PLHIS Pelotas - Audiência Pública, Etapa 3 - Estratégias de Ação

  • 674 views
Uploaded on

Apresentação da Audiência de Priorização da Etapa 3 - Estratégias de Ação do Plano de Habitação de Pelotas/RS. …

Apresentação da Audiência de Priorização da Etapa 3 - Estratégias de Ação do Plano de Habitação de Pelotas/RS.
Apresentação final do Plano Local de Habitação de Pelotas durante a 5ª Conferência da Cidade.
Foram apresentados os resultados gerais do Diagnóstico, os eventos participativos presenciais e virtuais e, principalmente, as diretrizes para as ações de promoção habitacional, melhoria da infraestrutura e promoção da qualidade de vida da população.
Maiores informações no blog do PLHIS.
http://plhispelotas.blogspot.com.br/

More in: News & Politics
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
674
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9

Actions

Shares
Downloads
6
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Plano Local de Habitação de Interesse SocialAudiência públicaEtapa 3: Estratégias de Ação5ª Conferência Municipal da CidadePelotas, 15 de junho de 2013MUNICÍPIO DE PELOTASPODER EXECUTIVO
  • 2. O que já foi realizado
  • 3. • Licitação_ago2010• Contrato_fev2011Etapa preliminar• Audiência Pública_julho 2011Etapa 1METODOLOGIA• Oficina_outubro 2011• Audiência Pública_novembro 2012Etapa 2DIAGNÓSTICO• Oficina_maio 2013• Audiência Pública_junho 2013Etapa 3ESTRATÉGIAS AÇÃO...2030O que já foi feito e o futuroParticipação contínua no CONSELHO DE HABITAÇÃO+ Execução dos PROGRAMAS e PROJETOS2013201220112010
  • 4. Oficina: locais com maiores problemas• Balsa,• Corredor doObelisco,• Dunas,• Fundos do Dunas,• Getúlio Vargas,• Navegantes,• Próximo ao Anglo,• Vila CastilhosOUTROS:Bom Jesus, DarcyRibeiro, Fragata, FundosGuabiroba, Guabiroba, início da Osório, JardimEuropa, Lindóia, Passeiosdo Dunas, Passo doSalso, Pestano, SimõesLopes, SítioFloresta, Vasco Pires, VilaCarvalho, VilaFarroupilha, VilaGovernaço.
  • 5. Mapa Participativo
  • 6. Blog - plhispelotas.blogspot.com.brhttp://plhispelotas.blogspot.com.br
  • 7. Facebook - /plhispelotas
  • 8. Twitter - @plhispelotas
  • 9. Audiência Pública Etapa 1 – Metodologia
  • 10. Oficina de Construção Coletiva – Diagnóstico
  • 11. Oficina Mapa Participativo – CDD Dunas
  • 12. Oficina Mapa Participativo – E.M. Ferreira Viana
  • 13. Audiência Pública Etapa 2 – Diagnóstico
  • 14. Oficina de priorização Etapa 3 – Estratégias
  • 15. Produtos da priorização
  • 16. Oficina – Atividade individual1. Onde você acha que devem ser feitos os investimentos emhabitação e infraestrutura?2. Como você gostaria de encaminhar suas demandas? Qual omelhor canal de reivindicação e participação popular?1.No bairro Fragata, próximo à rodoviária;2.Nas zonas mais carentes como: Farroupilha, Governaço, Getúlio Vargas,Navegantes;3.Na Cohab Fragata pois tem muitas praças que servem só para colocar sujeira eentulho – são aproximadamente 27 praças;4.Governaço, Guabiroba, áreas de lazer, escolas, unidades básicas de saúde,transporte, segurança;5.Infraestrutura no bairro Eldorado;6.Área com boa infraestrutura, classificação pelo poder aquisitivo – I e II (I –condomínio fechado, II – residencial aberto).7.Menos áreas de lazer e mais creches;8.Mais participação dos órgãos públicos;9.Creches, oficinas jovens;10.Classificar o poder aquisitivo;11.Gostaríamos que fosse feita uma obra social que abrangesse todo o bairroFragata para nossas crianças e jovens;12.Em habitação, casa para todos;13.Saneamento básico, calçadas, transporte público;14.Os investimentos em habitação devem privilegiar vazios urbanos para otimizara infraestrutura já existente. As áreas já ocupadas, na maioria em situação precáriae que compõe a maioria dos loteamentos populares, devem receber osinvestimentos em infraestrutura, prioritariamente em relação a áreas centrais;15.Nos bairros já existentes;16.Rua 30, bairro Dunas, habitação, infraestrutura, as. Social;17.Fragata, Guabiroba, creches, escolas qualificadas;18.Gostaria que fossem construídos uma creche e um centro social no bairroFragata para atender as nossas crianças e adolescentes – para tirá-los da rua;Creche, oficina para jovens, cursos de qualificação de poder aquisitivo;19.Simões Lopes;20.Área com boa infraestrutura, classificação pelo poder aquisitivo – I e II (I –condomínio fechado, II – residencial aberto), menos área de lazer e mais creche;21.Na periferia, Sítio Floresta, Vila Princesa, Sanga Funda, Areal e cidade de Lisboa;22.Os investimentos para habitação devem ser aplicados nos vazios urbanos, utilizandode infraestrutura urbana e serviços básicos já existentes. Os investimentos deinfraestrutura devem ser aplicados onde estão localizados os novos empreendimentosque expandiram a cidade;23.Investimento na periferia, principalmente em praças e áreas de uso comum;24.Nas áreas vazias dentro do perímetro urbano;25.Gostaria que eles ouvissem melhor a classe menos favorecida;26.A participação é um processo a ser construído. Deve iniciar nos núcleos residenciais;27.Participação popular via câmara de vereadores e habitação;28.Associações de moradores/bairros com representação no conselho municipal dehabitação;29.O melhor canal para a participação popular é via comunidade organizada;30.Gostaria de novas audiências públicas como esta. E também em reuniões nosbairros;31.Criar núcleos de bairro – juntar o tema da habitação e sustentabilidade;32.Via internet, e para as pessoas desprovidas do acesso, no calçadão de Pelotas;33.Participação popular, câmara de vereadores e habitação, e Caixa EconômicaFederal;34.Nas associações de bairro;35.Associações, escolas;36.Com a secretaria com termo de compromisso para prazo da demanda;37.Câmara de vereadores;38.Audiências nos bairros, secretarias, associações de bairros;39.Mais publicidade em: jornais, cartazes em bairros e escolas;40.Audiências nos bairros, secretarias, associação de bairros, regularizar área deGuabiroba que pertence ao estado;41.Audiências públicas, participação popular;42.Tendo contato mais direto com serviço social, audiências na câmara de vereadores;44.Pode ser por audiências públicas, em reuniões e nos bairros;45.Reuniões mensais com o executivo;46.Falar mais com o povo.Respostas
  • 17. Oficina de priorização – Atividade individualPrincipais pontosQuestão 1: onde investir... Investimentos principalmente no bairro Fragata(Cohab Fragata, Guabiroba, Simões Lopes); Construção de creches e equipamentos paracrianças e jovens; Investimento nas praças existentes; Infraestrutura nas periferias;Questão 2: como encaminhar... Associações de bairro com representação noConselho Municipal de Habitação; Audiências públicas nos bairros; Câmara de Vereadores.
  • 18. Oficina – Atividade em grupoPriorização das linhas de açãoLINHAS DE AÇÃO NÚMERO DE VOTOSGestão pós ocupação 13Construção e qualificação deequipamentos públicos6Construção de infraestrutura 5Regularização fundiária 3Urbanização das áreas de risco 1Construção de novas casas 0Melhoria de casas 0
  • 19. Visitas à Zona Urbana e Rural
  • 20. Localização das visitas à Zona Urbana
  • 21. Visitas à Zona UrbanaPestanoAv. Idelfonso Simões LopesPestanoAv. Idelfonso Simões Lopes
  • 22. Visitas à Zona UrbanaNavegantesLaranjalNavegantesLaranjal
  • 23. Barragem Santa Bárbara Barragem Santa BárbaraVisitas à Zona UrbanaMargem da BR116 Barragem Santa Bárbara
  • 24. Visitas à Zona UrbanaSanta Bárbara – leito novo Santa Bárbara – leito novoSanta Bárbara – leito antigo Santa Bárbara – leito antigo
  • 25. Santa Bárbara - bifurcaçãoVisitas à Zona UrbanaSanta Bárbara - bifurcaçãoBarragem Santa Bárbara Barragem Santa BárbaraDunas Dunas
  • 26. COHAB GuabirobaCOHAB Fragata - GotuzzoVisitas à Zona UrbanaCOHAB Fragata - GotuzzoCOHAB Guabiroba - FRAGET
  • 27. Simões LopesBalsaBalsaVisitas à Zona UrbanaSimões Lopes
  • 28. Visita à Zona Rural
  • 29. Visitas à Zona Rural
  • 30. Visitas à Zona Rural
  • 31. Visitas à Zona Rural
  • 32. Relembrando a Etapa 2 – Diagnóstico
  • 33. DÉFICIT QUANTITATIVOInadequaçãofundiáriaAdensamentoexcessivoInexistência deunidadesanitária internaCarênciainfraestruturaInadequaçãourbanísticaDomicíliosimprovisadosCoabitaçãoDomicíliosprecáriosÔnus excessivoRelocaçõesINADEQUAÇÃODefinição dos problemas habitacionaiscasas e terrenos que podem melhorar casas a construir (ou a re-contruir)
  • 34. Déficit quantitativoZONADOMICÍLIOSPART.PERMAN.DOMICÍLIOSIMPROVISADOSDOMICÍLIOSPRECÁRIOS COABITAÇÃOÔNUSALUGUEL TOTALURBANA 107.157 54 964 5.941 5.735 12.694RURAL 6.794 11 100 793 - 904TOTAL 113.951 65 1.064 6.734 5.735 13.598% DOM.TOTAL 100% 0,06% 0,93% 5,91% 5,03% 11,93%ZONAURBANA 107.157 54 964 5.941 5.735 12.694RURAL 6.794 11 100 793 - 904TOTAL 113.951 65 1.064 6.734 5.735 13.598% DOM.TOTAL 100% 0,06% 0,93% 5,91% 5,03% 11,93%casas a construir (ou a reconstruir)
  • 35. InadequaçãoZONADOMICÍLIOSPART. PERM.INAD.FUNDIÁRIAURBANAADENS.EXCESSIVOCARÊNCIADE SANIT.INTERNOINAD. DEABAST. DEÁGUAINAD. DEESGOT.SANITÁRIOINAD. DECOLETA DERESÍDUOSURBANA 107.157 829 3.308 1.479 1.320 12.596 477RURAL 6.794 - 241 433 1.316 4.254 2.339TOTAL 113.951 829 3.549 1.912 2.636 16.850 2.816% DOM.TOTAL 100,00% 0,73% 3,11% 1,68% 2,31% 14,79% 2,47%URBANA 107.157 829 3.308 1.479 1.320 12.596 477RURAL 6.794 - 241 433 1.316 4.254 2.339TOTAL 113.951 829 3.549 1.912 2.636 16.850 2.816% DOM.TOTAL 100,00% 0,73% 3,11% 1,68% 2,31% 14,79% 2,47%casas e terrenos que podem melhorar
  • 36. DÉFICIT BÁSICO INADEQUAÇÃOANO DOMICÍLIOSDOMICÍLIOSIMPROVISADOSDOMICÍLIOSPRECÁRIOS COABITAÇÃOÔNUS EX.ALUGUELIN. FUNDIÁRIAURBANAADENS.EXCESSIVOAUSÊNCIASANITÁRIACARÊNCIAÁGUACARÊNCIAESGOTO CARÊNCIA LIXO2010 129.128 158 770 6.557 3.468 - 3.426 2.704 2.167 3.657 6.7642030 132.589 162 791 6.733 3.561 - 3.518 2.776 2.225 3.755 6.945Fonte: equipe PLHIS Pelotas
  • 37. DÉFICIT BÁSICO INADEQUAÇÃOANO DOMICÍLIOSDOMICÍLIOSIMPROVISADOSDOMICÍLIOSPRECÁRIOS COABITAÇÃOÔNUS EX.ALUGUELIN. FUNDIÁRIAURBANAADENS.EXCESSIVOAUSÊNCIASANITÁRIACARÊNCIAÁGUACARÊNCIAESGOTO CARÊNCIA LIXO2010 129.128 158 770 6.557 3.468 - 3.426 2.704 2.167 3.657 6.7642030 132.589 162 791 6.733 3.561 - 3.518 2.776 2.225 3.755 6.945Fonte: equipe PLHIS Pelotas
  • 38. Interação carência x meio-ambienteFonte: equipe PLHIS Pelotas
  • 39. Assentamentos precáriosFonte: equipe PLHIS Pelotas
  • 40. AEIS Plano DiretorFonte: 3° Plano DiretorI- Praça Aratiba;II- Vasco Pires;III- Clara Nunes;IV- Darcy Ribeiro;V- Dunas;VI- Bom Jesus;VII- Navegantes I, II e III;VIII- Mário MeneguettiIX- Ambrósio Perret;X- quarteirão 545(M);XI-Loteamento Novo Milênio;XII- Febem-Krolow;XIII- Loteamento Salgado Filho I e II;XIV- Loteamento Santos DumontXV- GuadalajaraXVI- Rede Ferroviária Federal/TrêsVendas(Travessa Bruno Chaves);XVII- Ocupação Estrada daBarragem(Av. 25 de Julho);XVIII- Ocupação Santa Terezinha;XIX- Ilha da Páscoa;XX- Rota do Sol;XXI- Corredor do Contorno;XXII- 22 de Maio;XXIII- Vila Peres;XXIV- Vila Jacob Brod;XXV- RFFSA-Sítio Floresta;XXVI- Vila Francesa;XXVII- COHAB Pestano;XXVIII- Bairro Pestano;XXIX- Bairro Getúlio Vargas.
  • 41. Levantamento Jorge Alves150 assentamentosFonte: Sr. Jorge Alves
  • 42. Produção pública de habitação 2005-2012Fonte: dados Prefeitura de Pelotas (2012)Mapa: equipe PLHIS Pelotas
  • 43. MUNICÍPIOINDICADORCAPACIDADEADMINISTRATIVARANKING CAPACIDADEADMINISTRATIVARANKING INVESTIMENTOEM HIS 2005RANKING RECEITAS PROP.E POTENCIALARRECADAÇÃORio Grande 4,8750 24 242 149Jaguarão 4,7500 34 213 149Pelotas 4,6250 39 33 149Pedras Altas 3,7500 107 242 149Piratini 3,7500 107 242 1Arroio Grande 3,6250 120 142 1Herval 3,6250 120 189 149Pinheiro Machado 3,6250 120 242 149Santa Vitória do Palmar 3,6250 120 195 149São Lourenço do Sul 3,6250 120 171 1Pedro Osório 3,5000 143 88 1Canguçu 3,2500 204 21 1Santana da Boa Vista 3,1250 226 242 149Morro Redondo 3,0000 253 242 149Turuçu 3,0000 253 73 412Amaral Ferrador 2,8750 275 96 412Chuí 2,7500 295 242 149São José do Norte 2,6250 316 74 149Tavares 2,0000 390 242 1Arroio do Padre 1,2500 442 242 149Capacidade administrativa 1999-2004Comparação com municípios do COREDE Sul
  • 44. Vazios urbanos – potencial de ocupaçãoFonte: dados Prefeitura de Pelotas (2012)/UFPel (2010)Mapa: equipe PLHIS Pelotas
  • 45. Custo do solo urbano: valor venal 2012Fonte: dados Prefeitura de Pelotas (2012)Mapa: equipe PLHIS Pelotas
  • 46. Fontes disponíveisde recursos
  • 47. Desafios da Etapa 2 – Diagnóstico :PROBLEMAS HABITACIONAISEstratificação social;Interação pobreza x meio ambiente;Déficit habitacional de 13.598 unidades;Grande número de áreas precárias.
  • 48. Desafios da Etapa 2 – Diagnóstico :INSTITUCIONAISInoperância do Conselho da Habitação;Produção pública abaixo da capitais regionais/RS;População pouco participante;Pequena Inadequação da legislação;Carência de estrutura de gestão para HIS.
  • 49. Propostaspara as Estratégias de Ação
  • 50. Estrutura de açãoESTRATÉGIAS PARA HABITAÇÃOPRÉ-REQUISITOSÀ POLÍTICA DEHISINTERVENÇÃOINTEGRADAQUALIFICAÇÃO EPROVISÃOHABITACIONALAÇÕES, PROJETOS E PROGRAMAS CONTINUADOS
  • 51. Pré-Requisitos para a Política HabitacionalSistema de participação municipalFundo e Conselho de Habitação, cogestão da políticahabitacional, Assistência Técnica a MoradiaSistema de participação localAcompanhamento de projetos, gestão pós ocupação, conselhos deplanejamento localIntegração habitação e desenvolvimento urbanoPlanejamento Estratégico: integração com des. econômico e do solourbano, novas AEIS e gestão dos vazios urbanos, qualificação da cidadeFortalecimento do sistema de gestão dosinvestimentosIntegrar Unidade Gestora de Projetos (UGP), ao desenvolvimento urbanoe HIS, utilizar Fundo de HIS estrategicamente
  • 52. Eixo 1: Intervenção integradaSISTEMATIZAÇÃO E MAPEAMENTO das áreasinadequadas (titulação, regramentourbanístico, falta de infraestrutura agregada atitulação)IMPLEMENTAÇÃO INTEGRADA de melhorias,novas moradias, programas socioambientais erelocações.Plano de REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA
  • 53. Intervenção integradaFonte: equipe PLHIS Pelotas
  • 54. Intervenção integrada:159 Áreas de Precariedade e Irregularidade...
  • 55. Int. integrada – T1: título ou infraestruturaLEGENDA:1) Irregularidade por titularidade ou falta de infraestrutura;2) Irregularidade por titularidade e falta de infraestrutura;3) irregularidade com necessidade de remoção parcial;4) irregularidade tipo (1) ou (2) com necessidade de remoção parcial.Obeslico Dunas
  • 56. Int. integrada – T3: remoção parcialLEGENDA:1) Irregularidade por titularidade ou falta de infraestrutura;2) Irregularidade por titularidade e falta de infraestrutura;3) irregularidade com necessidade de remoção parcial;4) irregularidade tipo (1) ou (2) com necessidade de remoção parcial.Barragem Santa Bárbara Cohab Fragata
  • 57. Eixo 2: Qualificação e provisão habitacionalQualificação AMBIENTAL URBANA(infraestrutura)Construção e qualificação dosEQUIPAMENTOS E SERVIÇOS PÚBLICOSProvisão HABITACIONAL(casas novas e substituição)MELHORIA de casas existentes
  • 58. DÉFICIT BÁSICO INADEQUAÇÃOANO DOMICÍLIOSDOMICÍLIOSIMPROVISADOSDOMICÍLIOSPRECÁRIOS COABITAÇÃOÔNUS EX.ALUGUELIN. FUNDIÁRIAURBANAADENS.EXCESSIVOAUSÊNCIASANITÁRIACARÊNCIAÁGUACARÊNCIAESGOTO CARÊNCIA LIXO2010 129.128 158 770 6.557 3.468 - 3.426 2.704 2.167 3.657 6.7642030 132.589 162 791 6.733 3.561 - 3.518 2.776 2.225 3.755 6.945Fonte: equipe PLHIS Pelotas
  • 59. DÉFICIT BÁSICO INADEQUAÇÃOANO DOMICÍLIOSDOMICÍLIOSIMPROVISADOSDOMICÍLIOSPRECÁRIOS COABITAÇÃOÔNUS EX.ALUGUELIN. FUNDIÁRIAURBANAADENS.EXCESSIVOAUSÊNCIASANITÁRIACARÊNCIAÁGUACARÊNCIAESGOTO CARÊNCIA LIXO2010 129.128 158 770 6.557 3.468 - 3.426 2.704 2.167 3.657 6.7642030 132.589 162 791 6.733 3.561 - 3.518 2.776 2.225 3.755 6.945Fonte: equipe PLHIS Pelotas
  • 60. Matriz de infraestruturaFonte: equipe PLHIS Pelotas
  • 61. InfraestruturaDunasAv. idelfonso Simões LopesPestanoCohab Guabiroba - FRAGET
  • 62. Indicação do tipo de AEISFonte: UFPEL/Naurb (2010)Mapa: equipe PLHIS PelotasAEIS I: Áreas públicas ouprivadas em APP parareg. fundiáriaAEIS II: Áreas públicas ouprivadas em APP parareg. fundiáriaAEIS III: Glebas e imóveissubutilizados ou nãoutilizadosAEIS IV: Áreas ocupadaspor população de baixarenda, localizadas nainterface urbano-rural
  • 63. Propriedade e irregularidadeFonte: UFPEL/Naurb (2010)Mapa: equipe PLHIS Pelotas
  • 64. Disponibilidade de terrapara habitação
  • 65. Áreas desocupadasFonte: equipe PLHIS Pelotas
  • 66. Relação AEIS x ambiente x potencial ocupaçãoFonte: UFPEL/Naurb (2010)
  • 67. Potencial para ocupaçãoFonte: equipe PLHIS Pelotas
  • 68. Potencial para ocupaçãoFonte: equipe PLHIS PelotasUNIDADES ÁREAS PRIORITÁRIAS ÁREA TOTAL (hA) ÁREA ÚTIL (hA) UNIDADESLoteamento (lotes com 125m²) 1.169,78 760,36 60.828Unifamiliar 80,73 80,73 6.459Multifamiliar 139,29 139,29 27.858total 95.145
  • 69. Custo do solo urbano: valor venal 2012Fonte: dados Prefeitura de Pelotas (2012)Mapa: equipe PLHIS Pelotas
  • 70. Custo do solo por mesozonaMESOZONAS VALOR (R$/m²)Arcoiris 9,99Arroio Pelotas 2,76Baronesa - COHAB Areal 12,29Barragem 5,84Barro Duro 7,53BR-392 21,89CAVG - Aeroporto 24,05Centro Histórico 73,43COHAB Fragata 18,94Colina do Sol 27,89Fórum 13,49Fragata Sul 3,22FRAGET 3,86Getulio Vargas - Sanga Funda 4,77Gotuzzo - Guabiroba 16,42Lindoia 10,70Marina - Chácara Brigada 20,64Novo Mundo 22,63Obelisco - Dunas - Bom Jesus 15,03Porto - Caieira 42,13Recanto de Portugal 18,22Santa Terezinha - Py Crespo 17,15Santo Antonio - Valverde 22,08Simões Lopes 13,68Sitio Floresta 16,45Tablada 9,67Vila Governaço - Distrito Industrial 4,23Vila Princesa 10,95Zona da Várzea 48,66Zona Norte 75,38
  • 71. Custos para produção/melhoriaSINAPI e programas MCidadesComponente Custo unitário (R$)Casa de R$ 19 a R$ 42 milMaterial de construção R$ 8 milApartamento R$ 19 milLote (para HIS, 200m²) de R$ 2-R$ 8 milRegularização fundiária R$ 200 por família
  • 72. Encaminhamentos
  • 73. • Licitação_ago2010• Contrato_fev2011Etapa preliminar• Audiência Pública_julho 2011Etapa 1METODOLOGIA• Oficina_outubro 2011• Audiência Pública_novembro 2012Etapa 2DIAGNÓSTICO• Oficina_maio 2013• Audiência Pública_junho 2013Etapa 3ESTRATÉGIAS AÇÃO...2030O que já foi feito e o futuroParticipação contínua no CONSELHO DE HABITAÇÃO+ Execução dos PROGRAMAS e PROJETOS2013201220112010
  • 74. Próximas ações• Metodologia, Diagnóstico eEstratégiasElaboraçãoPLHIS• Estrut. do órgão habitação + SIG.HIS• Sist. Participação Municipal e Local• Regularização FundiáriaPolíticas decurto prazo• Integração Planej., Des. Urbano e HIS• Intervenção IntegradaPolíticas demédio prazo• Planejamento Estratégico• Plan. e ocupação vazios• Banco de TerrasPolíticas delongo prazo...Participação contínua no CONSELHO DE HABITAÇÃO+ revisão do PLHIS, programas e projetos; integração aosPPA, LDO, etc.2021 a20302015 a20202013 a20142010 a2013
  • 75. Equipe Consultoria:Arq. Tiago Holzmann da SilvaArq. Alexandre Pereira SantosArq. Leonardo M. HortencioArq. Henrique Lorea LeiteArq. Otávio PeresArq. Geisa BugsArq. Júlio Celso Borello VargasArq. Raoni TeixeiraSociol. Eliete GomesAdv. Ricardo WaldmanEquipe Municipal:Jorge AlvesCésar RodriguesMônica OliveiraClaudia LeiteMarta Rosa e SilvaClaudio Adir Régis de SouzaCoordenação do PLHISJoseane Almeida – Secretária Municipal de Gestão da Cidade e MobilidadeMUNICÍPIO DE PELOTASPODER EXECUTIVOContatos:Blog: plhispelotas.blogspot.com.brFacebook: facebook.com/plhispelotasTwitter: @plhispelotasE-mail: plhispelotas@hotmail.com