa qualquer risco de contagio, mesmo com aqueles indivíduos que estão numa fase activa da doença. Nomeadamente a partilha de canetas, de teclados do computador, o aperto de mão, o beijo na face, o abraço ou tomar café. No entanto, deve evitar-se a partilha de instrumentos cortantes, lâminas de barbear, instrumentos de depilação.
  • 19. Doenças Sexualmente Transmissíveis
    HEPATITE B
    • Como prevenir ?
    Evitar o contacto com sangue infectado ou de quem se desconheça o estado de saúde, usar sempre preservativo nas relações sexuais são as principais formas de prevenir o contágio.
    A realização de tatuagens, a colocação de «piercings» e de tratamentos com acupunctura só deve ser feita se os instrumentos utilizados estiverem adequadamente esterilizados.
     
  • 20. Doenças Sexualmente Transmissíveis
    HEPATITE B
    A mãe com hepatite B pode amamentar?
    Pode. Apesar do vírus poder ser encontrado no leite materno, não existe prova de transmissão do vírus através do leite materno. Recomenda-se maior precaução no caso de surgirem gretas nos mamilos, principalmente se houver sangramento.
  • 21. Doenças Sexualmente Transmissíveis
    HEPATITE B
    • Quais os sintomas da hepatite B?
    Em casos raros, em menos de 1% das hepatites B agudas, pode evoluir para a chamada hepatite fulminante, uma situação muito grave, que é fatal em metade dos casos. 95% dos adultos cura espontaneamente sem qualquer tratamento médico.
    No entanto, em idades mais jovens, e nos recém-nascidos, a probabilidade de evolução para portador crónico é de 95%.
  • 22. Doenças Sexualmente Transmissíveis
    HEPATITE B
    Casos diagnosticados:
  • 23. CONCLUSAO
    Acho que conseguimos transmitir o que era a sida e a hepatite b , as suas consequências e como se fica infectado, e também os cuidados a ter.