Cominuição: Moagem
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Cominuição: Moagem

on

  • 7,967 views

 

Statistics

Views

Total Views
7,967
Views on SlideShare
7,967
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
135
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Cominuição: Moagem Cominuição: Moagem Document Transcript

    • Centro Técnico de Educação Profissional Curso Técnico em Mineração Cominuição: Moagem Trabalho apresentado pelo aluno Thiago de Meira Rezende à Professora Érika Cibeli Mendes, da disciplina Beneficiamento II. Miraí – MG Março - 2012
    • Resumo Este trabalho desenvolve um pequeno e enriquecedor relatório cujo objetivoprincipal é a definição de Moagem, ressaltando alguns tipos de moinhos necessáriosvisando à fragmentação e, consequentemente, gerando o produto final.
    • Introdução O presente relatório tem como objetivo principal ressaltar alguns tipos demoinhos necessários para o processo de fragmentação cujo resultado é obtido no campoda mineração no que diz respeito ao tratamento dos minérios. O objetivo de qualquer processo de moagem é a diminuição do tamanho das partículasde um material sólido Nomeadamente, de um modo geral, o rendimento da moagem é influenciadapelas características da própria matéria-prima: dimensão e forma inicial das partículas,dureza do material ( resistência à compressão, ao choque e à abrasão ), estruturahomogênea ou heterogênea, umidade, sensibilidade à variação da temperatura,tendência à aglomeração, outros. Os equipamentos que fazem a moagem são chamados de moinhos. Existemdiferentes tipos de moinhos disponíveis como: moinho de martelos, moinho de rolos,moinho de barras, moinho de bolas, dentre outros. A escolha do melhor tipo de moinho para fragmentação depende dascaracterísticas próprias dos minérios e dos tamanhos que têm que ser gerados.Usualmente, os fabricantes desses equipamentos disponibilizam esse tipo deinformação. Resumidamente, a moagem é o último estágio do processo de fragmentação.Neste estágio são reduzidas as dimensões das partículas que compreendem acombinação de impacto, compressão, abrasão e atrito, a um tamanho adequado àliberação do mineral, geralmente, a ser concentrado nos processos subseqüentes. Cadaminério tem uma malha ótima para ser moído, dependendo de muitos fatores queincluem a distribuição do mineral útil da ganga e o processo de separação que vai serusado em seguida. Sendo assim, este relatório procura ressaltar, de uma forma simples e concisa, osobjetivos da moagem no processo de tratamento dos minérios, bem como os tipos demoinhos utilizados na mineração e indicar o custo e a eficiência da moagem no processofinal dos materiais. Desenvolvimento Afirmamos, categoricamente, que a fragmentação é considerada uma técnica devital importância no processamento mineral. Um minério deve ser fragmentado até queos minerais úteis contidos sejam fisicamente liberados dos minerais indesejados, lê-seganga. Na maioria das vezes, a redução do tamanho por intermédio da moagem visaapenas atender às especificações granulométricas estabelecidas pelo mercado. É necessário ressaltar que a fragmentação é uma operação que envolve elevadoconsumo energético e baixa eficiência operacional, representando, normalmente, o
    • maior custo no tratamento de minérios. Devido a isto, a mesma é quase sempre divididaem várias etapas com a finalidade de minimizar seus custos e não fragmentar aspartículas além do necessário. Sendo que uma dessas etapas é a moagem que visaatingir tamanhos bem menores, chegando aproximadamente 0,050 milímetros. Portanto,a moagem é a operação de fragmentação fina com o intuito de obter um produtoadequado à concentração ou a qualquer outro processo industrial, lê-se pelotização,Lixiviação e Combustão. A maioria dos minérios ou minerais são encontrados em rochas ou fragmentos delas. Afragmentação de um material heterogêneo, que constitui geralmente uma rocha, visaliberar os minerais valiosos dos minerais de ganga, ou no caso de um mineral homogêneo,reduzir até à dimensão requerida pela utilização. A moagem torna-se útil quando hánecessidade da granular o minério. A redução de tamanho é uma etapa importante noprocessamento da maioriados minerais, visando: produção de partículas com tamanho eformato pré-requeridos, liberação dos minerais úteis passíveis de concentração eincrementação da superfície específica, habilitando para processos químicossubsequentes. Portanto, a moagem é a operação de fragmentação fina necessária quando se visaà redução de tamanho a dimensões abaixo de 5-20 mm, e os mecanismos envolvidoscompreendem basicamente impacto, compressão, abrasão e cisalhamento. É a área dafragmentação que requer maiores investimentos, maior gasto de energia e é consideradauma operação importante para o bom desempenho de uma instalação de tratamento. Os processos de cominuição são altamente consumidores de energia, devido anecessidade do uso de motores super potentes. A eficiência energética da moagem nem sempre ésatisfatória em apenas um estágio. Sendo assim, vem surgindo atualmente desenvolvimentostecnológicos que venham a melhorar a eficiência dessas operações, embora ainda preferem-se osmoinhos tubulares (ou cilíndricos) pela confiabilidade, robusteza, simplicidade eaptidão para variações da taxa de alimentação de até 50% de sua capacidade nominal. Os equipamentos mais empregados na moagem são: Moinhos Cilíndricos Estes moinhos são constituídos de uma carcaça cilíndrica de ferro, revestidainternamente com placas de aço ou borracha, que gira sobremancais e contém no
    • interior uma carga solta de bolas e de barras de ferro ou aço. Roletes de borrachaapoiam o moinho e servem também para transmitir potência ao mesmo. Constituem umaalternativa econômica para ampla gama de aplicações de moagem, inclusive minério deferro, areia quartzítica, carboneto de tungstênio, cal e zinco, em configurações para moagem viaúmida ou via seca. Moinho de Bolas O moinho de bolas é usado para moer diversos tipos de minérios e materiais,assim como para selecionar minérios. Permite duas formas de moagem: processo seco eprocesso úmido. O moinho de bolas pode ser de tipo tabular ou de tipo fluido dependendo daforma em que o material é descarregado. Aplicação: É um equipamento chave em processos de remoagem, e se utiliza emcimento, produtos de silicato, vidro, cerâmica, dentre outros. Pode moer materiais eminérios que aceitem processo em seco ou em molhado. Princípio de funcionamento: Os materiais entram em espiral e de formauniforme na primeira sala de armazenagem através do eixo oco de introdução dematerial. Nessa sala há um quadro de escalas que tem instaladas diferentesespecificações de bolas de metal. Quando o corpo de barril roda e produz forçacentrífuga, as bolas são elevadas e descem para moer o material. No fim do processo, oproduto final é descarregado pelo sistema de saída.
    • Moinho de Barras Os moinhos de barras utilizam barras cilíndricas como corpos moedores. Sãomoinhos tubulares, fabricados até o tamanho máximo de 4,5 m de diâmetro por 6,0 m de comprimento.São usados principalmente em circuito aberto preparando o produto para alimentar o moinhode bolas. O moinho de barras é utilizado na moagem primária recebendo o minério quevem com granulometria que varia de 3/4 a 3/8 de polegada (19 a 9,53 mm). O meiomoedor sendo barras de peso considerável torna este moinho apto a moer material mais grossopois a queda de uma barra produzum impacto significativo, sendo este o mecanismo defragmentação predominante no moinho de barras. Possui princípio de funcionamentosemelhante ao do moinho de bolas. Aplicação: Moinhos de barras são usados na moagem de minério de ferro. Sãousados também em circuito aberto na obtenção de produtos grosseiros, como, porexemplo, na moagem de minério de urânio para lixiviação. Não são usualmenteempregados em moagem a seco.
    • Moinho Martelo O moinho de martelos consiste de um eixo girando em alta rotação e no qualficam presos, de forma articulada, vários blocos ou martelos. O material é alimentadopela parte superior e as partículas sofrem o impacto dos martelos e são projetadas contraa superfície interna da câmara, fragmentando-se, para depois serem forçadas a passarpor tela inferior quevai bitolar a granulometria da descarga.Aplicação: Esse tipo de moinho tem pouca aplicação na concentração de minérios pois,sendo as gangas geralmente silicosas, desaconselha-se o seu uso devido ao grandedesgaste da superfície interna, da tela e dos martelos. Entretanto, é largamenteempregado na indústria química, onde as substâncias são ordinariamente menosabrasivas e também na fragmentação de calcários.Funcionamento básico: Um rotor de alta velocidade gira no interior de uma capacilíndrica. No exterior do rotor é acoplada uma série de martelos nos pontos dearticulação. O material se rompe pelo impacto dos martelos e se pulveriza ao passar por umaesteira na abertura entre os martelos e a capa. Os martelos danificados ou desgastados podem ser substituídos com facilidade. A moagem é feita predominantemente por impacto do material com os martelose com as placas de britamento, mas o corte e o atrito também são importantes. A carga é feita pela parte superior e o produto sai pelo fundo onde há barras queformam uma grelha. Nos modelos menores as barras são substituídas por uma placametálica perfurada.
    • Moinho de Rolos Ideais para misturar dispersar, homogeneizar e reduzir partículas, fornece umproduto de textura mais uniforme. Dois ou mais cilindros pesados giram em direções contrárias, a velocidadesiguais ou diferentes. Partículas na alimentação são submetidas a forças de compressão.A distância entre os rolos, que giram em sentidos opostos, é regulável e deve serajustada às condições da matéria prima.
    • Um dos eixos apoia-se em rolamentos fixos, o outro, em rolamentos móveis. Adistância entre os rolos é ajustável, e se mantém no valor escolhido pela ação de molasconcêntricas poderosas. Conclusão Vimos que o objetivo de qualquer moagem é a diminuição do tamanho daspartículas de um material sólido, tendo em vista o aumento da superfície específica paramelhorar a velocidade de reação de determinada matéria – prima, ou seja, misturar demodo mais uniforme vários materiais e permitir a obtenção de um pó comcaracterísticas ideias de utilização. Tendo em vista que o processo de moagem são altamente consumidores deenergia, compreende-se, portanto, o interesse que existe no estudo da fragmentação jáque que qualquer melhoramento na operação acarreta uma importante economia noprocesso. Portanto, este trabalho procura mostrar, resumidamente, os objetivos da moagemno processo de tratamento dos minérios e o funcionamento dos moinhos mais utilizadospela indústria da mineração. Referências Bibliográficashttp://www.pormin.gov.br/biblioteca/arquivo/beneficiamento_de_minerio.pdfhttp://pt.scribd.com/doc/58390080/Trabalho-Moagemhttp://britadores.org/moagem.htmlhttp://www.metso.com/inetMinerals/Brazil/mm_Brazilcontent.nsf/WebWID/WTB-050629-2256F-C7153/$File/Capitulo_4_Moagem.pdfhttp://www.cetem.gov.br/publicacao/CTs/CT2004-182-00.pdf