Your SlideShare is downloading. ×
0
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Psi3 - Inês
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Psi3 - Inês

3,955

Published on

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,955
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Escola 2,3/s Mestre Martins Correia Psicologia Trabalho elaborado por: Inês Severino nº8 12ºA
  • 2. Urie Bronfenbrenner elaborouo modelo ecológico do desenvolvimentoque defende que o desenvolvimentohumano é um processo que decorre aolongo de toda a vida a partir deinteracções entre os indivíduos e osseus contextos de vida. Os sereshumanos desenvolvem-se em múltiploscontextos através de processos deinteracção continuada com os ambientesonde vivem e também os transformam. A perspectiva ecológica dodesenvolvimento é especialmente útilpara que se consiga ter uma imagemmais abrangente dos vários factores,pessoais ou do contexto, queinfluenciam a trajectóriadesenvolvimental de uma pessoa.
  • 3. Contextos de Cada um de nós encontra uma série de diferentes contextos, uns mais próximos, outrosExistência dos mais distantes, onde vivemos e que de um modo Indivíduos mais ou menos directo influenciam a nossa vida. Os contextos onde participamos e com os quais temos relações, são concebidos como uma série de sistemas inter-relacionados. A determinação concreta de quais são os componentes de cada um destes sistemas varia conforme a pessoa que se coloca no centro. Os componentes dos nossos contextos são diferentes dos da nossa mãe ou do nosso pai, da nossa professora ou do nosso colega do lado, embora possam obter elementos semelhantes. Cada um destes sistemas está contido em sistemas mais abrangentes. Os contextos de vida dos seres humanos são constituídos por diferentes sistemas: o microssistema, o mesossistema, o exossistema, o macrossistema e o cronossistema.
  • 4. Os microssistemas são contextosmais imediatos, de maior proximidade, emque os indivíduos participam directamente.Destes fazem parte os contextos onde aspessoas estabelecem relações face a facecomo a família, a escola, etc. As pessoas com quemestabelecemos relações nestes contextostêm uma poderosa influência na nossa formade ver o Mundo e de nos comportarmos. Noseio dessas relações, com as pessoas, mastambém com os objectos e os símbolospresentes nesses ambientes, aprendemos areconhecer e a utilizar esses objectos esímbolos, a construir significados, bem comomodos de estar e de fazer. Os ambientes domicrossistema não existem isolados uns dosoutros, nem a sua influência pode sercompreendida sem se ter em conta ainfluência de outros contextos. A relaçãoque se estabelece entre componentes domicrossistema constitui o mesossistema.
  • 5. Fazem parte do mesossistema as interacções e osprocessos que ocorrem entre dois ou mais contextos domicrossitemas.As possibilidades de relação entre contextos que seconfiguram como mesossistema são inúmeras para cadapessoa. As experiências com o grupo de amigos podeminfluenciar as experiências na escola ou na família,nomeadamente nas actividades procuradas e evitadas. O queaprendemos em casa pode influenciar a nossa forma de estare de nos relacionarmos na escola e vice-versa. Os contextos em que participamos não são entidadesisoladas, estabelecem relações e comunicam através deprocessos ao nível do mesossistema, os contextos onde nosmovemos (microssistema) e os contextos da sua inter-relação(mesossistema) devem ser tidos em conta para secompreender o nosso processo de desenvolvimento, a formacomo nos comportamos, o nosso modo de ver o mundo.
  • 6. O exossistema é, tal como o mesossistema, um sistemade ligação entre contextos em que a pessoa em desenvolvimentoparticipa directamente apenas num deles. Do exossistema fazem parte os grupos religiosos,centros de saúde, meios de comunicação social, instituiçõesautárquicas, familiares afastados, etc. A acção do exossistemaconstitui um importante factor de desenvolvimento peloenquadramento que propicia ao indivíduo.
  • 7. O macrossistema constitui o sistema mais alargado emtermos dos contextos de vida de qualquer indivíduo. Dele fazemparte os padrões socioculturais, as instituições políticas e sociais, osvalores e significados partilhados, as crenças, os costumes e osestilos de vida, os recursos materiais e simbólicos que se encontramdisponíveis num determinado contexto de desenvolvimento. As histórias que nos contaram quando éramos crianças, ascrenças, os significados e valores que transmitiam, o momento socialou político do país, as tendências da última moda, a cultura ousubcultura dos grupos e comunidades onde nos movimentamos,influenciam as experiências possíveis que temos noutros contexto,assim como as acções e construções que realizamos a partir delas. As influências são dinâmicas e retroagem continuamente. Asmudanças que ocorrem ao nível de um sistema podem terconsequências variadas nos outros sistemas.
  • 8. O cronossistema permite incorporar no contexto devida uma dimensão temporal. Esta dimensão inclui mudanças quepodem ser tanto graduais como abruptas. As mudanças ao níveldo cronossistema podem, ainda, ser centradas no ambiente ouna pessoa em desenvolvimento, podem ter diferentes graus deconsistência. Dada a passagem do tempo a configuração dos diversossistemas, as suas relações e influências podem ser alteradas.As mudanças do nosso ambiente podem ter consequênciasradicais para as possibilidades de desenvolvimento que a cadaum se oferecem. Os contextos providenciam oportunidades, desafios erecursos que influenciam a trajectória de desenvolvimento decada um de nós ao longo de toda a vida.
  • 9. 1. A perspectiva ecológica do desenvolvimento humano procura compreender e explicar o comportamento a partir:A- do modo como os seres humanos se relacionam com os animais nos seus contextos.B- das relações que os seres humanos estabelecem com a família durante a infância.C- das relações e interpretações que os seres humanos estabelecem com os seus contextos de vida.D- do modo como os seres humanos se tornam mais conscientes da necessidade de preservar o ambiente.2. As influências dos contextos de vida nas pessoas são:A- dinâmicas e dependem das configurações que assumem e do modo como cada um se posiciona e age sobre os mesmos contextos.B- as mesmas quando os contextos são os mesmos e ocorrem ao mesmo tempo.C- dependentes apenas da forma como cada um os vê e os interpreta.D- irrelevantes, só influenciando os indivíduos em determinados momentos da vida.
  • 10. 3. Os contextos de vida dos seres humanos são sistemas:A- independentes. C- autónomos.B- complementares. D- inter-relacionados.4. O desenvolvimento da pessoa depende dos contextos em que estáinterligada. Esta afirmação é:A- verdadeira: os contextos são iguais no apoio ao desenvolvimento da pessoa.B- falsa: o desenvolvimento da pessoa depende do seu património genético.C- verdadeira: os contextos disponibilizam meios, recursos e relações.D- falsa: a pessoa pode desenvolver-se fora dos contextos.5. Os contextos em que as pessoas mantêm relações face a faceconstituem o:A- macrossistema. C- mesossistema. Soluções:B- microssistema. D- cronossistema. 1. C 2. A 3. D 4. C 5. B
  • 11. Inter-relações entre os contextos Quando pensamos nos diferentes contextos em quevivemos é-nos fácil compreender que eles se encontramprofundamente interligados. Algumas das ligações são, antes demais, geográficas, outras são realizadas através da presença dasmesmas pessoas, ou através de valores, normas e ideiaspartilhados entre os vários contextos. Os sistemas em que se dividem os contextos de vidareflectem essa interligação. Os contextos de vida de cada umnão só não existem separados como se influenciam mutuamente adiversos níveis. Por exemplo, a separação de um casal vai afectaros diferentes contextos dos membros da família de formasdiversas, mas, ainda assim, relacionadas. O tipo de relações sociais que estabelecem podemtambém mudar, tornando-se mais conflituosas ou mais próximasem termos de apoio e intimidade.
  • 12. Inter-relações entre os contextos (continuação) Todas estas alterações irão reflectir-se nas mudançasque se operam ao nível das relações dos filhos com os pais,relações estas em reajustamento pelo facto da separação.O microssistema e o mesossistema podem convergir ou estarem conflito no que diz respeito às suas influênciasdesenvolvimentais. A maneira como cada um resolve as convergências e osconflitos é muito variada. Cada um traz consigo diferentesexperiências e características pessoais, pode aceder adiferentes recursos e apoios, pode encontrar diferentessentidos para o conflito. O resultado final vai depender de todos estesfactores, dos processos de auto-organização do sujeito e dascaracterísticas do contexto-sujeito em relação.
  • 13. O contexto de cada um é um sistema muito amplo, que éafectado pelo que se passa em cada um dos seus lugares,elementos e subsistemas. As influências que o contexto tem emcada um de nós são profundamente dinâmicas. A cada momento, uma configuração de influências mútuasé exercida em cada pessoa. Compreender como se processamestas influências é importante quando se pretende explicar ocomportamento dos indivíduos de forma situada e contextualizadae quando se pretende agir sobre os indivíduos e os contextos paraque se tornem agentes de maior desenvolvimento pessoal.
  • 14. Podemos distinguir:Inter-relações no interior de cadacontexto – cada contexto éconstituído por subsistemas queinteragem entre si.Inter-relações entre contextos –os contextos não estão isolados unsdos outros: interagem, afectando-se mutuamente.Inter-relações entre o indivíduo eos contextos – o indivíduo é activo,não sofre passivamente a influênciados contextos.
  • 15. Cada indivíduo possui uma rede social a quem está ligado ecom quem se relaciona. Liga-se a elas através de comportamentos ouinteracções particulares. O conjunto de ligações de uma ou mais redespessoais ligadas forma uma rede social. A rede social é essencialmenteo conjunto de ligações, relações e interacções particulares entrediferentes pessoas. As redes sociais podem ser mais estreitas ou mais alargadas,mais ou menos coesas, mais ou menos capazes de providenciar apoio emais ou menos necessitadas, elas mesmas, de suporte. Todas aspessoas têm diferentes redes sociais.
  • 16. O efeito dos contextos sociais Os membros da rede social de uma pessoa podem ter um impactonegativo na redução de determinados problemas e situações a diversos níveis:podem fornecer modelos de relações menos problemáticos entre membros dasfamílias, podem providenciar contextos onde novas situações para os problemasou onde novas alternativas de adaptação possam emergir. Os membros das redes sociais podem exercer a sua influência adiferentes níveis, podem afectar os diferentes níveis de contexto. As redessociais têm uma poderosa influência no desenvolvimento e comportamento dosindivíduos que vai para além da sua possibilidade de providenciar ou necessitarde apoio material instrumental ou apoio emocional ou afectivo. As redes sociais são fontes muito importantes de informação sobre ocontexto. As interacções entre os membros das redes sociais ocorrem emcontextos sociais informais como um grupo de amigos que jogam cartas emtorno de uma mesa ou formais como uma reunião de trabalho ou uma reuniãocom o director de turma.
  • 17. 1. A influência que um contexto exerce no desenvolvimento dos seres humanos depende apenas das características desse contexto. Esta afirmação é:A- verdadeira: os contextos exercem a sua influência própria sobre todas as pessoas que neles participam.B- falsa: a influência exercida por um contexto de vida depende apenas das características da pessoa que o integra.C- verdadeira: as pessoas só integram um contexto e por isso não dependem das características dos outros contextos.D- falsa: depende das características dos outros contextos em que a pessoa participa e das suas características pessoais.2. A rede social é constituída pelo conjunto:A- ligações entre as pessoas, o macrossistema e o cronossistema.B- ligações entre as pessoas e as relações e interacções que estabelecem entre si.C- ligações entre as pessoas e as relações entre os contextos.D- ligações entre as pessoas e as relações que estabelecem com os microssistemas.
  • 18. 3. Analisa as afirmações que se seguem sobre as redes sociais.Selecciona, depois, a alternativa correcta. 1. As redes sociais providenciam e/ou requerem maiores ou menoresquantidades de apoio material ou afectivo. 2. As redes sociais influenciam a regulação dos comportamentos dos indivíduos apartir da informação contextual que disponibilizam. 3. As redes sociais de pessoas da mesma idade são muito semelhantes.A- 1 é falsa: 2 e 3 são verdadeiras.B- 1,2 e 3 são verdadeiras.C- 1 é verdadeira; 2 e 3 são falsas.D – 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa. Soluções: 1. D 2. B 3. D
  • 19. Só é possível compreender as trajectórias de O papeldesenvolvimento e os comportamentos dos sereshumanos se tivermos em conta o contexto de vida de contextos nocada um, o conjunto dos seus sistemas – comportamentomicrossistema, mesossistema, exossistema,macrossistema e cronossistema – assim como as dos indivíduosrelações que estabelecem entre si e a suaconfiguração global. O modo como as pessoas se posicionam noscontextos vai depender da forma como interpretamas normas, os valores e os significados quecircunscrevem as possíveis experiências ecomportamentos. A posição que cada um ocupa é, portanto,específica para cada indivíduo, dependendo de comose configuram globalmente os diversos sistemas, opadrão de relações que estabelecem, os valores e asnormas sociais presentes na sua comunidade e nasredes sociais, as práticas e significados culturais comque entra em contacto ao longo da sua vida, assimcomo a maneira como interage com eles e ossignificados que a partir deles constrói.
  • 20. O papel contextos no comportamento dos Mesmo quando os elementosindivíduos (continuação) do contexto se repetem, a configuração não é a mesma para cada um. Dada a diversidade dos elementos do contexto e das relações e interacções que cada um pode estabelecer no seu seio, mesmo quando se assemelham, a sua configuração global, a sua influência particular em cada indivíduo é sempre diferente e particular. Cada pessoa vive no seu ambiente, que partilha com outros, mas que se configura único na influência que tem para cada um.
  • 21. Posicionamo-nos no nosso contexto devida, construímos significados para asdiversas situações que experienciamos,interpretamos as múltiplas informaçõescontextuais que permanentementerecolhemos. Em tudo isto, participamos,em tudo isto se tornam relevantes asnossas características pessoais. Arelação entre indivíduo e contexto é elaprópria dinâmica, porque depende,sobretudo, da forma como as suascaracterísticas interagem.
  • 22. As características pessoais O resultado final em termos dodesenvolvimento pessoal vai depender dascaracterísticas pessoais dos indivíduos, domodo como estes encontram formas deinterpretar e agir que favoreçam sentidos edinâmicas mais ou menos benéficos em termosde desenvolvimento. O conceito de resiliênciadescreve a capacidade de encontrar, nainteracção entre as características pessoais eas dos contextos, trajectórias dedesenvolvimento positivas e adaptativas, mesmoem condições adversas de privação e risco. A resiliência é um processo activo. Aspessoas resilientes são pessoas que conseguemagir no e sobre os seus contextos de forma aprotegerem-se das consequências adversas quea presença de determinados factores poderiamtrazer consigo. O fenómeno da resiliênciamostra que é importante ter em conta ocontexto assim como o indivíduo situado.
  • 23. 1. Bronfenbrenner reformula a sua teoria:A- dando mais ênfase ao papel do indivíduo no desenvolvimento.B- atribuindo mais importância aos contextos do macrossistema.C- relacionando o macrossistema com o microssistema.D- excluindo da sua teoria o efeito das características do indivíduo.2. No modelo bioecológico, Bronfenbrenner considera que odesenvolvimento depende de quatro dimensões que interagem:A- microssistema, macrossistema, cronossistema e exossistema.B- pessoa, microssistema, processos proximais e mesossistema.C- processo, contexto, ecologia e biologia.D- pessoa, processo, contexto e tempo.
  • 24. 3. O conceito de resiliência diz respeito:A- ao conjunto de pessoas presentes nos contextos com as quais cadaum estabelece relações, às quais se encontra ligado.B- à possibilidade de os indivíduos encontrarem trajectórias dedesenvolvimento positivas, em situações de privação ou risco.C- aos factores que influenciam negativamente o desenvolvimentopessoal e social.D- aos factores que facilitam o desenvolvimento de trajectóriaspositivas de vida. Soluções: 1. A 2. B 3. B

×