Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 1
Histórias de Amor
Produção: Alunos do Centro Regional de Educação...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 2
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 3
Ficha técnica
Produção: Alunos do CEREJA EMEF Antonio Aires de Al...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 4
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 5
Sumário
Apresentação ...............................................
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 6
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 7
Começar de novo ....................................................
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 8
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 9
Apresentação
Estimulados a escrever sobre suas vivências, os alun...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 10
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 11
Dedicatória
A todas as pessoas que acreditam no amor e sabedoras...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 12
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 13
A Escola Antonio Aires de Almeida
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 14
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 15
Um amor para sempre
Minha história de amor tem início há cinquen...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 16
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 17
Amor, amizade e traição
Havia um casal de jovens namorados que s...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 18
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 19
Reencontro
Estou aqui para contar uma linda história de amor que...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 20
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 21
Rompendo barreiras
Numa cidade do interior, vivia um cadeirante....
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 22
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 23
A arte de amar
A minha história de amor é um pouco estranha. Eu ...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 24
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 25
Olhares
Uma vez conheci alguém, cujo nome era Jonathan. Olhei pa...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 26
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 27
A vitória do amor
Marcela, linda menina, tem 17 anos e mora em S...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 28
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 29
À procura de um amor
Eu não tenho uma história de amor, porque n...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 30
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 31
Amor por interesse
O Felipe foi o guri mais idiota que uma guria...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 32
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 33
A infância da minha vida
Quando eu era criança morava com meus p...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 34
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 35
Paixão à primeira vista
As histórias de amor que eu vivenciei fo...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 36
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 37
Pedido de casamento
Quem nunca viveu uma história inesquecível d...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 38
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 39
Amor e dedicação
O que você faria se tivesse um amor verdadeiro?...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 40
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 41
Amor e superação
Essa história é muito triste. Começa no dia em ...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 42
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 43
Uma linda história de amor, amor para sempre
Dois jovens amigos,...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 44
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 45
História de amor sem final feliz
Era uma vez um homem chamado Ma...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 46
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 47
História da minha vida
Num certo fim de semana fui a uma festa e...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 48
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 49
Minha história de amor
Quando eu tinha 16 anos eu era apaixonada...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 50
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 51
História sobre o amor
A história começa assim: a primeira vez qu...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 52
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 53
Quem ama não deve desistir
Um jovem menino, que se chamava Paulo...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 54
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 55
Uma nova paixão
Minha história de amor começa quando eu encontre...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 56
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 57
O retorno de uma paixão
Um dia, Vitória foi ao parque e encontro...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 58
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 59
O cachorrinho cupido
Numa tarde ensolarada de domingo, Clarisse ...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 60
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 61
O amor e a distância
O meu menino, eu conheço desde pequeno. Nós...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 62
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 63
O amor
Quando o amor surge, tudo muda: aquele brilho no olhar,
a...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 64
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 65
Começar de novo
O amor é um dos sentimentos mais necessários na ...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 66
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 67
O amor aconteceu por acaso
Ela chamava-se Valentina e ele Joaqui...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 68
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 69
Unidos pelo amor
Num belo dia de sol, em pleno junho, Francine f...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 70
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 71
Um lar feliz e em harmonia
Minha história de amor começa num mom...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 72
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 73
Lembranças de um grande amor
Todo mundo já teve um grande amor. ...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 74
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 75
João que morreu por paixão
A história começa com um rapaz chamad...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 76
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 77
O amor verdadeiro
A minha história de amor não teve um final fel...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 78
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 79
Julia e Romeu
Era um casal jovem, de famílias diferentes, que nã...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 80
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 81
Reflexões sobre o amor
Hoje decidi parar e começar a refletir so...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 82
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 83
Desilusão e superação
Roberta viveu uma grande história de amor....
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 84
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 85
Amor incomparável
Essa história começa em 2008, no Rio Grande do...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 86
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 87
Olhos nos olhos
Certo dia Kerolaine resolveu sair com suas amiga...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 88
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 89
Caso de amor
Era uma vez uma guria que gostava de um homem que e...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 90
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 91
Menina mal-amada
Tanta coisa me faltou, tanta coisa desejei sem ...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 92
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 93
O sentimento do amor
Era silencioso o amor. Podia-se adivinhá-lo...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 94
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 95
Do seu lado
A partir de um determinado momento, eu passei a acre...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 96
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 97
Minha história
Esta é a minha história.
Eu vivi um grande amor. ...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 98
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 99
Meu primeiro amor
Bia, aos 20 anos, dizia sempre que jamais iria...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 100
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 101
Só com amor é possível ser feliz
O amor entre um casal nunca po...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 102
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 103
Encontro mágico
Tudo aconteceu no dia 30 de agosto, quando na m...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 104
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 105
O amor de um amigo meu
Um dia, meu amigo foi a um baile numa vi...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 106
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 107
Convite para dançar
Eu conheci um rapaz num baile, no ano de 19...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 108
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 109
Batidas do coração
Há muitos anos atrás, havia um rapaz que se ...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 110
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 111
Amores
O amor é um sentimento capaz de mudar qualquer ato. O
ma...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 112
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 113
Gesto de amor
Estava chegando o aniversário de 15 anos de uma a...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 114
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 115
Uma grande história
No dia 03 de janeiro de 2002, eu conheci um...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 116
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 117
Amor inesquecível
Eu encontrei o amor da minha vida! Era um dia...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 118
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 119
A maior história de amor
Desde que eu a conheço, essa é para mi...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 120
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 121
A voz do coração
Era uma vez uma menina que se apaixonou por um...
Histórias de Amor
CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 122
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

+++Livro histórias de amor cereja+++

887
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
887
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
13
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

+++Livro histórias de amor cereja+++

  1. 1. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 1 Histórias de Amor Produção: Alunos do Centro Regional de Educação de Jovens e Adultos da EMEF Antonio Aires de Almeida Gravataí/RS
  2. 2. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 2
  3. 3. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 3 Ficha técnica Produção: Alunos do CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida Editora: Sandra Melo Revisão: Adriana Azambuya da Silva Diagramação e revisão final: Arlan Vargas Capa: Elizandro Rieger Martens Ano de publicação: 2012 Cidade: Gravataí/RS
  4. 4. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 4
  5. 5. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 5 Sumário Apresentação .............................................................................................................. 9 Dedicatória ................................................................................................................ 11 A Escola Antonio Aires de Almeida ..................................................................... 13 Um amor para sempre ............................................................................................ 15 Amor, amizade e traição ......................................................................................... 17 Reencontro ................................................................................................................ 19 Rompendo barreiras ............................................................................................... 21 A arte de amar .......................................................................................................... 23 Olhares ....................................................................................................................... 25 A vitória do amor ..................................................................................................... 27 À procura de um amor ............................................................................................ 29 Amor por interesse .................................................................................................. 31 A infância da minha vida ........................................................................................ 33 Paixão à primeira vista ............................................................................................ 35 Pedido de casamento ............................................................................................... 37 Amor e dedicação .................................................................................................... 39 Amor e superação .................................................................................................... 41 Uma linda história de amor, amor para sempre.................................................. 43 História de amor sem final feliz ............................................................................. 45 História da minha vida .......................................................................................... 47 Minha história de amor ........................................................................................... 49 História sobre o amor ............................................................................................. 51 Quem ama não deve desistir .................................................................................. 53 Uma nova paixão ..................................................................................................... 55 O retorno de uma paixão ........................................................................................ 57 O cachorrinho cupido .............................................................................................. 59 O amor e a distância ................................................................................................ 61 O amor ...................................................................................................................... 63
  6. 6. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 6
  7. 7. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 7 Começar de novo ..................................................................................................... 65 O amor aconteceu por acaso ................................................................................... 67 Unidos pelo amor ..................................................................................................... 69 Um lar feliz e em harmonia .................................................................................... 71 Lembranças de um grande amor ........................................................................... 73 João que morreu por paixão ................................................................................... 75 O amor verdadeiro .................................................................................................. 77 Julia e Romeu ............................................................................................................ 79 Reflexões sobre o amor ........................................................................................... 81 Desilusão e superação ............................................................................................. 83 Amor incomparável ................................................................................................. 85 Olhos nos olhos ........................................................................................................ 87 Casos de amor .......................................................................................................... 89 Menina mal-amada .................................................................................................. 91 O sentimento do amor ............................................................................................. 93 Do seu lado ............................................................................................................... 95 Minha história .......................................................................................................... 97 Meu primeiro amor ................................................................................................. 99 Só com amor é possível ser feliz .......................................................................... 101 Encontro mágico .................................................................................................... 103 O amor de um amigo meu .................................................................................... 105 Convite para dançar .............................................................................................. 107 Batidas do coração ................................................................................................. 109 Amores .................................................................................................................... 111 Gesto de amor ......................................................................................................... 113 Uma grande história .............................................................................................. 115 Amor inesquecível ................................................................................................. 117 A maior história de amor ...................................................................................... 119 A voz do coração .................................................................................................... 121
  8. 8. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 8
  9. 9. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 9 Apresentação Estimulados a escrever sobre suas vivências, os alunos das Etapas I a VI, do CEREJA Antonio Aires de Almeida, começaram a produzir textos sobre a temática do “amor”. Utilizando o espaço da sala de aula, todos os alunos foram convidados a participar desta produção e, posteriormente, ver suas histórias publicadas neste livro. Como o tema do projeto incluía o “amor”, assunto que todas as pessoas vivenciam de alguma forma, nas mais diferentes nuances, aproveitamos a disponibilidade e motivação que tal tema gera para fazer com que as histórias, sejam elas maternas ou de relações interpessoais de uma maneira geral, sejam conhecidas e valorizadas, visto que são riquíssimas em conteúdos.
  10. 10. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 10
  11. 11. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 11 Dedicatória A todas as pessoas que acreditam no amor e sabedoras de que para ele não há tempo e de que é preciso coragem, pois é dela que advêm as mais emocionantes histórias. Que nos sirvam de exemplo para continuarmos a ser felizes ou, simplesmente, para termos uma nova história para contar.
  12. 12. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 12
  13. 13. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 13 A Escola Antonio Aires de Almeida
  14. 14. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 14
  15. 15. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 15 Um amor para sempre Minha história de amor tem início há cinquenta e quatro anos atrás, quando conheci o meu esposo. Naquele tempo o namoro era acompanhado pelos pais. Foi numa festa da igreja que nos conhecemos. Conversamos e nos encontrávamos sempre aos domingos. Como o tempo foi passando, meu pai permitiu o nosso namoro. O namoro era permitido, a partir das boas intenções do rapaz e se de fato era um rapaz trabalhador e de boa família. Um namoro à antiga, com horários e na frente dos pais. Quando a mãe levantava e ia para a cozinha e o pai tossia, era o sinal de que ele tinha que ir embora. Era só dizer adeus com a mão e nada mais. Namorei três meses enquanto bordava o enxoval e os meus pais compravam o necessário. A festa do casamento reuniu toda a família. Uma festa legítima de interior, com tudo o que tinha direito: galinhas, patos, cordeiros, porcos assados e muitos doces. Ao longo desse casamento, que foi construído com base no amor e no respeito, tivemos uma filha que já me deu três netos e mais os bisnetos. Vivemos até hoje com muito amor, carinho e respeito um com o outro. Lembro que estando fora, trabalhando em outro município e voltando no fim da tarde, ele sempre me ligava para saber como eu estava. Até hoje nunca brigamos e quando resolvi voltar a estudar, foi a primeira pessoa a me incentivar. Acho que nesses anos todos a convivência e a harmonia sempre fizeram parte das nossas vidas. Margarida da Silva – Etapa I
  16. 16. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 16
  17. 17. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 17 Amor, amizade e traição Havia um casal de jovens namorados que se amava. Eu era o melhor amigo de Lucas e ele confiava muito em mim. Uma noite ele me fez um convite para a festa surpresa de sua namorada, Karen. Preparamos a festa bem a tempo. Quando ela chegou, não pude deixar de olhar em seus olhos e, naquela hora, ela também me notou, vindo na minha direção e perguntando meu nome. Respirei fundo e respondi. Ela, então, se apresentou, dizendo seu nome e confirmando que eu era o melhor amigo do Lucas. Durante a festa, começamos a conversar e a saber mais um sobre o outro. Até que um dia nós resolvemos nos encontrar às escondidas. Quando chegou o dia de nós nos vermos, meu coração estava acelerado, minha mente me julgava por ir ao encontro dela, mas o coração me empurrava para ir. Subi em direção à praça e lá estava ela, com uma blusa vermelha e uma saia jeans. Veio ao meu encontro, segurei suas mãos trêmulas e as beijei e logo ela me abraçou. Falou que não conseguiria continuar, sem me beijar. Na hora eu tentei fazer o que é certo, disse que nós estávamos traindo o meu melhor amigo. Então ela perguntou porquê eu tinha ido ao encontro dela e respondi que estava apaixonado por ela. Nós nos abraçamos e ficamos ali por muito tempo. Então beijei a sua boca, nascendo ali o nosso amor, mas também a nossa traição. Minha cabeça e meu corpo respondiam a cada pensamento por ela. Meu amigo nunca ficou sabendo, mas ela foi o meu primeiro e único amor proibido. Então, um belo dia, ela veio me dizer que iria se mudar e tivemos o nosso último encontro. Foi uma noite especial para nós e, quando amanheceu, ela partiu me deixando muitas saudades. Maicon Luiz dos Santos Engelhardt – Etapa IV
  18. 18. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 18
  19. 19. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 19 Reencontro Estou aqui para contar uma linda história de amor que começou há alguns anos atrás. Uma jovem e um rapaz se conheceram e se apaixonaram, mas ficaram pouco tempo juntos, pois foram proibidos de viver esse amor. O tempo passou e eles foram cada um viver a sua vida. Passaram-se os anos e ambos se casaram com outras pessoas. Tiveram filhos, mas nunca mais se viram. Ela casada, teve um filho homem. Ele, também casado, teve uma filha mulher. Um belo dia, o filho dela apresentou à mãe, a sua namorada. Ele disse que gostaria de fazer um jantar para as famílias se conhecerem. Marcado o jantar, mãe e filho estavam ansiosos a esperar. A campainha tocou e a mãe, ao abrir a porta, se depara com o seu grande amor do passado. Ele era o futuro sogro do seu filho. Eles se olharam e sem dizer uma palavra. As lágrimas começaram a cair e eles não conseguiram mais esconder a emoção e o sentimento que neles estava guardado há muitos anos. E ali, naquele momento, diante de todos, abraçaram-se, recomeçando a sua história de amor que, na verdade, nunca havia acabado. Vanderleia de Fátima Silveira – Etapa II
  20. 20. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 20
  21. 21. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 21 Rompendo barreiras Numa cidade do interior, vivia um cadeirante. Ele estudava numa escola, onde apresentava algumas dificuldades. Nessa mesma escola, uma garota observava o quanto era difícil a sua vida e começou a ajudá-lo nas suas atividades diárias da escola. Como as conversas eram constantes, viram que estavam gostando um do outro. Estavam apaixonados e não podiam ficar sem se ver. O rapaz teve então que mudar de cidade e a moça resolveu largar tudo para ir embora com ele. Resolveram se casar. Após dois anos de casados, ela ficou grávida de gêmeos, tiveram um lindo casal que os fez muito felizes. O rapaz formou-se em Direito e ela formou-se em Medicina, especializando-se em Pediatria, pois adorava crianças. E, assim criaram os seus filhos e viveram felizes com a família que formaram, na vida simples de uma cidade do interior. Quando as pessoas se amam, não têm dificuldades nem barreiras, porque tudo é superado em nome do amor. João Inácio Fortes – Etapa V
  22. 22. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 22
  23. 23. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 23 A arte de amar A minha história de amor é um pouco estranha. Eu morava em Santo Antônio da Patrulha, quando vim para Gravataí, morar no Passo da Caveira. Conheci um guri que tem 21 anos, lindo e ele insistia muito para ficar comigo. Eu tinha nojo dele, pois ele me perseguia, pedindo para falar comigo e dizendo que me amava. Um dia ele se aproximou, se declarando e dizendo que o maior sonho dele era formar uma família comigo. E, hoje, a gente namora. Estamos sempre juntos, fazendo festas e nos divertindo muito. Apesar de todas as nossas diferenças e brigas, a gente se ama. Todas as noites penso nele e o amor é incondicional. Sou fiel a ele e ele a mim. Estamos felizes nos amando. Estamos completando 4 meses, no dia 8 de junho. Glauco, amo você muito! Letícia Saldanha de Souza – Etapa V
  24. 24. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 24
  25. 25. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 25 Olhares Uma vez conheci alguém, cujo nome era Jonathan. Olhei para ele e ele nem me notou. E então pensei que não iria conquistá-lo, pois ele parecia demais para mim. E também já tinha um compromisso com outra pessoa. Então, resolvi apenas olhar e, quem sabe um dia, ele resolvesse me notar. Resolvi perguntar o seu nome e eu me apresentei a ele. Ele me deu um sorriso. E, naquela hora, eu pensei: “Quero você e não preciso esconder”. Mas ele parecia distante. Mesmo assim não desisti. Segui em frente. Pois seu amor eu queria conquistar. Até que um dia, o jogo virou! O amor que eu sentia era tão forte, que até nele refletia. Um dia ele me olhou e veio na minha direção. E logo falou: — Não consegues esconder: sei que gostas de mim. E sei mais ainda, que eu gosto de você! Minhas pernas ficaram bambas. Mas sabia que, ao seu lado, seria feliz. Dois anos se passaram e, até hoje, sentimos um amor muito grande um pelo outro. Sei que filhos virão. E, quando crescerem, saberão que são frutos de um grande amor. Foi alguém, um Ser maior, que nos deu sorte. Temos sonhos que um dia serão todos realizados. Mas sei que ele sempre estará ao meu lado.
  26. 26. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 26
  27. 27. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 27 A vitória do amor Marcela, linda menina, tem 17 anos e mora em Santo Antônio da Patrulha. Ela é muito inteligente, pretende ser médica, mas seus pais têm muitos filhos e são pobres. O sonho dela é estudar, trabalhar e, no futuro, ajudar os seus pais. Marcela tem um namorado que se chama Paulo. Ele tem 28 anos e está fazendo a Faculdade de Medicina. Os pais dele, ao contrário dos pais de Marcela, são ricos, têm fazendas em Tramandaí. O sonho dele é se casar com ela. Eles se amam, mas ela tem medo, porque é pobre. Mas se o amor existe de verdade, nada pode separar. E ela certamente será muito feliz ao lado do seu amor. Marcela conheceu Paulo aos 12 anos. Frequentavam as mesmas festas, aniversários, bailes e estudavam na mesma escola. Ela escreve para o seu amor: “A felicidade não está no fim da jornada, mas, sim, em cada curva do caminho que percorremos para encontrá- la”. Aposto que essa história vivida por Marcela e Paulo será lembrada como a vitória do amor, pois as diferenças e a distância não serão empecilho para a concretização desse sonho. Eni da Silva Dorneles – Etapa VI
  28. 28. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 28
  29. 29. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 29 À procura de um amor Eu não tenho uma história de amor, porque não tenho nenhum amor. Nunca fui feliz em um caso. Não tenho amor porque acho que ninguém me quer. Eu acho que seja isso. Eu não tenho ninguém, por causa da minha pessoa ou porque ninguém me conhece como realmente sou. Ninguém sabe como eu vivo. Ninguém quer ficar comigo e eu penso que elas têm uma ideia de mim que não é verdadeira. Ninguém sabe como eu me sinto e nem o que eu penso. Todo mundo me acha um menino completamente louco, mas eu acho que não sou assim. Será que um dia eu terei uma história de amor? Não sei. Só Deus pode saber!
  30. 30. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 30
  31. 31. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 31 Amor por interesse O Felipe foi o guri mais idiota que uma guria já ficou. Essa história foi vivida pela minha prima Dienifer. Ela era muito danada. Chegou a se esconder com ele, sem os pais dela saberem. A idade deles era de 12 e 17 anos. O Felipe tinha até um irmão mais velho e mais bonito que ele. A Dienifer tinha uma “cabecinha de vento” e só pensava em namorar. O Felipe era muito inteligente e muito legal como pessoa. No Dia dos Namorados, ele deu para a Dienifer um ursinho de pelúcia e uma rosa. Ele era muito carinhoso e, ao mesmo tempo, muito “burro”, pois ela só queria arrancar o dinheiro dele. Só porque os pais dele tinham carro para passear, ela era toda interesseira e não dava o devido valor a ele. Na verdade, o Felipe era um guri bom, que não sabia que a Dienifer ficava com outro menino na escola. Certo ou não, ele continuou a amá-la. Fazer o quê? Gislaine Flores Bitello – Etapa IV
  32. 32. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 32
  33. 33. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 33 A infância da minha vida Quando eu era criança morava com meus pais e irmãos numa casa muito simples, no interior, no meio do mato, bem afastada da cidade. No entanto, nós éramos muito felizes. Eu me lembro de que, aos cinco anos, eu estava embalando a minha irmãzinha no berço e de repente apareceu um gato preto na minha frente. Levei um enorme susto e saí correndo, gritando, deixando minha irmãzinha sozinha. Então apareceu a minha mãe, apavorada com os gritos, para saber o que tinha acontecido. Eu saí com tanto medo que fui me esconder no galpão, não vi umas latas, acabei tropeçando nelas e cortando a minha perna. Foi um corte grande e as minhas irmãs falavam que “iam cair as minhas tripas”. Eu chorava muito. Elas acabaram sentindo pena de mim e vieram me consolar, num verdadeiro gesto de amor. Mesmo assim, eu não queria mais entrar no quarto por um bom tempo, com medo de que o tal gato preto aparecesse novamente e não quis mais embalar a minha irmãzinha, até a minha mãe vir conversar comigo, para eu poder esquecer essa história que ainda hoje eu relembro. Sandra de Freitas – Etapa VI
  34. 34. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 34
  35. 35. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 35 Paixão à primeira vista As histórias de amor que eu vivenciei foram muitas, mas comigo só aconteceu desilusão. Várias vezes eu me apaixonei, mas as mulheres de hoje em dia geralmente não querem nada com quem se importa com elas. Hoje em dia, elas só pensam em “ficar” e não se importam com os sentimentos do outro. Elas acabam magoando alguém que poderia dar um sentimento sincero. Quando eu conheci a Inajara, foi paixão à primeira vista. Nós temos uma ligação muito forte um com o outro. É tão forte que, se nós terminássemos o namoro, teríamos que mudar de cidade, para não encontrarmos o outro com alguém. Nesse um ano de namoro já aconteceram muitas brigas. Se fosse outro casal já teria terminado. A gente briga muito e, por maior loucura que possa ser, com vinte anos, tenho mais responsabilidade do que ela, que tem trinta e dois anos. Ela sempre me fala que sonha em ter uma família e eu penso a mesma coisa. Mas tem muitos problemas financeiros que atrapalham. Ela tem muitas dívidas e eu não ganho o suficiente para dar uma vida mais digna. Mas nós somos apaixonados um pelo outro e o que vier na nossa vida, nós vamos enfrentar para sermos felizes. Pela manhã, quando acordo, às vezes estou com muita preguiça, mas quando me lembro dela, saio “voando” da cama para enfrentar mais um dia de trabalho. Ricardo Rodrigues – Etapa VI
  36. 36. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 36
  37. 37. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 37 Pedido de casamento Quem nunca viveu uma história inesquecível de amor? Numa brincadeira de adolescente nasceu um grande amor através de um beijo roubado. Naquele dia vi que a Ana Paula seria a pessoa ideal para mim. A gente se encontrava escondido e era muito bom. Todo mundo deveria sentir toda aquela adrenalina, pois a qualquer momento alguém poderia descobrir. Ela sempre me dizia que isso um dia teria que acabar, pois não queria ficar às escondidas para sempre. Queria estar ao meu lado a todo o momento. E queria me apresentar para os seus pais para podermos sair a qualquer hora e para qualquer lugar. Ficava pensando no que ela me falava, até que resolvi ir num final de semana até a casa dela. Sem contar nada, fiz uma surpresa. Cheguei lá e fui entrando e conversando com o meu futuro sogro e sogra. Não demorei muito e pedi a mão da Ana Paula em casamento. E a resposta deles foi sim. Em seguida, convidei a Ana Paula para ir a um lugar que só eu conhecia, muito especial. Foi um dia inesquecível! Alguns meses se passaram e logo estávamos casados. Hoje somos muito felizes e pais de uma linda menina.
  38. 38. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 38
  39. 39. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 39 Amor e dedicação O que você faria se tivesse um amor verdadeiro? Quando se trata de amor todo mundo acha que gosta de uma pessoa especial. Amor: até que ponto você chega por uma pessoa amada? E se você tivesse que ajudar aquela pessoa todos os dias, pelo resto de sua vida? Não vivi isso, mas acho que a pessoa que ama tem as melhores intenções para com a pessoa amada. O amor está em todo o mundo, todos os dias. Amor de mãe é um dos maiores amores que tem nessa vida. Qual a mãe que não cai em lágrimas, quando vê o rostinho de seu filho pela primeira vez, que não se derrete chorando, quando o filho a chama de “mamãe”, pela primeira vez e quando ele dá os seus primeiros passos? Isso é a maior felicidade que uma mãe pode ter. Então, quando o nenezinho da mamãe cresce e encontra o seu primeiro amor, quer passar o resto da sua vida com aquela pessoa. E, assim, acontece e as preocupações são muitas: quando está doente, cuida com o maior carinho e até chega a descuidar de si, tamanha a preocupação que o outro melhore. Amor verdadeiro e sincero. Entre idas e vindas, entre “trancos e barrancos”, mas sempre juntos até o último dia de suas vidas. Amor é assim: com obstáculos, com sofrimento, felicidades e desilusões em nossos caminhos. Por isso, dediquem-se às pessoas que amam, por que sem elas, o que seria da sua vida?
  40. 40. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 40
  41. 41. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 41 Amor e superação Essa história é muito triste. Começa no dia em que minha casa pegou fogo. Meu marido, ao tentar salvar a casa e os filhos, ficou com 90% do corpo queimado. Eu estava trabalhando, vendendo picolé na rua, quando, de repente, um carro para ao meu lado após uma freada. Era meu patrão dando a notícia do incêndio. Pedi ao Seu João que me levasse às pressas em casa para eu pegar os documentos e ir para o hospital. O sofrimento do meu marido só estava começando. No hospital, ficou na emergência durante dez dias. Procurei um vereador para me ajudar com o advogado. Todos os dias eu ia e vinha do hospital para casa, pois meus filhos estavam sozinhos. Os vizinhos não me podiam ver chegando em casa e logo vinham saber notícias dele. Eu já não aguentava mais saber de tantas notícias ruins, mas com fé e esperança eu me agarrei a Deus; não abandonei meu esposo. Eu pedia passagem para uns e outros. Vinha sempre arrasada para casa. Consegui um advogado e tirei o meu esposo do hospital. Levei-o para outro: o HPS, que tinha UTI dos queimados. E lá ele ficou um mês, com a equipe de médicos fazendo tudo o que podia. Deus resolveu dar a ele uma segunda chance de vida, pois com certeza eu não aguentaria viver sem ele. Meu marido é tudo para mim. Só ele me entende, só ele me completa, do jeito dele. É assim que ele me ama. Conceição Batista da Silva – Etapa III
  42. 42. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 42
  43. 43. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 43 Uma linda história de amor, amor para sempre Dois jovens amigos, José e Priscila, eram vizinhos. Os dois, de boas famílias, cresceram juntos e, na adolescência, viram que se amavam. Então, chegou o dia tão esperado pelos dois: o casamento. Tiveram uma festa muito bonita, com todas as famílias presentes. Passou-se o tempo, ele tinha um bom trabalho e ganhava muito bem. Cuidava dela e a tratava com todos os cuidados. O tempo passou depressa e eles tiveram um menino bonito, com saúde: o bebê que eles tanto esperavam! Porém, José, devido ao trabalho, não pôde estar presente durante o nascimento do seu filho. Priscila foi para casa e, num momento em que José não estava, teve uma depressão pós-parto, saindo de casa sem deixar dito aonde ia. Procuraram por ela em vários lugares, sem sucesso. Nada consolava José. Daniel, o bebê, foi crescendo com duplo amor de seu pai. Mas José nunca se esquecia de sua amada. Todos os dias, ele lembrava-se dela com saudade. Nada tirava da sua mente a sua bela esposa. Os anos passavam e seu filho já estava com dez anos de idade e era seu tesouro. No entanto, apareceu uma mulher no seu caminho. Mas ele nunca se esquecia de Priscila. Até que decidiu viver com Rafaela, até mesmo por causa de Daniel. Nesse momento, um amigo pediu para José levar Daniel a um lazer da igreja. O menino esteve lá durante toda semana e José foi algumas vezes até que viu sua tão amada esposa, que estava viva. José e Priscila voltaram e viveram enamorados para sempre, pois ela também ainda esperava esse reencontro. Foi muito lindo e emocionante: José, Priscila e Daniel. Fioravante Guimarães de Lima – Etapa III
  44. 44. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 44
  45. 45. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 45 História de amor sem final feliz Era uma vez um homem chamado Martinho, que mexia com drogas. Ele conheceu Renata e os dois se apaixonaram. Foi amor à primeira vista. Eles sempre saiam à noite para jantar. Um dia, os amigos do Martinho estavam com inveja dele, pois ele havia parado com as drogas. Falaram para ele que Renata o havia traído. Então, Martinho saiu com uma arma na mão, cheio de ódio pela traição. E, quando ele viu Renata, deu dois tiros no peito dela, derrubando-a. Chorando muito, ela perguntou qual foi o motivo: — Meu amor... — Te dei meu amor e, mesmo assim, você me traiu. Foi nessa hora que “a tua casa caiu” – triste, ele respondeu. Nesse momento a mãe, chorando, gritou, ao perceber que a filha havia morrido: — Minha filha estava grávida de um filho teu! Então, ele ficou muito triste e sofre assim há muito tempo. Maurício Machado – Etapa IV
  46. 46. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 46
  47. 47. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 47 História da minha vida Num certo fim de semana fui a uma festa e conheci uma pessoa muito importante. Só não sabia que a vida dele era tão complicada. Fazia um mês que ele havia se separado. A mulher tinha ido embora, deixando-o sozinho com dois filhos para criar. Cláudio sofre muito por causa das crianças. Elas choravam dia e noite por causa da mãe. Aí eu comecei a frequentar a casa dele. Fomos nos conhecendo melhor; começamos a namorar. Eu fui me apegando às crianças, dando muito amor a elas. Ainda namoramos por dois anos. Hoje, nos casamos e tivemos mais uma filha. Criei os meninos como se fossem meus filhos. Estão casados e os filhos deles me chamam de avó. Hoje eu tenho cinco netos e eles me adoram. Eu tenho paixão pelas crianças. Essa é apenas uma pequena parte da história da minha vida. Janete M. Rodrigues Mineiro – Etapa IV
  48. 48. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 48
  49. 49. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 49 Minha história de amor Quando eu tinha 16 anos eu era apaixonada por um rapaz que tinha o dobro da minha idade, mas mesmo assim eu gostava muito dele. Um dia eu fui falar com ele pra dizer o que eu sentia e ele me respondeu que eu era muito nova pra ficar com ele. Eu fiquei muito triste, pois eu o amava muito. Ah, mas eu não desisti dele! Afinal, eu o amava. O tempo foi passando e eu cheguei aos 18 anos. Então, fui atrás dele novamente, mas ele já estava namorando uma mulher e era muito bom para ela. Quando eu vi os dois juntos, chorei muito. Tive uma terrível desilusão amorosa. Pensei: “A pessoa que eu fiquei esperando durante anos, estava com outra!”. E eu chorei muito. Mas, mesmo assim, não desanimei, porque eu o amava muito. Desde os meus 16 anos eu queria muito namorar com ele. Então, comecei a mandar mensagens, até que ele, perto de entrar de férias no seu serviço, marcou de nos encontrarmos para conversar. No dia em que ele saiu de férias, nós saímos para conversar. E conversamos muito. Começamos a namorar depois de dois dias. E, daquele dia em diante, nunca mais nos separamos. Agora estamos noivos e, se Deus quiser, no dia sete de julho iremos nos casar. A minha história de amor é bem engraçada porque temos uma idade diferente, mas mesmo assim nós nos amamos muito. Hoje em dia, nós pensamos assim: na vida há tempo para tudo. Eu esperei e graças a Deus consegui. Hoje ele me diz que se arrepende em não ter me dado uma chance antes. Mas ele agradece por eu ter esperado por tanto tempo. Nós nos amamos muito! Paola Roberta Gomes – Etapa VI
  50. 50. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 50
  51. 51. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 51 História sobre o amor A história começa assim: a primeira vez que o meu amigo se apaixonou, estava tudo bem. Enquanto não tinha nenhum tipo de compromisso. Ele estudava, bebia, chegava em casa tarde da noite. Ele se apaixonou por uma guria e a pediu em namoro. Ela aceitou. Um dia, ele recebeu a notícia que ela estava grávida. Então, ele teve que parar de estudar e de beber. Começou a dormir cedo, tendo muitos compromissos. Ele começou a trabalhar, passando a ser um marido e um pai de família. Aborrecido com os novos compromissos, ele não aguentou, começou a beber e a chegar em casa tarde. Começou a brigar com a namorada e com os amigos. Fazia muita “zoeira”. Vendo isso, a avó o levou para a igreja e o aconselhou a parar de beber e chegar mais cedo em casa. Uma semana depois, ele se reconciliou com a namorada e a pediu em casamento. E ela aceitou. Assim, ele vive feliz e tranquilo, com muito amor pela mulher e pelo filho. Felipe Melo – Etapa IV
  52. 52. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 52
  53. 53. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 53 Quem ama não deve desistir Um jovem menino, que se chamava Paulo, apaixonou-se por uma menina que morava em Porto Alegre. Ele morava em Gravataí, mas o maior problema era a idade dos dois. Ela tinha 17 anos e o Paulo só 14 anos. Mas ele já tinha ficado com ela. O tempo foi passando e ele foi ficando mais apaixonado por ela. Muitos amigos falavam que ele não tinha chance, mas ele insistia em tentar namorá-la. Paulo, para impressioná-la, ia pros fundos da casa dela jogar bola, para demonstrar suas habilidades como jogador. Ela, muitas vezes, chamava-o de criança. Ele nem ligava para isso. Num sábado, ela foi até a casa dele conversar com a irmã de Paulo. Paulo pediu pra ela ficar com ele. E ela disse não, afirmando que ele era muito novo. Mas Paulo não desistiu de sua amada. Passou-se o tempo, ele tentando, até que um dia ele resolveu ir até a casa dela e terminar tudo. Disse à Mônica (esse era o seu nome) que gostava muito dela. Falou algumas palavras bonitas e, cheio de coragem, ouviu a resposta dela. Ela, muito pensativa, resolveu dar uma chance ao meu amigo. Sentaram-se no sofá e ela respondeu que sim e ele prontamente deu um beijão nela. Namoraram seis meses e ele não se arrependeu de nada que fez. Hoje, tudo terminado, sou grande amigo dela e do seu namorado. Segundo meu amigo, nunca desistam dos seus sonhos e de viver um grande amor! Pablo Felipe Gomes – Etapa III
  54. 54. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 54
  55. 55. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 55 Uma nova paixão Minha história de amor começa quando eu encontrei a Roberta. Nossa história virou em brigas, intrigas, paixão, amor e tudo ao mesmo tempo. E, por fim, uma traição. Um dia na praia, a Roberta conheceu o Carlos e eles ficaram amigos. Todos nós estávamos juntos no carnaval e eu acabei pegando os dois juntos. Tudo isso aconteceu pelas minhas costas. Ela tentou se explicar, mas já era tarde. Hoje ela vive a vida dela e eu levo a minha. Tempos depois, eu conheci uma menina chamada Bruna. Estou loucamente apaixonado por ela e ela por mim. Eu achava que nunca mais iria me apaixonar por alguém, mas eu estava errado. Bruno Gabriel Souza Lopes – Etapa V
  56. 56. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 56
  57. 57. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 57 O retorno de uma paixão Um dia, Vitória foi ao parque e encontrou Luís. Os dois conversaram e se divertiram muito. Mas foi ficando tarde e eles tiveram que ir embora. Luís chegou em casa e pensou em voltar ao parque no dia seguinte. E foi o que fez, mas Vitória não estava lá. Ele a esperou no mesmo lugar onde eles haviam se conhecido. Ele resolveu ir até a casa dela. Quando chegou, gritou pelo nome dela várias vezes, e nada... Foi quando saiu que deparou-se com uma placa na frente da casa dela, onde estava escrito: VENDE-SE. Ele foi embora, triste. Uma semana depois, ele abre a porta e, surpreso, dá “de cara” com Vitória na sua frente! Jonatan Martins de Oliveira – Etapa III
  58. 58. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 58
  59. 59. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 59 O cachorrinho cupido Numa tarde ensolarada de domingo, Clarisse foi à praça como fazia de costume. E foi lá que ela conheceu o seu grande amor. Ele também gostava de passear naquela praça. Começaram a conversar, nascendo uma grande amizade. Ele chamava-se Edgar e tinha um cachorrinho. Ela gostava muito de animais, mas não podia ter um, pois morava num apartamento e lá no prédio não permitiam animais. Quando ela viu aquele cachorrinho, se aproximou dele e começou a brincar. Em vez de ir à praça aos domingos, ela ia todas as tardes após o trabalho para ver o cachorrinho chamado Snoop e, é claro, o rapaz. A cada dia eles estavam mais envolvidos. Num dia, então, veio o convite para jantar e, a partir daí, um sentimento mais forte os uniu. Até que ele a surpreendeu, quando levou o seu cachorrinho e ela viu uma caixinha presa na coleira com um bilhete. Ele pediu para ela abrir a caixinha. Com surpresa ela viu que havia uma aliança. Ele fez o pedido de casamento e ela, com brilho nos olhos, aceitou o seu pedido. Assim aconteceu a história de amor entre Clarisse e Edgar. Tatiana da Silva Inácio – Etapa II
  60. 60. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 60
  61. 61. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 61 O amor e a distância O meu menino, eu conheço desde pequeno. Nós estudamos juntos na Escola Cecília Meireles. Nós brincávamos juntos, às vezes também brigávamos. Eu fui crescendo e acabei indo embora e ele também. Nós trocamos de cidade. Eu fui para Novo Hamburgo e ele para Cachoeirinha. Depois, eu voltei para Gravataí e ele também. Nós acabamos ficando juntos e eu espero que fiquemos juntos para o resto da vida. Eu o amo e ele também me ama. Se você não acredita no amor ou se você não tem um amor ou você gosta de uma pessoa, lute por ela e peça para Deus buscar essa pessoa para você. E ele vai dar o melhor, pois ele só quer o nosso bem. Fernanda Karoline Hach Machado – Etapa V
  62. 62. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 62
  63. 63. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 63 O amor Quando o amor surge, tudo muda: aquele brilho no olhar, aquele frio na barriga, as pernas bambas. Vocês não conseguem mais se separar, pois, longe um do outro, as horas parecem não passar, mas, juntos, o tempo corre. Você sonha com a pessoa amada até quando está acordada. Tudo é muito lindo. O primeiro encontro, os dois se arrumam, colocam a melhor roupa, o melhor sapato, o melhor perfume para impressionar a pessoa amada. O casal fica tão nervoso que mal consegue trocar duas palavras. Mas isso não importa, pois tudo o que precisa ser dito, eles dizem pelo olhar. Namoram, noivam e chega o grande dia do casamento. A noiva nervosa caminha em direção ao altar, onde o noivo, mais nervoso ainda, a espera. Os noivos dizem “sim” e, finalmente, tornam-se marido e mulher. Vão morar juntos e então surgem as primeiras brigas. Mas o amor verdadeiro resiste a isto, porque é nas pequenas lutas e conquistas diárias que o amor se fortalece. Quezia Vargas Emck – Etapa V
  64. 64. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 64
  65. 65. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 65 Começar de novo O amor é um dos sentimentos mais necessários na nossa vida. Já tive vários amores, paixões e romances. Mas amor é um só na vida. É o que eu acho. Amor verdadeiro é o que te satisfaz em todos os sentidos. Eu me chamo Carla e tenho 18 anos. Meu primeiro namorado foi com 13 anos. Fiquei com ele um ano e sete meses. Foi um amor muito forte. Tanto, que até hoje existe sentimento entre nós. Quando nos encontramos na rua ou em qualquer outro lugar, bate aquela dor no coração pela separação, que teve como causa a intervenção dos outros e muitas intrigas. Mas, hoje, tenho 18 anos. Fui casada e tenho uma filha. O meu grande amor jamais foi esquecido! Talvez porque foi, e é, o meu grande amor. Muitos anos se passaram e nos reencontramos de novo. Marcamos de sair juntos e, hoje, dia 24 de maio de 2012, estamos nos vendo direto. Estou sentindo aquela felicidade de começar de novo. Malu Martins – Etapa V
  66. 66. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 66
  67. 67. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 67 O amor aconteceu por acaso Ela chamava-se Valentina e ele Joaquim. Conheciam-se desde a infância, mas Valentina viajou e deixou sua cidade, onde havia conhecido Joaquim. Ela foi estudar fora e ele também foi fazer sua vida sem nem esperar o que o destino havia reservado para os dois. Muitos anos se passaram e eles se reencontraram de uma forma que eles não podiam nem imaginar. Ela fazia pouco tempo que havia chegado de viagem, ainda no aeroporto. Ele estava indo viajar, quando ela esbarrou nele, reconhecendo-a. Ele ficou super feliz com o reencontro. Ela não estava entendendo nada, mas depois de muita conversa e sabendo que ambos ainda estavam solteiros, resolveram esquecer os compromissos que tinham para conversar e lembrar-se do passado. O tempo foi passando e eles começaram a namorar. E, hoje, juntos, relembram como o destino os surpreendeu. E, mesmo assim, o amor deles é tão forte que até hoje se amam. E para marcar esse amor, Joaquim resolveu dar uma prova, ainda no dia do reencontro. Contratou um carro de telemensagem, com o som dizendo: “Minha amada, o destino nos uniu novamente. Passamos anos sem nos ver e de repente, o amor aconteceu por acaso. Te conhecia, só ainda não te amava. Feliz Dia dos Namorados”. Aline Wolff Alves – Etapa V
  68. 68. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 68
  69. 69. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 69 Unidos pelo amor Num belo dia de sol, em pleno junho, Francine fazia suas caminhadas, como era de costume, nas ruas de Gramado, quando ela conheceu Vinícius. Foi amor à primeira vista. Os olhares se cruzaram ao mesmo tempo. Vinicius foi caminhando acompanhando-a. No meio da conversa, ele pediu o número do telefone dela. E muitos e muitos encontros aconteceram. Iam muito ao cinema e gostavam muito de passear pelos jardins de Gramado. Seis meses se passaram e eles resolveram noivar, com um jantar muito íntimo, somente para as famílias. No dia seguinte foram comemorar o noivado a dois. Um jantar romântico à luz de velas, acompanhado com um bom vinho, em frente a uma lareira, regado com muito amor, enquanto a neve caía em frente à janela. Uma noite de amor que marcou para sempre aquela união. Marcaram o casamento para maio do ano seguinte. Casaram no dia oito de maio, data escolhida por ela. A festa estava linda, com as famílias de ambos os noivos presentes, num clima de felicidade. Após a festa, os noivos foram de limusine até o aeroporto. O destino da viagem? Itália. Mais precisamente, Veneza. Cidade muito romântica para uma lua de mel inesquecível. Até hoje, eles formam um casal unidos pelo amor, e lá se vão trinta anos! Adriana de Souza – Etapa V
  70. 70. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 70
  71. 71. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 71 Um lar feliz e em harmonia Minha história de amor começa num momento difícil. Tive uma desilusão amorosa que me machucou muito e eu não queria me envolver mais com ninguém. O tempo foi passando e a ferida cicatrizando. Neste momento, conheci minha futura esposa. Eu tinha 29 anos e ela, 18 anos. O pai dela não queria o nosso namoro, por não me conhecer direito, e eu entendia a sua preocupação. Mas, aos poucos, foi me conhecendo melhor e nos tornamos bons amigos. Eu e minha namorada nos víamos somente no final de semana, porque eu trabalhava longe e não vinha para casa dos meus pais. Com um ano de namoro, nós noivamos e após um ano e meio, nós casamos. Hoje, temos oito anos de casados. Conseguimos, graças a Deus, ter o nosso lar, duas filhas lindas e um ambiente feliz e em harmonia. Espero que dure até os últimos dias de nossas vidas. Cleber da Silva Rodrigues – Etapa VI
  72. 72. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 72
  73. 73. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 73 Lembranças de um grande amor Todo mundo já teve um grande amor. E todo o mundo, eu garanto, jamais esqueceu esse amor. Eu jamais esqueci um amor que tive. Começamos a namorar no próprio colégio, onde eu e ela ficamos juntos por muito tempo. No decorrer da vida, tivemos caminhos diferentes. Ela se casou com um amigo meu e eles estão juntos até agora. Ela tem duas filhas, que eu conheço; são lindas. Eu acabei me casando também e dessa união tive um filho muito lindo. Na vida, não acabamos ficando juntos, mas até hoje eu sei que ela ainda gosta de mim. A vida nos proporcionou caminhos diferentes, separados. Mas assim mesmo a gente sabe que nos gostamos até hoje. Agradeço a família que eu tenho agora. Mas nunca se apagará da memória aquele momento. Luís Guilherme Flores – Etapa V
  74. 74. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 74
  75. 75. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 75 João que morreu por paixão A história começa com um rapaz chamado João. Ele era um rapaz solitário, andava sempre sozinho, nunca havia conhecido uma garota. Ele saía sempre acompanhado por Deus, que nunca o havia deixado sozinho. Certo dia, João estava trabalhando na fazenda do seu avô, quando avistou um carro chegando e ele pôde ver uma garota dentro daquele carro que chamou a sua atenção. Ele perguntou para o seu avô: — Vô, quem é aquela garota? O avô respondeu: — Aquela garota é nossa vizinha e veio morar aqui do lado do nosso sítio. E João ficou contente. Um certo dia pela manhã, bem cedinho, João estava indo para o seu sítio trabalhar quando encontrou a nova vizinha que estava andando a cavalo. Ela parou e perguntou a João: — Onde fica o mercado mais perto daqui? João respondeu: — Fica a dois quilômetros daqui. E ela agradeceu a João e ele ficou muito feliz. No entanto, ele percebeu que o cavalo da garota estava meio esquisito, começando a dar pinotes e ela acabou caindo do cavalo. João, prontamente foi ajudá-la, quando o cavalo deu um coice na altura do seu peito, atingindo o coração. Assim ele morreu sem conhecer o verdadeiro amor. Elizandro Rieger Martens – Etapa VI
  76. 76. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 76
  77. 77. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 77 O amor verdadeiro A minha história de amor não teve um final feliz, porque a mulher pela qual eu me apaixonei brigava muito comigo. Eram briguinhas banais, por ciúmes sem motivo. Nós ficamos juntos no ano de 2001. O cunhado do meu irmão foi viajar e me deu a chave da sua casa para eu cuidar e alimentar os cães. Deu-me carta branca, ou seja, eu poderia levar para lá quem eu quisesse, amigos e amigas conhecidos. Mas foi tudo muito rápido e não deu para combinar nada. Mas eu conheci, num bar próximo à casa, uma moça que ao me ver pela primeira vez falou dos meus olhos, perguntando se eu era casado. Muito tímido, senti as minhas pernas bambas. Eu respondi rapidamente, mostrando também as minhas mãos sem o sinal da aliança. Fui para a minha casa e quando já estava com a chave da casa que eu iria cuidar, fui ao encontro dela. Ela vinha de uma desilusão amorosa e aceitou a minha proposta. Ainda bem. Ela foi honesta e me falou que estava grávida. Mas eu a aceitei e ficamos aquela noite juntos e foi muito bom. Ficamos juntos outras vezes. Também passamos a noite de Natal na casa da melhor amiga dela. O seu filho, acabei descobrindo, era de um grande amigo meu. Passamos o Ano Novo juntos, nos apegamos um ao outro e fomos morar juntos na casa da praia da minha irmã. Eu recebia para cuidar da casa e recebia também um benefício do INSS. Depois que o filho dela nasceu, mesmo eu assumindo a criança como meu filho, as brigas começaram a surgir e, com o tempo, a aumentar mais e mais, porque eu ia para a igreja orar por ela e por ele. Mas ela achava que eu tinha outra. Aí ela resolveu me deixar e fiquei só. Por isso eu não acredito no amor carnal. O único amor verdadeiro é o de Jesus, pois ele nunca vai te deixar. Sedenir dos Santos Evaldte – Etapa VI
  78. 78. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 78
  79. 79. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 79 Julia e Romeu Era um casal jovem, de famílias diferentes, que não podiam namorar de jeito nenhum. Mas eles se apaixonaram e começaram a namorar às escondidas, mas, infelizmente, o mordomo os encontrou e foi avisar aos respectivos pais do casal. Então, a guerra começou. Mesmo assim eles acharam um esconderijo para se encontrarem e se amarem. Ela chamava-se Julia e ele Romeu. O tempo passou e eles continuavam a se encontrar às escondidas. Eles combinaram de se casar sem que ninguém soubesse. Novamente tudo descoberto, prenderam Julia dentro de casa, impedindo-a de sair. Então ele se desesperou, pensou em uma saída, mas não a encontrou. Achou que nunca mais iria ver a sua amada e tentou se matar. Comprou um remédio e tomou para dormir eternamente e foi para o esconderijo deles. Ela conseguiu escapar e correu para o mesmo lugar. Chegando lá, encontrou seu amado estendido no chão. Achou que ele estava morto, mas ele estava apenas dormindo. Ela tomou o restante do frasco que ele havia tomado. Ela o beijou, deitou-se ao lado dele e morreu. Quando ele acordou, encontrou-a morta e, não suportando viver sem ela, se matou também. Então seus familiares se arrependeram amargamente e se uniram para sempre. Ligia Maria da Silva – Etapa III
  80. 80. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 80
  81. 81. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 81 Reflexões sobre o amor Hoje decidi parar e começar a refletir sobre o amor. E foi exatamente aí que eu comecei a pensar na minha família, nos meus amigos e, por incrível que pareça, pensei em mim. Sinceramente o que me deixou mais impressionado foi quando senti que dos meus olhos saíam lágrimas, que não eram lágrimas de tristeza. Foi nesse momento em que pensei na minha menina, aquela que eu fico olhando da minha janela. Ela é uma menina que eu adoro admirar, mas não sei definir como ela é. Se é um encanto de criança ou um charme de mulher. A única coisa que eu sei é que dentro de mim algo me faz pensar nela. E toda a vez que ponho a cabeça no travesseiro, penso: “Será que é amor ou será uma paixão de adolescente? Não sei. A única coisa que sei é que somente o tempo irá me mostrar se é amor. Jean Marcos de Sales Polack – Etapa VI
  82. 82. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 82
  83. 83. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 83 Desilusão e superação Roberta viveu uma grande história de amor. Conheceu um guri muito legal e bonitinho. Foi amor à primeira vista. Ela começou a ficar com ele, saíam juntos, mas ela não sabia que ele a estava enganando. Ele ficava com ela e também com outras gurias. Ela já estava desconfiando dele quando ele a convidou para sair e uma das gurias, com a qual ele sempre saía, estava na festa, olhando e cuidando para onde ele ia. Roberta já estava ficando muito brava. Ela convidou Rodrigo para ir embora e ele falou que ia rápido ao banheiro e já retornava. Ela aproveitou para olhar a festa e notou que a Patrícia também não estava por perto. Foi quando ela a viu saindo do banheiro. Ela se escondeu e viu Rodrigo saindo logo atrás, fechando o zíper da calça. Ele perguntou à Roberta onde ela estava e ela falou que estava no banheiro. Eles foram embora e, no dia seguinte, ela viu a guria, a tal Patrícia; bateu nela e, depois, terminou com Rodrigo. Ela sofreu muito, porque o amava; mas superou tudo. Conseguiu esquecer e conheceu outro guri que gostava muito dela e lhe dava o verdadeiro valor. Ele morava com os pais. E foi até embora para morar com ela. Eles se casaram e tiveram dois filhos gêmeos. Ele era um delegado de polícia e ela era uma médica. Para cuidar dos meninos, ela me contratou como babá. E eles ainda hoje vivem uma grande história de amor. Dara Ferrugem da Silva – Etapa III
  84. 84. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 84
  85. 85. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 85 Amor incomparável Essa história começa em 2008, no Rio Grande do Sul. Cristiano e Amanda possuíam um amor incomparável. Amanda tinha 13 anos e Cristiano, 16 anos. Isso tudo começou numa “casa abrigo”. Eles, jovens, se conheceram através de uma amiga que estudava na mesma escola. Amanda entregava cartas de Cristiano para Samanta. Um dia, Amanda falou para o Cris que iria entregar a carta da Samanta para ele e eles ficaram brincando: entrega ou não entrega. Ele parou na frente dela e deu um “selinho”. Ele terminou com a Samanta e ficou com a Amanda e eles começaram a namorar. Como eles eram menores e viviam na custódia do Conselho Tutelar, não poderiam ficar juntos enfrentando juízes. Ele foi acusado de abusar de uma menor e como ela não tinha 15 anos ela não poderia namorar com ele; eles não queriam se separar por nada deste mundo. Eles se amavam muito. Quando eles completariam 10 meses de namoro, foram separados pelo Conselho Tutelar. Ela foi para outra casa. Ele, não conformado, começou a aprontar na casa abrigo até ir para a FASE. Ela não acreditava no que estava acontecendo, afirmando que não iria abandoná-lo; pensando no seu sofrimento, separada dele, não queria mais viver. Até que as pessoas contaram a ela a verdade: ele foi preso por estupro e porte de drogas. Um dia os adolescentes iam para um passeio e ela não queria ir. Eles acabaram contando outra coisa que ela não sabia. Ele a traía com sua melhor amiga. Ela se sentia mal porque podia sair, se divertir, dormir bem, enquanto ele não. Acabou que ela fugiu da casa onde estava. Ele ficou dois anos preso, ela ficou grávida e teve uma linda filha. Eles se reencontraram em 2011, mas ela já estava casada. Quando se encontraram, o mundo parou para eles. Ele disse para ela que largaria tudo para viverem juntos, mas ela tinha crescido, não tinha mais sentimentos no coração e, sim, muita raiva. Havia se fechado para o amor e como tinha um boato que a mulher dele estava grávida, ela desistiu do amor da vida dela. Eles ficaram algumas vezes juntos, nada mais. Hoje ela tem namorado, mas não o ama. Vou confessar uma coisa para vocês: ela ainda acredita que um dia eles vão ficar juntos para sempre! Francieli dos Santos da Silva – Etapa III
  86. 86. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 86
  87. 87. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 87 Olhos nos olhos Certo dia Kerolaine resolveu sair com suas amigas. Divertiram-se muito, mas alguma coisa perturbava sua cabeça. Suas amigas, preocupadas com ela, resolveram perguntar se estava bem e ela respondeu que não. Estava nervosa, pois estava apaixonada. Suelen ficou surpresa com a notícia, mas Bruna e Karen adoraram. O que elas não estavam entendendo era o motivo deste nervosismo. Ela respondeu a suas amigas que ele era amigo do ex- namorado de sua amiga. E ela havia se apaixonado por ele já havia algum tempo, tendo conversado com ele algumas vezes, mas ele não percebia o seu interesse. Pedro, o seu ex, estava sempre por perto. Sua mãe não queria que ela namorasse, ainda mais se fosse com ele. Ela aproveitou a oportunidade para dizer que já estava com 18 anos e nunca havia se apaixonado de verdade por alguém, não sabendo agora lidar com essa situação. A cada encontro, Kerolaine percebeu que o seu amor estava mais carinhoso. Havia essa certeza pela maneira dele tratá-la: olhos nos olhos e sorrisos, como se ela fosse a pessoa mais importante naquele momento. Sua mãe a proibiu de vê-lo e de sair de casa com as suas amigas. Ele, por sua vez, demonstrava que estava a cada dia mais apaixonado. Elas a ajudaram a encontrar-se com ele, mesmo contra a vontade de sua mãe. Como eles se amavam, resolveram assumir o sentimento que os unia, falando com ela. Diante disso, a mãe, ao ouvir do rapaz que amava sua filha e que iria fazê-la muito feliz, pensou no que era melhor para ela, decidindo dar a sua permissão para que eles pudessem viver essa linda história de amor. Pâmela Josiane Campos da Silva – Etapa VI
  88. 88. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 88
  89. 89. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 89 Caso de amor Era uma vez uma guria que gostava de um homem que era muito “gostoso”. Além disso, era muito bonito. Um dia ele pediu para ficar com ela. A menina aceitou ficar come ele e, durante dois meses, eles passearam por diversos lugares, rolando muitos beijos, etc. O rapaz pediu, então, a moça em namoro e, durante seis meses, ficaram juntos. Foi quando ela ficou grávida. Infelizmente, ela perdeu a criança e tanto ela como ele ficaram muito tristes. Um dia eles brigaram e se separaram para sempre! Sabrina Vieira da Silva – Etapa V
  90. 90. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 90
  91. 91. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 91 Menina mal-amada Tanta coisa me faltou, tanta coisa desejei sem alcançar. Hoje, nada me falta. Era uma pobre menina, mal-amada: frustrei as esperanças de minha mãe desde o meu nascimento. Ela esperava e desejava um filho homem. Em vez de menino, nasceu aquela que se chamaria Ana, conhecida depois como Aninha. Tive a sorte, porém, de ter duas criaturas idosas que me deram seus carinhos: minha bisavó e minha tia Nhorita. Enquanto minha bisavó me cuidava, às vezes eu recebia algumas chineladas da minha mãe. No mais, eu deveria ser, hoje eu reconheço, uma menina enjoada, incomodando as jovens da casa e elas, por vingança, exploravam meu atraso mental, fazendo-me chorar e levar queixas doloridas para a minha mãe, que estava perdida no seu mundo de leitura e de negócios e não me dava atenção. Vitória Dorneles
  92. 92. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 92
  93. 93. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 93 O sentimento do amor Era silencioso o amor. Podia-se adivinhá-lo no cuidado da mãe, enxaguando as roupas nas águas de anil. Era silencioso, mas via-se o amor entre seus dedos cortando a couve, desfolhando repolhos, cristalizando figos, fazendo flores de canela sobre o arroz doce nas tigelas. Lia-se o amor no corpo forte do pai, em seu prazer pelo trabalho, até nas longas tardes de domingo. Era silencioso, mas escutava-se o amor, murmurando, noite adentro, no quarto do casal. A casa, sem forro, deixava vazar esse murmúrio, com o aroma de fumo de canela que invadia os lençóis, para depois filtrar-se por entre telhas. Experimentava-se o amor quando, assentados ao calor da cozinha, pai e mãe falavam de distâncias, dos avôs, das origens, dos namoros, dos casamentos... E, quando o sono chegava para cada menino, em cada tempo, era o amor que carregava cada filho nos braços para a casa, ajeitando o cobertor debaixo do queixo. Eram tardes de domingo, sempre muito longas e vestidas de sossego. A mãe se fazia criança para os filhos. Ao pé da escada, junto da porta da cozinha, estava o tanque de cimento cinza; ele guardava a água fria que despencava do morro, escorregando dentro dos bambus como veias cristalinas. A umidade favorecia viver e crescer ali, musgos verdes, tapetes, por onde pequenas formigas passavam arrastando montes de folhas. E é este olhar acariciado da minha infância, que trago hoje para o meu presente. Bob Marley
  94. 94. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 94
  95. 95. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 95 Do seu lado A partir de um determinado momento, eu passei a acreditar que o grande amor da nossa vida pode estar do nosso lado. Vou contar a história desse grande amor. Eu morava no bairro Viena, rua Duque de Caxias. Fui morar em Viena quando eu tinha quatorze anos. Lá conheci vários amigos, inclusive o Felipe, que era meu colega da escola. Ele passava todos os dias lá em casa, para nós irmos juntos para a escola. Todos que nos viam perguntavam se nós éramos namorados e eu respondia: “Não, somente amigos e nada mais!”. Eu chegava em casa e a minha mãe sempre ficava largando uma charadinha prá mim: — Minha filha, escreve o que eu estou dizendo: você ainda vai acabar ficando com o Felipe! E eu sempre emburrada com a minha mãe. Quando fiz meus quinze anos, convidei todos os meus amigos e minhas amigas. Divertimos-nos muito. Por um momento percebi o Felipe me olhando de cantinho; daí eu perguntei pra ele porque ele estava me olhando. Ele não respondeu, só me puxou para o lado e falou que estava gostando de mim. Eu respondi que nós éramos só amigos. Ele ficou emburrado e foi dançar. Então, uma amiga minha inventou de fazer uma brincadeira que era verdade ou consequência. Todo o mundo topou fazer a brincadeira. A gente começou e pediram para eu girar a garrafa. Girei, caindo em mim e no Felipe. Então uma das minhas amigas pediu para nós nos beijarmos. Nós nos beijamos e foi só ali, através daquele beijo, que eu descobri que gostava muito dele! Moral: nunca julgue ninguém porque um dia você vai acabar gostando dessa pessoa!
  96. 96. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 96
  97. 97. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 97 Minha história Esta é a minha história. Eu vivi um grande amor. Eu conheci um homem por quem eu me apaixonei loucamente. Foi muito bom. Amei demais esse homem. Até que um dia ele foi embora porque eu briguei com ele por causa de ciúmes. E ele nunca mais voltou. Se foi para sempre. Foi o grande amor da minha vida. Loveli Teresinha Dias Gomes – Etapa II
  98. 98. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 98
  99. 99. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 99 Meu primeiro amor Bia, aos 20 anos, dizia sempre que jamais iria namorar. Sua mãe, Antonia, falava que ela só dizia isso porque não havia encontrado ainda alguém que chamasse a sua atenção, que mexesse com o seu coração. Bia ouvia o que sua mãe dizia, mas não acreditava em suas palavras. Bia foi convidada a trabalhar em uma fruteira e seu chefe tinha dois filhos. O mais novo, Bia conheceu na primeira semana que trabalhava e o outro, só ouvia falar dele. Passado um mês, Bia, seu chefe e sua esposa estavam se dando bem. A esposa se chamava Selma e fez uma festa de aniversário para Bia. Combinou tudo com os pais dela e fez a surpresa em sua casa. Chegando o dia da festa, Bia conheceu Wagner, o outro filho de seu chefe. No primeiro momento, Bia não deu muita conversa para o rapaz, pois ele tinha uma namorada. Mas ele não parava de olhar para ela. Ele havia combinado de ir a outra festa com seus amigos e a namorada. Mas ele mandou os amigos irem embora, pois não ia mais. Wagner ficou a noite toda em volta de Bia e ela, nem aí. No outro dia, Bia foi trabalhar. Quando chegou, Wagner estava lá. Queria porque queria que ela fosse com ele a um baile à noite. Ela recusou o convite, pois ele tinha namorada. Ele ficou bem estranho. Algumas horas depois, sua namorada chegou e perguntou quem era a Bia, pois Selma, mãe de Wagner, ligou dizendo que se ela não viesse rápido perderia o namorado. Bia olhou firme para ela e se apresentou. A namorada, respondeu que se chamava Luciene, olhando bem nos olhos de Bia. Disse que o namorado era dela e ai de quem quisesse roubá-lo. Bia aproveitou para responder que não queria, pois ele era mais novo que ela, mas que agora havia mudado de ideia e queria namorá-lo. Wagner assistiu a tudo, terminando o namoro. Naquele dia, Bia e Wagner saíram e ficaram juntos. Um ano depois, se casaram. Os pais de Wagner sempre foram contra. Mas Bia encontrou o seu amor. Wagner provou para todos que merecia o amor de Bia. Eles têm um filho de oito anos e já estão juntos há 11 anos. Bia vive intensamente este primeiro e único amor! Angela de Souza – Etapa IV
  100. 100. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 100
  101. 101. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 101 Só com amor é possível ser feliz O amor entre um casal nunca pode faltar, porque o amor muda tudo: a tristeza, a angústia, a solidão, a infelicidade e a amargura no coração. O casal que se ama tem que ser sincero um com o outro. Não pode ter raiva, nem ciúmes. Só o amor basta para uma pessoa ser feliz. Eu nunca tive um amor verdadeiro. Mas eu nunca vou desistir, porque um dia eu vou encontrar alguém que me dê amor, carinho e ter muita paixão no coração. O amor é uma coisa que vem de Deus para aquele casal que merece ser amado. O companheiro ou companheira só vem quando duas pessoas se amam muito e, aí sim, o amor fica dentro do coração para a pessoa que valha a pena. Eu já amei muito, mas não me arrependo de ter amado uma pessoa que não me deu aquele amor, mas me amou ao seu modo e isso é o que interessa. O amor dos amigos, da família, dos colegas, enfim, das pessoas com as quais nós convivemos, também é muito importante. Por exemplo, o amor de mãe é muito sagrado. Nunca vou deixar de amar a minha mãe, pois ela é o meu primeiro e único amor de todos os tempos. Sentimento transferido para os filhos, quando eles nascerem. Eles serão parte de mim. Não troco o amor por nada. Fernanda Dias Nunes – Etapa III
  102. 102. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 102
  103. 103. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 103 Encontro mágico Tudo aconteceu no dia 30 de agosto, quando na minha vida apareceu uma pessoa; um verdadeiro encontro mágico. E, com toda a certeza, nossas almas se encontraram e se uniram. E Deus, com o seu amor infinito, nos concedeu um presente. No dia 22 de outubro de 2001, ficamos sabendo através de uma ecografia, que eu estava grávida. Foi uma alegria saber que dentro de mim, estava sendo gerado um fruto do nosso amor. O amor é sem dúvida a experiência mais importante da vida de um ser humano. Sou muito feliz, porque amo e sou amada!
  104. 104. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 104
  105. 105. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 105 O amor de um amigo meu Um dia, meu amigo foi a um baile numa vila. O baile iria começar às 22h e 30min. Ele convidou uma amiga dele para ir ao baile e ela não quis ir. E ele disse para mim, que se ninguém fosse com ele, iria dormir até o dia seguinte e não sairia de casa até segunda-feira, quando era hora de ir para a aula. Mas ele resolveu convidar a menina que ele gostava, e ela aceitou o convite. Ela perguntou o horário da festa e combinou com ele de vir buscá-la em casa. Ele saiu, e foi ao centro de Gravataí, para comprar uma roupa bonita e um tênis. Chegando em casa, me contou que ela havia aceitado o seu convite. E eu disse: — Quem aceitou? Ele disse: — A Alessandra, aquela menina que eu gosto. Tomou um banho, colocou a roupa nova e ficou bem bonito para ela. Saiu para buscá-la e foram ao baile. Chegando lá, os dois começaram a dançar e “rolou um clima”. Eles se beijaram. Ela perguntou se ele havia gostado do seu beijo e ele afirmou ter adorado. E ele contou a ela que gostava dela desde os sete anos de idade. Ela falou que sabia, mas que não podia imaginar o amor de pessoa que ele era: carinhoso, amoroso e cavalheiro. Aí ele aproveitou o momento para perguntar se ela gostaria de namorar com ele. E Alessandra afirmou que sim, mas que não gostaria de namorar às escondidas e, sim, na casa dos seus pais. Ele concordou. No dia seguinte, combinaram que ele iria pedir a permissão para os pais dela. O pai dela deixou e eles ficaram muito felizes. E eles estão namorando há dois anos e se amam muito. Flávio Junior da Rosa – Etapa IV
  106. 106. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 106
  107. 107. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 107 Convite para dançar Eu conheci um rapaz num baile, no ano de 1976. Ele era namorado de uma amiga. Eu não sabia, pois naquele tempo eu só saía na companhia de um tio da minha avó. Foi aí que ela resolveu nos levar a um baile lá fora. Lá chegando, logo avistei aquele rapaz e ele também olhou para mim, mas, sem saber que ele tinha namorada, me convidou para dançar. Depois que parou a música, ele ficou perto de mim. Veio aquela amiga e me disse se eu conhecia o namorado dela e eu disse não. Ela virou-se para ele e me apresentou. Foi nesse momento que ele não foi mais dançar com ela e, sim, comigo, não saindo mais de perto de mim. Namoramos dois anos e depois casamos e tivemos um filho. Somos muito felizes! Rejane Maciel Cherolt – Etapa II
  108. 108. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 108
  109. 109. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 109 Batidas do coração Há muitos anos atrás, havia um rapaz que se chamava Jorge. Ele era muito dedicado ao serviço. Mas um dia ele foi buscar os cavalos no campo. E ele avistou uma linda moça lavando suas roupas no riacho perto do rebanho de ovelhas. Ele chegou mais perto da moça, apresentando-se, e ela, de forma educada, respondeu. Contou que ao selar o cavalo, a tinha visto de longe e se encantado por sua beleza, e que o seu coração batera mais forte. E ela, encantada, disse ter acontecido com ela a mesma coisa. Ele confessou que o seu pai, quando ainda era vivo, disse que isso era o amor. E Jorge afirmou que iria amá-la mais que tudo nessa vida e que seria para sempre. Roberto Carlos da Silva dos Santos – Etapa IV
  110. 110. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 110
  111. 111. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 111 Amores O amor é um sentimento capaz de mudar qualquer ato. O maior amor que Deus nos mostrou foi enviando o seu único filho para morrer pelos nossos pecados. O amor de uma mãe ao dar a luz e escutar o choro e até se esquecer da dor e sofrimento porque passou é o maior símbolo do amor. O amor dos corações apaixonados, batendo enlouquecidamente, capaz de superar as maiores barreiras. Para o amor não existe desigualdade, diferenças... O amor é respeito, virtude, paz, alegria, felicidade, fidelidade. O amor é tudo isso e muito mais! Helio de Brito – Etapa V
  112. 112. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 112
  113. 113. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 113 Gesto de amor Estava chegando o aniversário de 15 anos de uma amiga minha. Mas a família dela era muito pobre e não podia dar uma festa para a sua filha. O que aconteceu foi que a comunidade e seus vizinhos se reuniram e repartiram as despesas de tudo: vestido, aluguel do salão e do som, bolo e uma bela festa. Foi uma surpresa para a minha amiga. Ela estava muito linda e muito feliz, pois nunca tinha ganhado uma festa assim, com bastante fotos. Ela ficou maravilhada. Foi o dia mais feliz da sua vida. E eu também fiquei muito feliz de ver aquela menina, juntamente com sua família, feliz por ter realizado o seu sonho. Como é bom a gente poder ajudar alguém que precisa, é um gesto de amor! Eva Chagas Carvalho – Etapa VI
  114. 114. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 114
  115. 115. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 115 Uma grande história No dia 03 de janeiro de 2002, eu conheci um homem que mudou a minha vida. Digo isso, porque sou uma mulher difícil e ele também. Eu já era mãe e ele, pai. Eu me separei e ele também. Logo que nós nos conhecemos, nos apaixonamos de uma maneira que muitas pessoas diziam: “A Karen e o Daniel estão sempre abraçados”. Eu não me importava, porque o nosso amor é grande. Foi tão bom, tão maravilhoso, que nós dois resolvemos mudar de cidade e morar noutro lugar. Eu, ele e meu filho pequeno. Saímos só com a roupa do corpo. A minha família deu apoio e a dele também. Saímos de Canguçu e fomos para Porto Alegre. Viemos e começamos a ter dificuldades na nossa vida. Não desistimos e, hoje, conseguimos tantas coisas na nossa vida! Trabalho, estudo, assim tem sido a nossa vida. O meu filho estuda pela manhã. Hoje ele está um moço. Daniel o cria como se fosse seu filho e eu tenho um ótimo marido, companheiro, amigo, namorado, que não irei trocar por homem nenhum. Por quê? Porque ele me faz muito feliz! Essa é um pouco da minha história. Quelen Odila P. Lucas – Etapa IV
  116. 116. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 116
  117. 117. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 117 Amor inesquecível Eu encontrei o amor da minha vida! Era um dia muito frio, chovendo muito. Passamos um pelo outro e trocamos olhares. Naquele dia, ficamos trocando juras de amor. Prometemos nunca nos separar. Mas um dia, ela não veio ao nosso encontro e eu fiquei muito assustado, porque ela nunca havia faltado. Fui atrás dela e encontrei muita gente amontoada na rua, e eu perguntei o que estava acontecendo. Era o meu amor, que estava caída no chão. Tinha sofrido um acidente. Eu a peguei nos meus braços, conseguimos nos falar e ela morreu. Minha vida ficou sem sentido!
  118. 118. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 118
  119. 119. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 119 A maior história de amor Desde que eu a conheço, essa é para mim, a maior história de amor de todos os tempos: é a história de Deus, que deu o seu único filho, por amor a humanidade. Amor igual a este, jamais alguém tem: dar o seu filho para morrer na cruz, pela humanidade. A história de amor de Deus é real e verdadeira. É um amor sem fim. Eu e você, que está lendo esse texto agora, jamais daríamos o nosso filho, por amor a alguém. Amor puro e sincero assim, só Deus! Mara Sirlei de Carvalho – Etapa II
  120. 120. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 120
  121. 121. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 121 A voz do coração Era uma vez uma menina que se apaixonou por um rapaz. E ela ficou com ele. Ela tinha um grande amigo, alguém em que confiava. Toda a dúvida que tinha, ela ia falar com ele, para saber o que achava. Quando sentiu que estava apaixonada, perguntou ao Roberto o que ela devia fazer. Ele respondeu que ela devia fazer o que seu coração mandava. Maria foi ao encontro de Julio e se declarou para ele. Disse que não parava de pensar nele, querendo saber se Julio também sentia o mesmo por ela, pois sempre que ela passava, ele ficava olhando para ela. Ele recém havia terminado o namoro e ela, preocupada, achava que enquanto a outra não voltava, ele poderia querer passar o tempo com ela. Julio marcou um encontro com Maria, à noite, na casa dele. Ela concordou, mas não viu que, pelas costas, ele deu uma risadinha e disse bem baixinho que naquela noite iria “se dar bem”. Maria foi correndo contar ao amigo Roberto sobre o encontro com Julio. Julio, ao contrário do outro, virou-se de costas para Maria e fez uma cara de tristeza. Na hora marcada, Maria estava na casa de Julio. Ele logo começou a agarrá-la, oferecendo uma bebida. Ela que, até aquele momento, estava feliz, começou a empurrá-lo e a dar-se conta do erro que fizera. Chorando, saiu desesperada e bateu na casa do seu velho amigo, Roberto. Ela, contou que ele só queria se divertir. Roberto, então, aproveitou o momento para confessar que às vezes, o grande amor pode estar ao seu lado, e as pessoas não se dão conta. Foi aí que Maria se ligou no que ele estava dizendo. E os dois ficaram juntos para sempre! Priscila de Borba da Silva – Etapa IV
  122. 122. Histórias de Amor CEREJA EMEF Antonio Aires de Almeida 122
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×