Parte 4 – Integração entre microeconomia e macroeconomia e implicações sobre as políticas econômicas Construções mais comp...
Capítulo 14 Modelo IS/LM ampliado
Aula Anterior <ul><li>CAPÍTULO  13 – A função oferta de moeda </li></ul>13.1 Estimativas da equação de oferta de moeda no ...
Nesta Aula <ul><li>CAPÍTULO  14 – Modelo IS/LM ampliado </li></ul>14.1 As modificações causadas pelas novas definições das...
<ul><li>Com as  funções consumo, investimento, demanda de moeda e oferta de moeda reformuladas  (fazendo uso do instrument...
<ul><li>c = c[y-t(y), a, CR]  Função Consumo </li></ul><ul><li>i = i(r, y)  Função Investimento </li></ul><ul><li>= m(r, y...
As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA  i+g i(y 1 )+g 0 i+g = s+t s+t ...
As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA  i+g i(y 1 )+g 0 i+g = s+t s+t ...
As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA  i+g i(y 1 )+g 0 i+g = s+t s+t ...
<ul><li>A curva LM implica o equilíbrio no mercado de moeda. Igualando as expressões de oferta e de demanda de moeda, enco...
As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA  Elevando a taxa de juros para ...
As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA  L 1 Se o nível de preços se el...
As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA  <ul><li>Com as modificações da...
As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA  <ul><li>Se o preço subir para ...
As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA  <ul><li>No nível de preço P 0 ...
As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA  <ul><li>A curva de demanda agr...
O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Não foram feitas modificações quanto aos elementos que definem a c...
O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>De acordo com o modelo básico da Síntese Neoclássica: </li></ul><u...
O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>P  </li></ul>Equilíbrio no mercado de trabalho. Função de Produçã...
O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Resumindo, o modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica passa a...
O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g  equilíbrio no mercado de  produto ...
O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g  equilíbrio no mercado de  produto ...
Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Suponha que o pleno emp...
Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>A renda cresceu e é nec...
Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>A renda cresceu e é nec...
Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Quanto tempo leva a pas...
Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>A demanda de trabalho p...
Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>O mecanismo do acelerad...
Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Isto abre a possibilida...
Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Esses efeitos permitem ...
Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>Uma alternativa de modelo macroeconômico é combinar as ...
Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g  equilíbrio no mercado d...
Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>A inclinação negativa da curva de demanda agregada no p...
Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>O raciocínio por traz da curva de oferta agregada do mo...
Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos Em resumo,  no modelo básico da Síntese Neoclássica tem-se:  P ...
Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos  g  r r 1 r 0 y 1 y 0 y S 1 I 1 S 0 M 0 I 0 E F...
Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos  <ul><li>P      diminui o valor real dos ativo...
Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos  <ul><li>Para ser atendida uma demanda maior, oc...
Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos  <ul><li>Há, assim, um aumento de W.  </li></ul>...
Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos  <ul><li>No modelo geral dos novos keynesianos a...
Próxima Aula <ul><li>CAPÍTULO  15 – Modelos macroeconômicos para uma economia aberta </li></ul>15.1 O equilíbrio no mercad...
Referências Bibliográficas <ul><li>BACHA, C.J.C.; LIMA, R.A.S.  Macroeconomia : Teorias e Aplicações à Economia Brasileira...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Cap14 macro

3,219 views
3,105 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,219
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
152
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cap14 macro

  1. 1. Parte 4 – Integração entre microeconomia e macroeconomia e implicações sobre as políticas econômicas Construções mais complexas das funções consumo, investimento, demanda e oferta de moeda, fazendo uso do instrumental microeconômico convencional na definição delas, permitem uma integração entre a microeconomia e a macroeconomia. Verifica-se como o modelo IS/LM se comporta com essas novas funções.
  2. 2. Capítulo 14 Modelo IS/LM ampliado
  3. 3. Aula Anterior <ul><li>CAPÍTULO 13 – A função oferta de moeda </li></ul>13.1 Estimativas da equação de oferta de moeda no Brasil.
  4. 4. Nesta Aula <ul><li>CAPÍTULO 14 – Modelo IS/LM ampliado </li></ul>14.1 As modificações causadas pelas novas definições das funções consumo, investimento e oferta de moeda sobre as curvas IS, LM e de demanda agregada; 14.2 O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica; 14.3 Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos; 14.3.1 Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos.
  5. 5. <ul><li>Com as funções consumo, investimento, demanda de moeda e oferta de moeda reformuladas (fazendo uso do instrumental microeconômico convencional na definição delas), é gerada uma versão ampliada do modelo IS/LM, mas ainda restrita a uma economia fechada. </li></ul>Introdução
  6. 6. <ul><li>c = c[y-t(y), a, CR] Função Consumo </li></ul><ul><li>i = i(r, y) Função Investimento </li></ul><ul><li>= m(r, y)  l(r) + k(y) Demanda de Moeda </li></ul><ul><li>M = M(r, B, rd, R 3 ) Oferta de Moeda </li></ul><ul><li>y = c[y – t(y), a, CR] + i (r, y) + g Curva IS </li></ul>As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA
  7. 7. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA i+g i(y 1 )+g 0 i+g = s+t s+t s(a 0 )+t Para um dado nível de preços P 0 , tem-se o valor real dos ativos líquidos a 0 . y 0 y 1 r 0 r 45º i(y 0 )+g A I 0 S 0 B r 1 Curva IS no modelo ampliado y g
  8. 8. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA i+g i(y 1 )+g 0 i+g = s+t s+t s(a 0 )+t Se o nível de preços subir para P 1 > P 0 , o valor real dos ativos líquidos cai para a 1 < a 0 . y 0 y 1 r 0 r 45º i(y 0 )+g s(a 1 )+t A I 0 S 0 B C I 1 S 1 r 1 r 2 r 3 D Curva IS no modelo ampliado y g
  9. 9. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA i+g i(y 1 )+g 0 i+g = s+t s+t s(a 0 )+t Um aumento de preços desloca a curva IS para a esquerda e para baixo y 0 y 1 r 0 r 45º i(y 0 )+g s(a 1 )+t A I 0 S 0 B C I 1 S 1 r 1 r 2 r 3 D Curva IS no modelo ampliado y g
  10. 10. <ul><li>A curva LM implica o equilíbrio no mercado de moeda. Igualando as expressões de oferta e de demanda de moeda, encontra-se: </li></ul><ul><li>M(r, B, R 3 , rd) = P  m(r,y) </li></ul><ul><li>ou </li></ul><ul><li>Como B, R 3 e rd são definidos pelo Banco Central e, portanto, são variáveis exógenas, é comum usar uma expressão mais simples para a oferta de moeda na qual se tem M(r). </li></ul>As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA
  11. 11. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA Elevando a taxa de juros para r 1 > r 0 . Curva LM no modelo ampliado l(r) Demanda de moeda para transações b’ y y 0 y 1 r 0 r K(y) A M 0 B L 0 r 1 a’ Demanda de moeda para especulação A B
  12. 12. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA L 1 Se o nível de preços se elevar P 1 > P 0 . Curva LM no modelo ampliado l(r) Demanda de moeda para transações b’ y y 0 y 1 r 0 r K(y) C A M 0 B d C c L 0 M 1 r 1 D a’ y 2 y 3 Demanda de moeda para especulação A D B Uma elevação no nível de preços desloca a curva LM para a esquerda e para cima.
  13. 13. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA <ul><li>Com as modificações das funções consumo, investimento e oferta de moeda deriva-se curvas IS e LM menos inclinadas. </li></ul><ul><li>Isto tem o efeito de afetar as eficácias das políticas fiscal e monetária em alterar o nível de PIB de equilíbrio. </li></ul><ul><li>No entanto, não se altera a inclinação negativa da curva de demanda agregada. </li></ul>
  14. 14. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA <ul><li>Se o preço subir para P 1 ( > P 0 ), tanto a curva IS quanto a curva LM se deslocam para a esquerda. </li></ul><ul><li>O nível de produto cairá para y 1 </li></ul><ul><li>e a taxa de juros pode cair, aumentar ou ficar inalterada. </li></ul><ul><li>O valor da nova taxa de juros dependerá da dimensão do deslocamento para a esquerda da curva LM. </li></ul>r r 1 r 0 y 1 y 0 y L 1 I 1 S 1 (P 1 ) L 0 I 0 S 0 (P 0 ) M 0 (P 0 ) E F Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda M 1 (P 1 ) <ul><li>Por que a taxa de juros pode ter três tendências quando o nível de preços aumenta? </li></ul><ul><li>P   m s   r  </li></ul><ul><li>r   y  (c  )  m d   r  </li></ul><ul><li>O comportamento da taxa de juros dependerá desses dois elementos. </li></ul>
  15. 15. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA <ul><li>No nível de preço P 0 tem-se o produto y 0 que equilibra simultaneamente os mercados de bens, moeda e títulos. </li></ul><ul><li>Quando o nível de preços sobe para P 1 (> P 0 ), o nível de produto que equilibra simultaneamente esses mercados diminui, para y 1 (< y 0 ). </li></ul><ul><li>Os pontos (y 0 , P 0 ) e (y 1 , P 1 ) definem a curva de demanda agregada. </li></ul>r r 1 r 0 y 1 y 0 y L 1 I 1 S 1 (P 1 ) L 0 I 0 S 0 (P 0 ) M 0 (P 0 ) E F P P 1 P 0 y 1 y 0 y D 0 D 0 E F Curva de demanda agregada M 1 (P 1 ) Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda
  16. 16. As modificações causadas pelas novas definições das funções sobre as curvas IS, LM e de DA <ul><li>A curva de demanda agregada é negativamente inclinada por duas razões: </li></ul><ul><li>P   a   c   y  </li></ul><ul><li>Independentemente do comportamento da taxa de juros, y   K E   ik r  </li></ul><ul><li>Observe que qualquer que seja a inclinação da iso- investimento, a iso-investimento que passa pelo ponto F está a esquerda da iso-investimento que passa pelo ponto E. </li></ul>r r 1 r 0 y 1 y 0 y L 1 I 1 S 1 (P 1 ) L 0 I 0 S 0 (P 0 ) M 0 (P 0 ) E F P P 1 P 0 y 1 y 0 y D 0 D 0 E F Curva de demanda agregada M 1 (P 1 ) Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda
  17. 17. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Não foram feitas modificações quanto aos elementos que definem a curva de oferta agregada. </li></ul><ul><li>Combinando cada uma das curvas de oferta agregada definidas nos capítulos 7 a 9 com as novas especificações para as curvas IS e LM definem-se modelos macroeconômicos alternativos. </li></ul><ul><li>Para dar continuidade ao curso, optam-se pelas curvas de oferta agregada do modelo básico da Síntese Neoclássica e pela do modelo geral dos novos keynesianos. </li></ul>
  18. 18. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>De acordo com o modelo básico da Síntese Neoclássica: </li></ul><ul><li>demanda de trabalho W = P  f(N) </li></ul><ul><li>oferta de trabalho W = j(P, N) </li></ul><ul><li>equilíbrio j(P, N) = P  f(N) </li></ul>
  19. 19. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>P  </li></ul>Equilíbrio no mercado de trabalho. Função de Produção. Curva de Oferta Agregada. W N j(P 1 , N) N 0 N 1 y N y 0 y 1 W 0 P y S 0 y 0 y 1 S 0 P 0 P 1 W 1 j(P 0 , N) P 1 .f(N) P 0 .f(N) N 0 N 1 y(N, K) A B A B A B Modelo básico da Síntese Neoclássica Para a Síntese Neoclássica a curva de oferta agregada é positivamente inclinada no plano cartesiano y versus P porque o aumento do nível de preços (P  ) causa o aumento da quantidade de trabalho de equilíbrio empregada (N  ), o que gera aumento do produto ofertado (y  ).
  20. 20. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Resumindo, o modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica passa a se compor das seguintes equações: </li></ul><ul><li>y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g equilíbrio no mercado de produto </li></ul><ul><li>equilíbrio no mercado de moeda (e de títulos) </li></ul><ul><li>y = y(N,K) função de produção </li></ul><ul><li>W = P  f(N) função demanda de trabalho </li></ul><ul><li>W = j(P, N) função oferta de trabalho </li></ul>
  21. 21. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g equilíbrio no mercado de produto equilíbrio no mercado de moeda (e de títulos) y = y(N,K) função de produção W = P  f(N) função demanda de trabalho W = j(P, N) função oferta de trabalho São variáveis endógenas: o nível de produto (y), o nível geral de preços (P), a taxa de juros (r), a quantidade de trabalho (N) e o salário nominal (W). Tem-se um modelo com cinco equações e cinco variáveis endógenas.
  22. 22. O modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g equilíbrio no mercado de produto equilíbrio no mercado de moeda (e de títulos) y = y(N,K) função de produção W = P  f(N) função demanda de trabalho W = j(P, N) função oferta de trabalho As variáveis exógenas são de política fiscal (g e t´) ou monetária (B, rd e R3) ou então de não influência direta do governo, tais como os formatos das funções de produção, de demanda e oferta de trabalho, da propensão marginal a consumir e da sensibilidade do investimento a variação da taxa de juros.
  23. 23. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Suponha que o pleno emprego seja NF, e o valor (NF – N 0 ) seja muito elevado. </li></ul><ul><li>Para diminuí-lo, propõe-se o aumento dos gastos do governo, de g 0 para g 1 (  g = g 1 – g 0 ). </li></ul><ul><li>Se o preço permanecer em P 0 e a taxa de juros em r 0 , tem-se o produto de equilíbrio y 1 . </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 P 0 P y 0 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r y 0 y y 1 N 0 N N F j(P 0 , N) P 0 .f(N) W 0 W A A A Excesso de demanda por moeda
  24. 24. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>A renda cresceu e é necessária mais moeda para transações. </li></ul><ul><li>Há venda de títulos para obter moeda e os preços dos títulos caem. </li></ul><ul><li>A alta dos preços diminui o valor real dos ativos líquidos possuídos pelo setor privado, o que provoca o deslocamento da curva IS para a esquerda. </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r y 0 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N N F j(P 0 , N) P 0 .f(N) W 0 W A B A B A I 2 S 2 Excesso de demanda
  25. 25. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>A renda cresceu e é necessária mais moeda para transações. </li></ul><ul><li>Há venda de títulos para obter moeda e os preços dos títulos caem. </li></ul><ul><li>A alta dos preços diminui o valor real dos ativos líquidos possuídos pelo setor privado, o que provoca o deslocamento da curva IS para a esquerda. </li></ul><ul><li>r   i   y  </li></ul><ul><li>O aumento de preços desloca a curva de demanda de trabalho para a direita mais do que a curva de oferta de trabalho para cima e à esquerda </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  26. 26. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Quanto tempo leva a passagem do ponto (y 0 , P 0 ) ao ponto (y 3 , P 3 )? </li></ul><ul><li>Segundo BRANSON & LITVACK (1978, p. 297), essa passagem, na economia norte-americana, pode levar de dois a três anos se for significativo o acréscimo nos gastos do governo. </li></ul><ul><li>Durante esse período podem ocorrer alguns aspectos interessantes. </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  27. 27. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>A demanda de trabalho pode reagir mais rapidamente do que a oferta de trabalho, tal que quando o preço sobe a P 3 a curva de demanda de trabalho desloca-se para direita, mas a curva de oferta de trabalho não se desloca. </li></ul><ul><li>Logo, no nível de preço P 3 o produto ofertado será temporariamente maior que y 3 , até a curva de oferta de trabalho se deslocar para a esquerda. </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  28. 28. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>O mecanismo do acelerador (analisado no capítulo 11) cria a possibilidade de um ajustamento excessivo da demanda agregada. </li></ul><ul><li>O aumento nos gastos do governo eleva o produto, que gera um fluxo de investimento líquido que, por sua vez, aumenta ainda mais o produto. </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  29. 29. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Isto abre a possibilidade da curva IS se deslocar, temporariamente, para a direita de I 2 S 2 até que o aumento dos preços diminua o valor real dos ativos líquidos possuídos pelo setor privado e o investimento líquido seja zerado (estes dois efeitos fazem a curva IS se deslocar para a esquerda, atingindo a I 2 S 2 ). </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  30. 30. Os efeitos de mudanças de política fiscal no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica <ul><li>Esses efeitos permitem a economia, no início, ultrapassar o nível de produto final y 3 , mas no final do período de ajustamento a ele voltar. </li></ul>Curvas de oferta e demanda agregada Equilíbrio no mercado de trabalho S 0 S 0 D 0 D 0 D 1 D 1 P 0 P 3 P y 0 y 3 y 2 y Equilíbrio nos mercados de produto e moeda L 0 M 0 S 0 I 0 S 1 I 1 r 0 r 3 r y 0 y 3 y 2 y y 1 r 2 L 1 M 1 N 0 N 3 W 3 N N F j(P 3 , N) j(P 0 , N) P 0 .f(N) P 3 .f(N) W 0 W A C B A C B A C I 2 S 2
  31. 31. Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>Uma alternativa de modelo macroeconômico é combinar as curvas IS e LM com a curva de oferta agregada geral dos novos keynesianos: </li></ul><ul><li>y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g equilíbrio no mercado de produto </li></ul><ul><li>equilíbrio no mercado de moeda (e de títulos) </li></ul><ul><li>y = y(N,M,K) função de produção </li></ul><ul><li>equação de determinação dos salários </li></ul><ul><li>curva de oferta agregada </li></ul>
  32. 32. Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos y = c[y – t(y), a, CR ] + i (r, y) + g equilíbrio no mercado de produto equilíbrio no mercado de moeda (e de títulos) y = y(N,M,K) função de produção equação de determinação dos salários curva de oferta agregada Veja que temos um sistema de cinco equações para determinar cinco variáveis endógenas: produto (y), taxa de juros (r), nível geral de preços (P), salário nominal (W) e quantidade de trabalho (N).
  33. 33. Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>A inclinação negativa da curva de demanda agregada no plano cartersiano y versus P já foi explicada. </li></ul><ul><li>A curva de oferta agregada geral dos novos keynesianos é positivamente inclinada no plano cartesiano y versus P porque: </li></ul><ul><li>y   desemprego   W   CD   P  </li></ul><ul><li>mark-up </li></ul>
  34. 34. Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>O raciocínio por traz da curva de oferta agregada do modelo geral dos novos keynesianos é diferente do da curva de oferta agregada do modelo básico da Síntese Neoclássica. </li></ul><ul><li>Apesar de ambas serem positivamente inclinadas no plano cartesiano y versus P, para a Síntese Neoclássica é a elevação do nível de preços que gera o aumento do produto ofertado, ao implicar o aumento da quantidade de trabalho empregada. </li></ul><ul><li>Para os autores novos keynesianos, é o aumento da quantidade ofertada de produto que causa o aumento dos preços. </li></ul>
  35. 35. Modelo macroeconômico geral ampliado dos novos keynesianos Em resumo, no modelo básico da Síntese Neoclássica tem-se: P   N   yo  Para os novos-keynesianos, yo   N   P  (sendo yo o produto ofertado, que é igual à renda em situação de equilíbrio).
  36. 36. Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos g  r r 1 r 0 y 1 y 0 y S 1 I 1 S 0 M 0 I 0 E F Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda L 0 P P 0 y 1 y 0 y D 1 D 1 S 0 D 0 D 0 S 0 E F Curvas de oferta e de demanda agregada P  P 1 Excesso de demanda
  37. 37. Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>P   diminui o valor real dos ativos líquidos possuídos pelo setor privado. </li></ul><ul><li>P   m s  (ou M d  ) </li></ul><ul><li>Estes dois deslocamentos têm o efeito de diminuir a demanda agregada </li></ul><ul><li>O preço sobe até P 1 . </li></ul>r r 1 r 0 y 1 y 0 y S 1 I 1 S 0 M 0 I 0 S 2 E F Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda G y 2 L 0 M 1 L 1 r 2 I 2 P P 1 P 0 y 1 y 0 y D 1 D 1 S 0 D 0 D 0 S 0 E F Curvas de oferta e de demanda agregada G y 2
  38. 38. Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>Para ser atendida uma demanda maior, ocorrerá uma produção maior. </li></ul><ul><li>Porém, para se gerar mais produto é necessário se empregar mais trabalho. </li></ul><ul><li>O aumento de N (quantidade de trabalho) leva à diminuição da taxa de desemprego. </li></ul><ul><li>A redução da taxa de desemprego permite aos trabalhadores requisitar maior salário por unidade de trabalho em relação ao que ganhavam no período anterior. </li></ul>
  39. 39. Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>Há, assim, um aumento de W. </li></ul><ul><li>A alta dos salários causa um aumento dos custos de produção, que são repassados aos preços dos bens. </li></ul><ul><li>Assim, tem-se um deslocamento ao longo da curva de oferta agregada do ponto E de coordenadas (y 0 , P 0 ) para o ponto G de coordenadas (y 2 , P 1 ). </li></ul>r r 1 r 0 y 1 y 0 y S 1 I 1 S 0 M 0 I 0 S 2 E F Equilíbrio dos mercados de produto e de moeda G y 2 L 0 M 1 L 1 r 2 I 2 P P 1 P 0 y 1 y 0 y D 1 D 1 S 0 D 0 D 0 S 0 E F Curvas de oferta e de demanda agregada G y 2
  40. 40. Efeitos da política fiscal no modelo geral ampliado dos novos keynesianos <ul><li>No modelo geral dos novos keynesianos aqui desenvolvido, uma política fiscal expansionista tem os mesmos efeitos sobre y, P, N, W e r que no modelo básico ampliado da Síntese Neoclássica. </li></ul><ul><li>Isto apesar dos fundamentos macroeconômicos das curvas de oferta agregada serem distintos. </li></ul>
  41. 41. Próxima Aula <ul><li>CAPÍTULO 15 – Modelos macroeconômicos para uma economia aberta </li></ul>15.1 O equilíbrio no mercado de produto; 15.2 A curva que representa o equilíbrio do Balanço de Pagamentos; 15.3 O ajustamento do saldo do balanço de pagamentos em uma situação da taxa de câmbio nominal fixa e inalterada; 15.4 Outras medidas para equilibrar o balanço de pagamentos; 15.5 Modelo estático geral da Síntese Neoclássica para uma economia aberta com taxa de câmbio nominal fixa; 15.6 Modelo geral dos novos keynesianos para um economia aberta com taxa de câmbio nominal fixa; 15.7 O ajustamento do balanço de pagamentos no caso da taxa de câmbio flexível; 15.8 Modelo estático geral da Síntese Neoclássica para uma economia aberta, supondo equilíbrio do balanço de pagamentos e taxa da câmbio flexível; 15.9 Modelo geral dos novos keynesianos para uma economia aberta, supondo equilíbrio do balanço de pagamentos e taxa de câmbio flexível.
  42. 42. Referências Bibliográficas <ul><li>BACHA, C.J.C.; LIMA, R.A.S. Macroeconomia : Teorias e Aplicações à Economia Brasileira. Campinas: Alínea, 2006 </li></ul><ul><li>BLANCHARD, O. Macroeconomia : teoria e política econômica. 2 ed. Rio de Janeiro: Campus, 2001. </li></ul><ul><li>BRANSON , W.H. e LITVACK, J.M. Macroeconomia , São Paulo: Habra, 1978. </li></ul><ul><li>DORNBUSCH, R. & FISCHER, S. Macroeconomia . 5 a edição. São Paulo: Makron/Mcgraw-Hill, 1991. </li></ul><ul><li>MANKIW, N.G. Macroeconomia : Rio de Janeiro: LTC, 2004. </li></ul>

×