FRIDA KAHLO
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

FRIDA KAHLO

on

  • 10,628 views

FRIDA KAHLO

FRIDA KAHLO

Statistics

Views

Total Views
10,628
Views on SlideShare
10,602
Embed Views
26

Actions

Likes
3
Downloads
49
Comments
0

1 Embed 26

http://www.slideshare.net 26

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

FRIDA KAHLO FRIDA KAHLO Presentation Transcript

  • Frida Kahlo Introdução Enquadramento histórico Apresentação da pintora Pintura de Frida Exposição e análise de uma obra Considerações finais Anexo Bibliografia
  • Introdução Numa breve introdução, este trabalho destina-se a apresentar a obra de uma das minhas pintoras favoritas, Frida Kahlo. Situando no tempo e no espaço, irei mostrar como na sua época, Frida foi uma grande mulher, revolucionária, apaixonada e sofrida. Exibirei o seu talentoso trabalho, onde este já correu vários paises para exposições, uma delas em Lisboa no CCB (centro cultural de belém) onde eu tive o privilégio de poder ver. Índice
  • Enquadramento histórico Resumidamente, no México vivia-se tempos de ditadura, no século XX (1900-...). A sua estabilidade política, a variedade de recursos naturais e a afluência de capitais estrangeiros, sobretudo americanos, possibilitaram o crescimento da economia mexicana a partir da década de 1940. Na agricultura e na pecuária, a aridez tornou improdutiva grande parte do território mexicano, o restante tem relevo demasiadamente irregular para o aproveitamento agrícola. A pesca marítima se desenvolveu na segunda metade do século 20, com destaque, pelo volume de captura, para os postos da baixa Califórnia. Quase todos as empresas pesqueiras eram organizadas em cooperativas. O México foi o terceiro produtor mundial de prata, o quarto de enxofre, o quinto de chumbo e de mercúrio e o sexto zinco. Eram também esporados comercialmente: gás, fosfatos naturais, sal, ouro, minério de ferro, manganês, níquel e outros. A produção industrial mexicana começou a sair da fase artesanal no fim do século XIX. O verdadeiro desenvolvimento do setor manufatureiro, no entanto, ocorreu na década de 1940, quando a Segunda Guerra Mundial impôs uma política de substituição das importações de bens de consumo. Índice
  • Apresentação da pintora Magdalena Carmen Frieda Kahlo Calderón nasceu a 6 de julho de 1907 em Coyoacán. Filha de Matilde e Guilhermo Kahlo, irmã de Adriana e Cristina. Em 1910 contraiu poliomielite, sendo esta a primeira de uma série de enfermidades, acidentes, lesões e operações que sofreu ao longo de sua vida. A poliomielite deixou-a com uma lesão em seu pé direito com isso, ganhou um apelido " frida da perna de pau ". A partir disso ela começou a usar calças, depois, longas e exóticas saias, que vieram a ser uma de suas marcas registradas. Entre 1922 e 1925 frequentou a Escola Nacional Preparatória do Distrito Federal do México e assistiu a aulas de desenho e modelado. Em 1925 aprendou a técnica da gravura com Fernando Fernandez; um acidente de automóvel nesse mesmo ano deixa-a com lesões permanentes. Durante sua longa convalescência começa a pintar. Em 1928, quando Frida Kahlo entrou no partido comunista mexicano, ela conhecou o muralista Diego rivera com quem se casou no ano seguinte. Entre 1931 e 1934 passou a maior parte do tempo em nova Iorque e Detroit com Rivera. Em 1938 André Breton qualifica sua obra de surrealista em um ensaio que escreve para a exposição de Kahlo na galeria Julien Levy de Nova Iorque. Não obstante, ela mesma declara mais tarde: "Acreditavam que eu era surrealista, mas não o era. Nunca pintei meus sonhos. Pintei minha própria realidade". A partir de 1943 deu aulas na escola La Esmeralda, no D.F. (México). Em 1953 a Galeria de Arte Contemporânea desta mesma cidade organizou uma importante exposição em sua honra. Quatro anos após a sua morte, sua casa familiar transformou-se no Museu Frida Kahlo. Pesquisadores mexicanos descobriram que Frida Kahlo poderia ter sido envenenada por uma das amantes de Diego Rivera. Diego teria mandado uma de suas amantes colocar veneno de rato na comida de Frida. Essas pesquisas foram feitas com base na autópsia de Frida Kahlo. Índice
  • Pintura de Frida Como mencionado acima, ao contrário de muitos artistas, Kahlo não começou a pintura em uma idade precoce. Embora seu pai encarasse a pintura como um passatempo, sua filha não estava particularmente interessada na arte como uma carreira e não a perseguia seriamente. Através do acidente, que lhe deixou naquela condição, visto passar a maioria do seu tempo sozinha na cama ou em casa, no caso de estar melhor, começou por pintar-se referindo ser esse o melhor tema. Como ela disse, não é nenhuma surrealista como a consideram, pois, ela pinta a sua realidade. No seu diário, começado a ser escrito em 1942, Frida mostra como decifrarmos os seus pensamentos e sentimentos. Também nele fez muitos desenhos e pinturas, para além das suas telas como exemplo «retrato de meu pai, 1951», «o veado ferido, 1946», «auto-retrato com cabelo cortado, 1940», «o abraço amoroso entre o universo, a terra (México), eu, o Diego e o Señor Xólotl, 1949», entre outras que se pode verificar no anexo. Índice
  • Exposição e análise de uma obra Além de este quadro ser um trabalho simbólico que ilustra vários acontecimentos da vida da artista e inclui elementos de outros trabalhos mostra-nos a forma como conjuga as cores fortes e contrastadas e as formas ondulantes, sinuosas, revelando alguma volumetria na obra. Frida Kahlo inventou a sua própria linguagem pictórica, muito pessoal. Apesar de numerosos trabalhos conterem elementos surreais e fantásticos, não podem ser apelidados de surrealistas, pois ela não se desprende completamente da realidade em nenhum deles. «O que vi na água, 1938» Uma das relações que a autora faz é ao seu pé direito, que está relacionado com uma página do seu diário onde tem os seus pés desenhados e tem uma referência que diz: “pés para que te quero se tenho olhos para voar, 1953”; outra é junto ao ralo da banheira escorre sangue, e a esse refere-se à obra «as duas Fridas, 1939». Nuns catos mais abaixo e ao centro está referido ao quadro «auto-retrato na fronteira do México com EUA, 1932», mais adiante temos um corpo, supostamente o dela, em que relaciona com «o hospital Henry Ford, 1932» e ao seu lado um casal, fazendo referência à obra «os meus avós, os meus pais e eu, 1936». Índice
  • Considerações finais A conclusão que eu tiro da realização deste trabalho é que além de aprofundar o meu conhecimento na autora, desta grandiosa e imensa obra, concluo que na sua época de existência, a sua obra destacou-se grandiosamente, pois num tempo de ditadura é preciso ser uma grande revolucionária para ter feito tudo o que fez em vida. Admiro-a imenso devido ao facto daquele acidente não a ter feito parar de viver, lutando ao lado do povo contra o governo e de ter amado incondicionalmente o seu marido apesar de todas as suas traições para com ela, já para não dizer que, a que mais me chocou foi a traição de sua própria irmã. Apesar de se ter relacionado com outro homem para além de Rivera, este foi o grande amor de sua vida. Índice
  • Anexo Auto-retrato com cabelo cortado, 1940» «Retrato de meu pai, 1951» «o abraço amoroso entre o universo, a terra (méxico), eu, o diego e o señor xólotl, 1949»
  • Anexo «O hospital Henry Ford, 1932» «auto-retrato na fronteira do México com EUA, 1932» «as duas Fridas, 1939»
  • Anexo «os meus avós, os meus pais e eu, 1936» «o veado ferido, 1946» Índice
  • Bibliografia Kahlo – Andrea Ketteenmann, Taschen , Público; Wikipédia; Fotos na web. Fim Feito por Flávia Guerreiro 2007 Índice