Your SlideShare is downloading. ×
Catástrofes naturais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Catástrofes naturais

5,117
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
5,117
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
98
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Catástrofes naturais
    Ciências naturais 8º ano
  • 2. Geológicas
    Vulcões
    Sismos
  • 3. Vulcões
    A erupção de um vulcão pode ser um dos fenómenos naturais mais assustadores. Um vulcão é uma abertura ou fenda na crusta terrestre por onde o magma sai do interior da Terra para a superfície . Nalgumas regiões a rocha fundida, designada lava depois de emergir à superfície, escorre lentamente, mas noutras as erupções são explosões violentas que lançam para o ar rocha fundida, fragmentos de pedra ao rubro, cinza incandescente e gases ardentes que podem espalhar-se por quilómetros.
  • 4. Tipos de vulcões
    Os vulcões têm tamanhos e formas diferentes, conforme a viscosidade da lava e a forma das suas chaminés.
    Vulcões escudiformes são cones largos e pouco profundos, constituídos por lava muito fluida que inrrompe facilmente.
    Vulcões fissurais são fendas alongadas na crusta terrestre através das quais irrompe o magma.
    Vulcões compostos têm camadas alternadas de lava e cinza. Os cones podem ser dó de cinza.
    Vulcões pelianos formam-se a partir dos montes de detritos deixados pelo magma ao interromper da chaminé.
  • 5. Rochas piroclásticas
    Quando um vulcão explosivo entra em erupção e rebenta a agulha de magma pegajoso, milhões de fragmentos são lançados à distância. Esses fragmentos chamam-se “piroclásticos”, o que significa “quebrados pelo fogo”.
  • 6. Tefra
    São fragmentos de rocha piroclástica atirados para o ar por uma erupção vulcânica e que ficam depositados nas encostas.
    Bomba vulcânica
    Os fragmentos piroclásticos com um diâmetro superior a 32 mm são chamados bombas piroclásticos. Têm formas características, como as bombas “ côdeas de pão”.
    Lapilli
    Os fragmentos mais pequenos de trefas chamam-se lapilli. Podem ter o aspecto de bocados de espuma, ou fragmentos líticos (de pedra) mais duros.
    Tefra
  • 7. Formações vulcânicas
    A actividade dos vulcões deixa na paisagem uma variedade de formações características que atestam a sua ferocidade e a sua elevada temperatura – umas vezes, são vestígios do fluxo de lava, outras, alterações no relevo da região.
  • 8. Caldeiras
    As caldeiras são crateras no topo dos cones vulcanicos, criadas pelo colapso de um cone durante uma explosão . podem aparecer crateras mais pequenas quando o topo de um vulcão explode com uma erupção.
    Calçadas de gigante
    As extraordiunarias colunas de basalto hexagonais que constituem as calçadas de gigantes são formadas pelo arrefecimento de lava que irrompreu há milhões de anos
    Cones
    A mais caracteristica formação criada por uma erupção vulcanica é uma montanha conica, formada pela lava que saiu pela chaminé e se foi acumulando e cobrindo de cinza. O processo continua a cada nova erupção.
    Caldeira
    Calçadas de gigantes
    Cones
  • 9. Sismos
    Os sismos consistem em abalos da crosta terrestre. São muito frequentes em Portugal mas a maioria não é sentida pelas pessoas. Apesar de não os podermos prever ou impedir tu podes proteger-te. Prepara-te desde já. Segue as nossas recomendações e treina-as com os teus familiares e amigos.
  • 10. Durante o sismo
    Vai para um lugar seguro … Rápido.
    Protege-te:
    . Debaixo de uma mesa pesada ou de uma cama;
    nos cantos das salas ou vãos de portas, ajoelha-te. .Cobre a cara e a cabeça com as mãos.
  • 11. Afasta-te de:
    Vidros;
    Janelas;
    Objectos que possam cair;
    Elevadores e escadas;
    Centro das salas.
  • 12. Na rua
    Vai para um local aberto.
    Afasta-te de:
    . Postes de electricidade;
    . Árvores;
    . Candeeiros;
    . Edifícios e muros.
    . Caso estejas no rés-do-chão, e se a rua for larga (mais larga do que a altura dos prédios), sai rapidamente e vai para o meio da rua.
  • 13. Locais com muitas pessoas
    (ex: cinema e centro comercial)
    Não corras para a saída. Todos têm tendência a correr, o que esta errado porque podem magoar-se.
    Vai para um lugar seguro, rapidamente. Não saias de lá antes do sismo terminar.
  • 14. Após o sismo
    Corta imediatamente o gás, electricidade e água porque pode haver fugas.
    Utiliza a lanterna a pilhas. Não acendas velas, fósforos ou isqueiros. Não ligues nem desligues interruptores.
    Fica afastado de fios eléctricos soltos e não toques nos objectos metálicos que estejam em contacto com eles.
  • 15. Não andes descalço porque podes magoar-te.
    A seguir ao primeiro abalo sísmico pode haver outros abalos de menor intensidade (réplicas).
    Fica atento à queda de objectos e:
    Protege a cabeça e a cara. Usa um casaco, manta ou capacete.
    Afasta-te da praia, margens do rio ou do mar. Pode haver uma onda gigante (tsunami ou maremoto).
  • 16. Nunca uses ELEVADORES sai pelas ESCADAS
    Os sismos dão-se sem aviso, por isso tens de agir com grande rapidez.
    Eles duram poucos segundos, mas podem ser muito assustadores!
    Aprende a proteger-te e tudo será mais fácil.
    Cumpre as recomendações transmitidas pela rádio.
    Contar até 50 em voz alta ajuda-te a ficar calmo.
  • 17. Climáticas
    Inundações
    Ondas de calor
    Vagas de frio
    Incêndios florestais
  • 18. Inundações
    Uma inundação pode ocorrer durante as chuvas intensas, quando os rios alagam as margens, as ondas do mar invadem a terra, a neve derrete rapidamente, os diques ou barragens não têm capacidade para reter a água. A inundação pode ir de alguns centímetros até á altura suficiente para cobrir o telhado de algumas casas e pontes.
    Segue as recomendações que te damos e transmite-as aos teus familiares e amigos.
  • 19. Se houver tempo …
    Se a inundação não for repentina há tempo para te preparares.
    Protege-te !!
  • 20. Ajuda a tua família
    Põe numa mochila, protegido por sacos plásticos:
    Rádio e lanterna a pilhas (com pilhas de reserva);
    Os teus documentos pessoais (ex.: boletim de vacinas e bilhete de identidade);
    Água, alimentos (bolachas, chocolate, etc.) e agasalhos.
  • 21. Leva os teus livros e brinquedos para os pontos mais altos de casa.
    Solta os teus animais domésticos, não os deixes presos.
    Ajuda a preparar uma reserva de água e alimentos para 2 ou 3 dias e a guardá-los nas prateleiras mais altas.
  • 22. Enquanto a inundação dura…
    Fica junto dos adultos porque podes precisar de ajuda.
    Resiste á curiosidade de ires ver o que se passa pelas ruas. Não corras riscos desnecessários.
    Afaste-te das zonas inundadas para não seres arrastado pela corrente.
    Avisa os adultos que é melhor não conduzirem numa zona de inundação. Também os carros podem ser arrastados.
  • 23. Não brinques nem nades nas águas da inundação, pode ser muito perigoso! A água pode esconder buracos, ou outros perigos, e o seu nível subir tão depressa que nem dás por isso!
    Se tiveres mesmo que te deslocar através da água utiliza algo para te ajudar, como um pau, bengala ou chapéu de chuva. Não andes descalço, podes magoar-te.
  • 24. Não fiques perto de cabos de electricidade que estejam caídos no chão. Podes ficar electrocutado.
    A água da inundação pode estar contaminada com substâncias perigosas. Podes ficar doente se a beberes ou se comeres alimentos que estiveram em contacto com ela.
    Procura abrigo num sítio alto. Para pedires socorro usa um pano, a lanterna a pilhas, ou aquilo que tiveres á mão.
  • 25. Evacuação
    Podes ter que sair de casa e ir com a tua família para um lugar mais seguro. Fica tranquilo. Se tal acontecer é para vossa segurança.
    Faz o que a tua família ou os bombeiros te pedirem. Agasalha-te e leva a mochila que preparaste. Regressa a casa só quando te disserem que não há perigo.
    Não ocupes o telefone, excepto em caso de emergência.
  • 26. Ondas de calor
    Uma onda de calor caracteriza-se por temperaturas máximas superiores á média usual para a época, durante um período longo de dias. Sem as devidas precauções pode provocar lesões irreversíveis, devido á desidratação, e, em alguns casos, leva á morte. Qualquer pessoa pode ser susceptível aos efeitos do calor, mas são especialmente vulneráveis as crianças nos primeiros anos de vida, idosos, quem tenha determinadas doenças crónicas (por exemplo respiratórias e circulatórias) e doentes acamados. Também para quem está a seguir uma dieta com restrição a líquidos é aconselhável vigiar atentamente a saúde.
  • 27. Ingestão de líquidos
    Previna a desidratação
    Mesmo que não sinta sede beba com regularidade:
    Água;
    Sumos naturais, que também fazem a recomposição de sais minerais perdidos na sudação.
    Incentive os idosos a beberem, pelo menos, mais um litro de água por dia do que é habitual.
  • 28. Evite bebidas que aumentam a desidratação
    Alcoólicas que, para além da desidratação, são rapidamente absorvidas num organismo desidratado, podendo levar mais facilmente a estados de embriaguez.
    Gaseificadas, com cafeína, ricas em açúcar ou quentes.
    Quem tem epilepsia, doenças cardíacas, renais ou do fígado, ou problemas de retenção de líquidos, deve consultar o médico antes de aumentar o consumo de líquidos.
  • 29. Refeições:
    Faça refeições ligeiras, com pouca gordura e sem condimentos.
    Coma poucas quantidades de cada vez, mas várias vezes ao dia.
  • 30. Vestuário
    Use
    . Roupas leves de algodão
    . Cores claras.
    Evite
    . Fibras sintéticas e lã porque aumentam a transpiração.
    . Cores escuras porque absorvem maior quantidade de calor.
    . Que os vistam de negro ou fibras sintéticas.
  • 31. Em casa
    Durante o dia abra as janelas e mantenha as persianas fechadas para haver circulação de ar.
    Durante a noite abra as janelas para que o ar circule e a casa arrefeça.
    Se tiver o corpo muito quente não tome banho com água demasiado fria. Tome um duche de água tépida.
  • 32. Na rua
    Proteja a cabeça com um chapéu ou lenço.
    Evite estar em pé durante muito tempo, especialmente em filas e ao sol.
    Se for à praia faça-o nas primeiras horas da manhã ou ao fim do dia. Fique à sombra, use chapéu de preferência de abas largas, óculos escuros e protector solar.
  • 33. Exercício físico
    Em ambiente quentes evite actividades que exijam muito esforço físico, nomeadamente alguns desportos.
  • 34. Viajem de automóvel
    Viaje nas horas de menos calor.
    Evite percursos longos.
    Ingira muitos líquidos (de preferência água e sumos naturais).
    Proteja-se do sol. Cubra as janelas do veiculo, com telas apropriadas para não dificultar a condução.
    Não feche totalmente as janelas, a não ser que tenha ar condicionado ligado.
    Redobre os cuidados com bebés, crianças e idosos:
    . Dê-lhes água frequentemente;
    . Mantenha-os arejados;
    . Vista-lhes roupa com as características recomendadas;
    . Se transportar animais domésticos dê-lhes água e não os deixe fechados.
  • 35. Vagas de frio
    Auto-protecção
    Reduções significativas da temperatura, por vezes repentinas, podem afectar a saúde de qualquer pessoa, quer esta se encontre dentro ou fora de casa. Os grupos de maior risco são as crianças, os idosos, doentes crónicos (do foro respiratório ou cardíaco), e os sem abrigo.
  • 36. O frio extremo pode estar associado a queda de neve, ventos fortes e formação de gelo. Ao protegeres-te deves ter em atenção:
    Antes da época de frio:
    Se vives em zonas afectada por frio intenso e prolongado ou que possam ficar isoladas pela neve.
    Faça reserva de:
    Água potável;
    Alimentos ricos em calorias, chocolates, frutos secos.
    Comida enlatada ou embalada que não necessite de confecção ou refrigeração.
    Combustível de uso domestico (ex. Botija de gas a lenha)
    Proceda a calafetagem de portas e janelas.
    Prepare um estojo de emergência com rádio e lanterna a pilhas, pilhas de reserva, material de primeiros socorros e medicamentos essenciais.
  • 37. Durante a época de frio
    Perigos em casa
    Intoxicação por monóxido de carbono – tenha especial cuidado com aquecimentos a lenha. Para evitar a acumulação deste gás venenoso, que pode ser mortal, abra uma janela para a renovação do ar.
    Incêndios – podem ter origem da má utilização de aquecedores eléctricos ou sobrecarga da rede eléctrica devido ao funcionamento simultâneo de vario aparelhos.
    Queimaduras – previna-as e redobre a atenção com crianças e idosos.
  • 38. Quando sair
    Evite manter-se ao frio durante muito tempo, podem causar lesões dolorosas , nos lábios, rosto e mãos.
    Para evitar quedas tente não caminhar sobre gelo ou neve
    Vista varias camadas de roupa, em vez de uma única peça muito quente. Evite as que fazem transpirar e as muito justas, proteja a boca e o nariz para impedir a entrada de ar muito frio nos pulmões e se necessário, use luvas, chapéu e cachecol.
    Opte por calçado apropriado.
    Mantenha-se seco . o corpo arrefece mais rapidamente se estiver molhado ou exposto ao vento .
    Não exerça actividades físicas muito violentas (como tentar desempanar o carro ou limpar a neve) o organismo já esta em esforço para manter a temperatura corporal.
  • 39. Quando viajar de automóveis
    Antes de iniciar a viajem
    faça a revisão do nível de gasolina , luzes e travões.
    coloque um liquido anticongelante no radiador.
    utilize correntes para a neve, se for caso disso.
    diga a alguém o percurso que vai seguir.
    leve um estojo de primeiros socorros, agasalhos, alimentos um pano colorido, e telemóvel.
    Em viagem
    conduza a velocidade reduzida.
    tenha especial cuidado com as zonas mais sombrias, pois é onde se forma mais gelo.
  • 40. Incêndios Florestais
    Auto protecção
    Os incêndios florestais são uma das coisas principais catástrofes em Portugal. Constituem uma fonte de perigo para as pessoas e bens, alem de provocarem danos ambientais graves. As causas são muito variadas, mas muitos ocorrem por descuido humano.
    Siga as medidas de autoprotecção.
  • 41. Se estiver próximo do incêndio:
    ligue 112 ou para os bombeiros da área.
    se não correr perigo tente extingui-lo com pás, enxadas ou ramos.
    não prejudique a acção dos bombeiros e siga as suas intrusões.
    retira as viaturas dos caminhos de acesso ao incêndio.
    se notar a presença de pessoas com comportamentos de risco informe as autoridades.
    Se o incêndio estiver perto da sua casa:
    avise os vizinhos.
    Corte o gás e a electricidade
    molha abundantemente as paredes e os arbustos que rodeiam a casa.
    solte os animais eles sabem tratar de si próprios.
    em caso de evacuação ajude a sair as crianças, idosos e deficientes.
    não perca tempo a recolher objectos pessoais desnecessários.
    não volte atrás por motivo algum.
    Nota: as autoridades só aconselham a evacuação se existir risco de vida.
  • 42. Se ficar cercado por um incêndio. O que fazer?
    saia na direcção contraria a do vento
    refugie-se numa zona com agua ou pouca vegetação.
    cubra a cabeça e o resto do corpo com roupas molhadas.
    respire junto ao chão, através de roupa molhada, para evitar inalar o fumo.
    aguarde a chegada dos bombeiros se não conseguir sair sozinho.
    Nota: Em caso de queimadura passe-a por agua fria. Nunca use gorduras.
  • 43. Depois do incêndio:
    há perigo de reacendimento. Impeça as crianças de brincar no local.
    colabore com as autoridades sempre que lhe solicitarem ajuda nas operações de rescaldo e vigilância.
    se houver evacuação regresse só quando os bombeiros lhe disserem que o pode fazer.
    assegure-se de que a sua casa não está em risco de ruir. Tenha cuidado com fios eléctricos expostos e outros perigos.
    Tenha em casa um rádio a pilhas. Esteja sempre a tento as informações difundidas pela rádio.
  • 44. Trabalho realizado por:
    Célia Vieira – nº 5
    Daniela Sousa – nº 6
    Mafalda Rocha – nº 14
    E.B 2,3 de rio tinto