Your SlideShare is downloading. ×
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Renascimento, Humanismo e Classicismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Renascimento, Humanismo e Classicismo

5,064

Published on

Renascimento, Humanismo e Classicismo

Renascimento, Humanismo e Classicismo

Published in: Art & Photos
2 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • muito obrigado. fiz isto para um trabalho de história há 2 anos. tive a nota máxima :)
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • incrível como ainda hoje os fatos do passado se reproduzem em nossa sociedade . ótimo texto.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
5,064
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
129
Comments
2
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Introdução 0 O século XVI foi marcado pela desintegração do sistema feudal que acompanha um grande surto de desenvolvimento económico, sobretudo nos países da Europa Central. 0 Este desenvolvimento económico foi favorecido pelos Descobrimentos portugueses e castelhanos. Este desenvolvimento vai contribuir para a formação de um novo modo de vida burguês e da sua ideologia. Nasce assim uma nova era: o Renascimento.
  • 2. Renascimento0 O Renascimento apresentou uma viragem decisiva em relação às conceções medievais, opondo-se a conceção antropocêntrica (relacionada com o Humanismo, defende que o Homem é o centro do universo) à conceção teocêntrica da Idade Média (Deus é o centro de tudo). 0 O Renascimento manifesta-se em diversas vertentes da e vai alterar a sociedade do seu tempo a diversos níveis: 0 A religião passa a ser concebida como ligação direta e pessoal do homem com Deus, deixando de ter como intermediário a Igreja;
  • 3. 0 Preconiza-se a livre interpretação dos textos bíblicos e a própria religião assim, dando-se origem à Reforma Protestante, surgindo novas religiões: o anglicanismo, o protestantismo e a religião ortodoxa, todas elas baseadas nos princípios luteranos; 0 O ascetismo medieval é substituído pelas festas, pelos luxos palacianos e pela vida mundana; 0 Ao nível da política formaram-se estados modernos, os privilégios de sangue foram suprimidos, a justiça social passou a ser mais coerente e o sistema feudal caiu em desuso; 0 O teatro autonomiza-se em relação à Igreja, o palácio, construído para o Homem, substitui a catedral, construída para Deus. Na arte passa a ser valorizada a Antiguidade Clássica ou greco-romana: o Classicismo.
  • 4. Humanismo 0 O Humanismo desenvolveu-se paralelamente ao Renascimento e a principal conceção que defendia era a teoria antropocêntrica (o Homem torna-se o centro de todas as preocupações, alcançando um nível de importância superior ao de Deus), como já foi referido. 0 Sendo assim, o Homem é visto como pólo central e são descobertas as suas infinitas capacidades. A cultura humanista vai a pouco e pouco consolidando-se e os seus princípios são largamente difundidos:
  • 5. 0 Preconizar uma educação integral que englobe o corpo, a mente e o espírito e que desenvolva não a memória, mas sim o raciocínio; 0 No âmbito da religião, preconizar o regresso à pureza evangélica e permitir a livre crítica ou exame dos textos sagrados, como por exemplo a Bíblia; 0 Em matéria social, preconizar a escolha dos dirigentes segundo o seu mérito e prestação e não segundo a sua origem étnica ou religiosa. Condenar a guerra e pregar a tolerância religiosa; 0 Fazer “renascer” a arte (daí designarmos esta época como Renascimento, pois os valores morais e sociais, bem como a religião e a arte, renasceram), baseando-a nos modelos greco-latinos.
  • 6. Classicismo 0 O Classicismo corresponde aos principais aspetos das teorias artísticas do Renascimento. De acordo com os princípios humanistas é necessário latinizar a arte considerando assim os modelos artísticos da Antiguidade Clássica a expressão mais alta da arte. 0 As principais conceções artísticas do Classicismo são, nomeadamente: 0 A arte é considerada verdadeira e pura se tiver por base a imitação, ou seja, por exemplo, reproduzir com fidelidade a sociedade ou a natureza, imitando ou servindo-se de inspiração dos modelos artísticos antigos (greco-romanos);
  • 7. 0 A arte verdadeira é equilibrada: um conteúdo rico numa forma perfeita. Este equilíbrio deve refletir um ideal de herói, através do equilíbrio razão/sentimento; 0 A arte é considerada universal, pois os seus princípios são válidos para todos os tempos e para todos os povos; 0 O corpo do Homem e o nu regressam à pintura e escultura, na sua exuberância, grandeza e beleza de formas (pois segundo os humanistas, o Homem é o valor mais alto que se pode imaginar), substituindo as estátuas de santos e outras esculturas religiosas; 0 O canto gregoriano, litúrgico deve substituir as antigas músicas de palácio, que predominavam na Idade Média.
  • 8. O Renascimento em Portugal0 Em Portugal, o século XVI vai ser marcado por duas grandes linhas de força: uma de influência estrangeira (contributos do Renascimento) e outra relacionada com os Descobrimentos e as novas realidades ultramarinas. 0 Os Descobrimentos portugueses irão contribuir para o largo desenvolvimento do espírito científico, da geografia, da cartografia, da astronomia, da biologia, bem como muitas outras áreas do saber. 0 A assimilação do Humanismo e do Classicismo vai ser realizada com o apoio da Coroa, tornando-se o Paço o principal foco de cultura.
  • 9. 0 O Renascimento também se fez sentir do ponto de vista social e económico, assistindo-se progressivamente a uma corrupção generalizada dos costumes. 0 No âmbito da arquitetura também houveram manifestações, contudo sem muita importância, da arte greco-romana. Em vez de se adotar a arte renascentista, em Portugal esta foi substituída pela arte manuelina ou estilo manuelino. 0 Ao nível da literatura houve uma lenta assimilação das doutrinas do classicismo renascentista. Paralelamente, começa a surgir uma literatura de temática marítima: a literatura de viagens, donde se destacam os diários de bordo. É também neste contexto que favorecerá o aparecimento da epopeia portuguesa: Os Lusíadas de Luís de Camões.
  • 10. Bibliografia 0 http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-PT&tab=wi (Google Imagens) 0 Para compreender – Os Lusíadas de Amélia Pinto Pais, Ed. centelha, 1981

×