2

360 views
311 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
360
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

2

  1. 1. 2 Os olhos de Gabriel foram abrindo lentamente e aprimeira imagem que viu foi de um teto de um carro pordentro. Alguns segundos depois, as lembranças vieram eele deduziu que estava no táxi em que uma mulherdesconhecida tinha dopado-o. O veículo estava parado e seu corpo estava deitado defrente no banco traseiro, com seus braços e pernasamarrados com cordas. O pouco que ele podia ver dajanela à sua frente, percebia que era noite. Não tinha amínima noção de onde estava, mas sentia que estava emum local deserto. O único som que conseguia ouvir comfreqüência, de muito longe, era o de carros na pista, o queo fez concluir que estivesse perto de alguma rua ouavenida movimentada.
  2. 2. Participe da criação do livro e concorra a um exemplar www.depois-da-meia-noite.blogspot.com O medo logo começou a tomar conta dele. Seu instintode sobrevivência ordenou que ele saísse o mais rápidopossível dali, mas por mais que tentasse se desvencilhardas cordas era inútil. A única chance que tinha deescapar, era gritar ou chamar alguém, já que não tinhamvedado a sua boca. Mas logo desistiu ao ouvir passos dealguém se aproximando. O medo começou a dar lugar aopavor. O som dos passos cada vez ficavam maispróximos até que enfim pararam. Gabriel sentia quealguém estava à frente da porta em que estava e nadapodia fazer para se defender. A porta foi aberta e ao ver orosto de seu suposto assassino, disse suspirando: — Meu Deus... Pensei que fossem eles. Natasha que estava segurando um gravador, disse: — Desculpa o mal jeito. Mas infelizmente tive quefazer isso. Não se preocupe. Não vou te machucar. Vocêprecisa apenas me contar algumas coisas e pronto. Eu tesolto e você vai embora. Gabriel fechou o cenho e perguntou em um tomintimidador: — Você está disposta a pôr a sua vida em risco? Natasha franziu a testa, estudou a pergunta de Gabrielpor alguns segundos e respondeu: — Nossa. Precisa mesmo de tudo isso para não contaro segredo dessa maldita tatuagem? Gabriel fez que não com a cabeça e disse: — Você acha que é a primeira que me seqüestra?Você acha que vai ser a primeira que vai descobrir tudo?
  3. 3. Aurélio Simões, autor do blog e do livro— Gabriel deu uma risada e continuou. — Várias pessoasjá descobriram. Mas todas foram mortas. E tenho certezade que você nunca ouviu falar nada sobre isso, não émesmo? Quer saber o porquê? Porque tudo foiencoberto. Por trás do que você quer tanto descobrir,minha cara, existe gente muito poderosa. Você sabe quecom dinheiro se compra tudo. E eles compram o silênciode quem quer que seja em benefício deles. Eles estãochegando. Aquela foto que tirei com o Prefeito foi só umaapresentação. Eles me usaram. Eu pensei que tinha medado bem, mas com o tempo fui percebendo que eu tinhafeito a maior besteira da minha vida. Acredite. Esqueçatoda essa história e viva em paz, antes que seja tarde. Natasha ouviu atentamente tudo o que Gabriel disserae ela sentiu que ele estava dizendo a verdade. Todos osargumentos dele eram irrefutáveis. Uma sensação demedo começou a despertar nela e uma súbita e forçadadecisão foi tomada. A de seguir o conselho dele. Natashaentão se desfez do gravador pondo-o no banco dianteiro. Natasha aproximou-se de Gabriel, o pôs sentado nobanco e sentou-se ao lado dele. Envergonhada do quetinha feito e sem ter coragem de olhar para o rosto dele,disse: — Nem sei o que te dizer. Eu acho que perdi acabeça. Bem, eu vou te soltar e... — Onde estamos? — perguntou Gabriel olhando pelajanela. — Em Copacabana, próximo a uma praça.
  4. 4. Participe da criação do livro e concorra a um exemplar www.depois-da-meia-noite.blogspot.com Outras lembranças vieram à mente de Gabriel e eleperguntou: — Aquele homem que estava gritando... Antes de euentrar no táxi. Por acaso você... — É. Eu fiz essa besteira também. — Meu Deus! Você deixou uma pista para eles. — Pista? Como assim? —Com certeza eles desconfiaram. Uma mulherroubando um táxi. Com certeza devem ter anotado aplaca e... Há quanto tempo estamos parados aqui? — Há uns vinte minutos. — Tenho que sair daqui! — disse Gabriel apavorado— Me solte! Anda, me solta! Natasha rapidamente pegou sua bolsa da qual retirouuma faca. Após alguns minutos, soltou os braços e aspernas de Gabriel. Imediatamente ele assumiu a direçãoe disse: — É melhor você descer do carro — disse Gabrielentregando a bolsa para Natasha. Natasha assentiu e desceu do carro. Gabriel deu apartida e saiu. Natasha ficou observando Gabriel entrarem uma pista que tinha próximo, quando percebeu umcarro fechar o dele. O sangue de Natasha quasecongelou quando avistou três homens saindo da vanarmados com metralhadoras. Não havia mais nada o queGabriel pudesse fazer. Os três homens alvejaram o carroe não satisfeitos, ainda puseram fogo antes de iremembora. Escondida atrás de uma árvore da praça, o corpo
  5. 5. Aurélio Simões, autor do blog e do livrode Natasha estava trêmulo não só por ser testemunha deum assassinato violento, mas por agora não saber se elapoderia ser a próxima vítima. © Todos os direitos reservados

×