Trab webquest 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,565
On Slideshare
1,565
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
19
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Webquest no Ensino a Distância - Mestrado TIC – Educação<br />Simão Pedro da Cunha Poléry<br />Universidade Portucalense, Porto, Portugal<br />pedropolery@iol.pt<br />Resumo<br />O presente artigo centra-se na apresentação da aplicabilidade da Webquest no Ensino a Distância dando aqui uma referência às modalidades de E-learning (B-learning e M-learning). Será apresentado um exemplo da aplicação da Webquest no Ensino a Distância, na modalidade de M-learning. O trabalho realizado centrou-se na adaptação de Webquests para o Ensino a Distância e sua aplicação prática. O exemplo prático, numa metodologia M-learning, a webquest tem como título “Aprendendo com as Plantas” trata-se de uma actividade que tenta identificar os tipos de folhas, flores, frutos e caules utilizando a Internet.<br />Palavras chave: Webquest, E-learning, B-learning, M-learning, EAD.<br />Introdução e objectivos<br />Um dos aspectos centrais do processo ensino/ aprendizagem E-learning é hoje indispensável, vivemos num processo de globalização onde a necessidade de encontrar modelos de acessibilidade de distribuição rápida de conhecimento e de conteúdos formativos dirigidos á população geograficamente dispersa está agora mais presente. Percebesse assim a necessidade de tirar o máximo proveito das tecnologias e de se adaptar às características dos alunos conteúdos electrónicos interactivos e em formato multimédia.<br />Webquest<br />Em 1995, em San Diego State University, Estados Unidos, onde o professor Bernie Dodge, propunha a criação de um conceito – Webquest. " Web" significa rede e refere-se à World Wide Web, um dos componentes da Internet " Quest" quer dizer pesquisa, exploração ou procura. A proposta de Dodge era criar sites que auxiliassem na classificação de um determinado tipo de actividades que eram postas em prática nas escolas por meio de projectos educacionais. Além da Internet pode-se usar também o correio electrónico e outras ferramentas de comunicação.<br />Bernie Dodge, professor de tecnologia educacional desde 1980 na San Diego State University, também já desenvolveu diversos softwares que estão no mercado, incluindo PLANalyst, uma ferramenta para a criação de lições. O projecto mais recente é Irrawady, tem um ambiente de escrita que capacita desde as crianças até estudantes de pós-graduação a criar histórias interactivas e simulações na World Wide Web.<br />Página oficial do autor da webquest<br />http://webquest.org/<br />Webquest é uma metodologia que direcciona o trabalho de pesquisa utilizando os recursos da Internet.<br />“As Webquests estão fundadas na convicção de que aprendemos mais e melhor que os outros não individualmente. Aprendizagens mais significativas são resultados de actos de cooperação. Uma Webquest é uma actividade orientada para a pesquisa em que alguma, ou toda, a informação com que os alunos interagem provém de recursos na Internet, opcionalmente suplementados por videoconferência” (Dodge, 1995).<br />Uma webquest é elaborada pelo professor partindo de um tema e propõe uma tarefa, para ser solucionada pelos alunos, reunidos em grupos apartir de fontes de informações especialmente seleccionadas pelo professor.<br />Estrutura da Webquest:<br />Introdução <br />Define claramente o que se pretende e que dá alguma informação preliminar de base. Ex. motivação temática e motivação cognitiva<br />Tarefa<br />A tarefa consiste no que o aluno deverá ter feito no final do trabalho. Pode portanto consistir em, resolver um problema, simulação de papéis, criação de um produto, participação em debates, avaliação histórica, etc.<br />Processo<br />Pelo qual os alunos devem passar para realizar a tarefa, com links associados a cada etapa. Esta descrição deve explicitar os procedimentos e/ou passos a dar.<br />Recursos<br />Esta secção da Webquest é constituída por uma lista de recursos (sites na Web, recursos de impressão, etc.) que os alunos terão de completar a tarefa, ou seja, orientações sobre como organizar a informação recolhida. Estas podem adquirir o formato de questões que encaminhem os alunos, ou de indicações quanto a determinadas tarefas a realizar ou instrumentos a utilizar.<br />Avaliação<br />Clareza nos critérios de avaliação, o formato da avaliação depende do tipo de tarefa que o aluno executou. É de ter em conta a capacidade de pesquisa, organização da informação, o formato do produto, etc.<br />Conclusão<br />Ligada a avaliação, a conclusão nas Webquests é uma forma de apresentar um resumo das aprendizagens, bem como, os pontos que poderão ser retomados em outros momentos.<br />Tipos de webquest<br />Curta duração – (1 a 3 aulas) Com estas Webquest pretende-se a aquisição e integração do conhecimento. No fim, o aluno deverá ter tomado contacto com um número significativo de informações, às quais dará sentido.<br />Longa duração – (1 semana a 1 mês) Com uma Webquest deste tipo pretende-se uma análise mais profunda dos conhecimentos, a criação de algo novo. Uma Webquest de longa duração pode ter inúmeros formatos: uma base de dados com recursos de procura na qual as categorias em cada campo são criadas pelos alunos.<br />Como desenvolver uma Webquest<br />Procurar os recursos disponíveis na Internet e familiarizar-se com eles<br />Organizar os recursos em categorias<br />Identificar tópicos/conteúdos curriculares para os quais há materiais adequados<br />Construir a Webquest<br />Aplicar a Webquest<br />Avaliar a Webquest<br />Características de uma WebquestActividade de grupo – aprendizagem colaborativaContem elementos de motivação intrínsecaOs alunos são colocados perante um desafio/problemaAtribuição de um papel a cada intervenienteEstabelecimento de um cenárioSimulação de uma entrevista a um personagemPodem ser disciplinares, interdisciplinares ou multidisciplinares<br />E-learning<br />O E-learning é um sistema de aprendizagem centrado no aluno disponível a qualquer hora e em qualquer local e suportado pela internet. Significava originalmente eletronic learning. Hoje em dia aplicasse este termo a toda a forma de ensino ou formação através de plataformas que utilizam a internet ou uma intranet como veículo de comunicação entre alunos e professores.<br />Webquest no Ensino à Distancia<br />BLENDED-LEARNIN<br />O B-learning habitualmente representa um processo de aprendizagem combinada, isto é ensino misto combina práticas e métodos do ensino presencial (tradicional) com e do ensino à distancia (B-learning), procurando desta forma, maximizar as vantagens de cada um dos dois processos. <br />Seguindo a proposta do Blended Learning, as Webquests surgem no campo da educação como instrumento de grande eficácia para tirar o foco da simples transmissão de conteúdos específicos e dar à aprendizagem um rumo à busca da informação significativa, da pesquisa, da capacidade argumentativa. Através de sua correcta elaboração e aplicação, objectiva-se fazer com que os alunos aprendam a utilizar um conjunto de informações e torná-las algo significativo para cada um deles, isto é, tem com objectivo alcançar o aprendizado com significado, aprender a aprender.<br />Blended Learning é a combinação de várias abordagens à aprendizagem. Aprendizagem mista pode ser realizada através da utilização de “recursos misturado” virtual e física. Um exemplo típico disto seria uma combinação de materiais de base tecnológica e as sessões presenciais, usados em conjunto para fornecer instrução.<br />Exemplo prático de aplicação de uma Webquest utilizando a modalidade B-learning<br />Agricultura tradicional e agricultura industrial <br />TIPO    TÍTULO        Nível     DISCIPLINA OU ÁREA DE CONHECIMENTO    AUTOR      DATA   WebquestAgricultura tradicional e agricultura industrial Secundário Ciências NaturaisCidália Aguiar2010-03-06<br />http://www.cf-terrasfeira.org/phpwebquest/webquest/soporte_derecha_w.php?id_actividad=2591&id_pagina=1<br />M-LEARNING <br />M-learning = MOBILE +LEARNING<br />M-learning é um ramo do E-learning referente ao ensino através ao uso de dispositivos móveis tais como telemóveis, PDAs, PocketPC PCs, Tablets PCs ou computadores portáteis no processo de ensino aprendizagem. Processo de ensino aprendizagem que se faz a qualquer hora, em qualquer lugar, tornando-se ambulante e nómada. Possibilita a aprendizagem através da internet com a máxima portabilidade, mobilidade, interactividade e conectividade. [1]<br />Trabalho prático Webquest na modalidade M-learning<br />Identificação da Webquest<br />As webquest têm como título “Aprendendo com as Plantas” trata-se de uma actividade que tenta identificar os tipos de folhas, flores, frutos e caules utilizando para isto a Internet. A temática enquadra-se na disciplina de ciências da natureza d o 5º ano de escolaridade e é classificada como de longa duração pretende-se trabalhar as actividades em quatro aulas. O layout da página da webquest pode ser vista na seguinte figura.<br />Para aceder a webquest os alunos deverão utilizar os dispositivos móveis, através do endereço do http://paginas.terra.com.br/educacao/webquestplantas/. Porém as escolas que não tiverem dispositivos móveis para esta actividade também poderão aceder este endereço, via computador convencional, realizando as mesmas actividades.<br />A webquest desenvolvida possui uma característica diferente das Webquests convencionais, pois utiliza a tecnologia do Mobile Learning ou M-learning, esta tecnologia já está sendo empregada em contexto educacional através dos dispositivos móveis.<br />A escola irá disponibilizar um aparelho para cada grupo, os grupos utilizaram o dispositivo móvel para três propósitos: acesso aos sites para busca de informação, identificação das espécies e captura de imagens através dos dispositivos móveis. Um esquema deste modelo pode ser observado na figura 2.<br />A webquest desenvolvida quando acedida através dos dispositivos móveis têm um layout um pouco diferente da versão acedida através de um browser devido as limitações do ecrã e das restrições dos dispositivos. Porem as informações são as mesmas só o que muda são questões de disposições e tamanho das imagens. A imagem desta actividade pode ser observada na figura 3.<br />Conclusão<br />Webquest, é um modelo simples de fácil construção e de baixo custo, usado frequentemente em ambientes educacionais com base na Internet, ou seja, é uma actividade de aprendizagem que aproveita a imensa riqueza de informações que, dia a dia, vai crescendo na Web (Internet).<br /> Em termos gerais o webquest é elaborado pelo professor, para ser resolvido pelos alunos, realizando trabalhos de grupo. Para a sua construção, tem que se ter um tema central, a partir do qual se propõe uma tarefa, que envolve entre outras actividades a consulta de fontes de informação (livros, vídeos, entrevistas, sites ou páginas na Web), propostos pelo professor.<br />Em forma de balanço das experiencias aqui relatadas permite-nos sublinhar algumas das potencialidades formativas deste processo ensino aprendizagem: modernizar os métodos de ensino; garantir o acesso a informações autênticas e actualizadas; promover uma aprendizagem cooperativa, e colaborativa; desenvolver as capacidades cognitivas dos alunos; tornar as informações activas, em vez de apenas reproduzi-las; incentivar a criatividade; favorecer o trabalho de autoria por parte dos professores e contribuir para a partilha dos saberes pedagógicos. O objectivo da utilização da tecnologia do M-learning para as Webquests é que estes permitem uma maior mobilidade que os computadores pessoais fazendo com que os alunos possam trabalhar colaborativamente, levando os aparelhos ao lado das espécies encontradas de forma a comparar a teoria e a pratica. O professor actuará nesta actividade como orientador dos grupos, auxiliando na consulta, captura de imagens e organização dos grupos e cartazes. A webquest usada na modalidade de B-learning, parte da actividade é realizada no ensino presencial e a outra no ensino a distância utilizando os componentes da webquest.<br />O webquest pode ainda ter alguns inconvenientes na sua utilização: pode perder a sua funcionalidade se os sites disponibilizados na componente " recursos" deixarem de estar disponíveis; os professores oferecem alguma resistência e desconhecimento deste método de ensino, bem como a falta de formação nestas áreas do conhecimento; as Webquests podem ser demasiado delineadas ou limitadas nos recursos oferecidos, não permitindo aos alunos encontrarem outro tipo de informações que não a pedida; existe o perigo do " copy-paste" , há a necessidade de se estabelecerem metas que impliquem a reciclagem/aplicação da informação recolhida. <br />Finalizando, na minha opinião o webquest é uma boa ferramenta educativa, que permite aos professores explorar novos métodos para leccionar, e que permite ainda aos alunos uma forma divertida, interactiva e criativa de aprender e partilhar, utilizando uma ferramenta que faz parte do seu dia-a-dia, a Internet.<br />Referências bibliográficas<br />[1]Artigo:”M-learning webquest: As novas tecnologias como recurso pedagógico” Bottentuit, J., Coutinho, C. Alexandre, D. (2006). Bottentuit, J., Coutinho, C., Alexandre, D. (2006). M-learning e Webquests.<br />Bibliography BIBLIOGRAPHY Thorne, K. (2003). Blended learning - How to integrate online & traditional learning. London: Kogan Page.<br />