Inês Severino nº 8      12ºA
Wilhelm Wundt nasceu em1832, na Alemanha. Oriundo de umafamília    com     fortes   tradiçõesintelectuais, faz um percurso...
A Consciência        O objecto de estudo de Wundt era a consciência e osprocessos mentais. Partilhava com os empiristas e ...
Para Wundt, os elementos da consciência não eram estáticos : aconsciência tinha um papel activo na organização do seu próp...
As sensações e           os sentimentos        Os elementos simples constitutivos daconsciência eram as sensações e os sen...
Segundo Wundt, todos os processos psicológicos podem ser descritoscomo passagens de elementos mais simples aos mais comple...
Para conhecer os elementos      Metodologiaconstitutivos da consciência, Wundtutiliza como método a introspecção          ...
Assim,          a            Contudo, aintrospecção era uma         introspecçãopercepção interna que        controlada só...
Conclusão         Wundt desmarcou-se do pensamento dominante da épocaprocurando autonomizar a psicologia da filosofia. Def...
1. Wundt definiu como objecto da psicologia:   A- o comportamento e os processos mentais.   B- o desenvolvimento e process...
4. Analisa as afirmações que se seguem sobre as concepções de Wundt.Seleccione, depois, a opção que as avalia correctament...
Jerome      SeymourBruner nasceu em 1915, emNova Iorque. Em 1937,formou-se na Universidadede    Duke.   Após    ter-sedout...
Bruner interessou-se pelo estudoda evolução das competências cognitivas      A Cogniçãodas crianças e pela necessidade dee...
Bruner e Cecile Goodman concluíram que as crianças maispobres cometiam poucos erros de avaliação das moedas de menor valor...
Modos         de    representação         Segundo Bruner, o desenvolvimento cognitivo organiza-se em tornode determinadas ...
O      primeiro     nível    derepresentação        designa-se      porrepresentação “enactiva”, isto é, ligadaà acção, à ...
Na      representação“icónica”, o pensamento baseia-se nas imagens mentais dosobjectos e situações nãopresentes,      adqu...
Na        representação                              “simbólica”, a representação do                              meio faz...
Poder-se-ia dizer que, para Bruner, existem três estádios: “Enactivo” – aprender fazendo; Icónico – aprender por meio de...
A mente            Bruner       foi   um     dos          impulsionadores da teoria cognitivista          mas acabou por s...
Bruner reconhece que existe, em cadacultura, o que comummente se chama psicologiapopular que consiste na forma como, num d...
A Aprendizagem         A cada modo de representação corresponde um modelo deaprendizagem. Bruner considera que as aprendiz...
Bruner defende que existe umdesejo natural de aprender por parte dacriança, uma motivação que, se foraproveitada pelos pro...
Bruner     deu    grandeimportância à aprendizagem pordescoberta: se o aluno estiverenvolvido na exploração e pesquisade u...
Metodologia de investigação         Bruner consideravaque, se queria compreendero        processo         deaprendizagem, ...
Conclusão         Bruner abandona o cognitivismo,por considerar que a busca de umacientificidade conduziu esta corrente àa...
Psi - Inês
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Psi - Inês

1,464

Published on

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,464
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Psi - Inês"

  1. 1. Inês Severino nº 8 12ºA
  2. 2. Wilhelm Wundt nasceu em1832, na Alemanha. Oriundo de umafamília com fortes tradiçõesintelectuais, faz um percurso escolaronde se regista uma reprovação. Aos 19 anos, entra nauniversidade, tendo-se formado emMedicina na Universidade deHeidelberg. No decorrer do cursocompreende que o seu interesse não épropriamente a medicina e especializa-se em fisiologia. Enquanto professor, investigao modo como se processa a informaçãosensorial, o que o leva a orientar-separa a psicologia.
  3. 3. A Consciência O objecto de estudo de Wundt era a consciência e osprocessos mentais. Partilhava com os empiristas e os associacionistasdo século XIX a convicção de que a consciência era constituída porvárias partes distintas e que se deveria recorrer à análise doselementos mais simples. Tal como os átomos constituem assubstâncias químicas, as sensações seriam os elementos simples damente e da consciência.
  4. 4. Para Wundt, os elementos da consciência não eram estáticos : aconsciência tinha um papel activo na organização do seu próprio conteúdo. Existiria como que uma força de vontade em organizar os conteúdos daconsciência em processos mentais superiores. Wundt considerava que eracompatível o reconhecimento dos elementos simples da consciência e aafirmação de que a mente consciente tem capacidade para proceder a umasíntese desses elementos em processos cognitivos de nível mais elevado. Por isso, a metodologia a seguir deveria partir dos elementos básicosdos processos conscientes, identificar o modo com esses elementos eramsintetizados e organizados em experiências mentais complexas e determinar asleis que orientavam este processo.
  5. 5. As sensações e os sentimentos Os elementos simples constitutivos daconsciência eram as sensações e os sentimentos.As sensações ocorrem sempre que um órgão dossentidos é estimulado e esta informação é enviadaao cérebro. O sentimento é a componente subjectivada sensação; são as qualidades que acompanham assensações e que não fazem parte do estímulo. Assim, uma sensação pode seracompanhada de um sentimento deprazer/desprazer, de excitação/depressão e derelaxamento/tensão. A emoção seria constituídapor um conjunto complexo de sentimentos.
  6. 6. Segundo Wundt, todos os processos psicológicos podem ser descritoscomo passagens de elementos mais simples aos mais complexos: é umprocesso progressivo de complexidade em que, partindo de elementos simplescomo as sensações, a consciência, no seu processo criativo de organização,produzia ideias. Quando percepcionamos uma casa percebemo-la como uma unidade, umtodo, e não como uma soma de elementos que podem ser estudados numlaboratório . para explicar esta experiência consciente unificada, Wundtrecorre ao conceito de apercepção: processo de organização dos elementosmentais e que formam uma unidade, uma síntese criativa.
  7. 7. Para conhecer os elementos Metodologiaconstitutivos da consciência, Wundtutiliza como método a introspecção decontrolada: só o sujeito que vive a investigaçãoexperiência é que pode descrevê-laintrospeccionando-se, isto é, fazendoa auto-análise dos seus estadospsicológicos em condiçõesexperimentais. Nas condiçõesexperimentais os observadorestreinados eram alunos ou psicólogosque trabalhavam com Wundt, queexigia uma grande rigor nasdescrições, que seriam quantificadas. Antes de se submeterem àintrospecção controlada, isto é,experimental, teriam de ter feitocerca de 10000 auto-análisesindividuais. Este pré-requisito dava apossibilidade de os indivíduos seremrápidos e rigorosos nas suasobservações internas.
  8. 8. Assim, a Contudo, aintrospecção era uma introspecçãopercepção interna que controlada só davadava a possibilidade de a conhecer osaceder aos elementos elementos básicosbásicos para se conhecer da consciência, asa consciência, que é o sensações e asobjecto da psicologia. As percepções; osoutras ciências processos mentaisrecorriam à percepção complexos, como aexterna para obterem memória e adados sobre o seu aprendizagem, nãoobjecto de estudo, que é poderiam sera realidade. O objecto da estudadosintrospecção é o próprio experimentalmente,sujeito, enquanto o tendo de seobjecto das observações recorrer aque se fazem nas outras metodologiasciências é o real exterior qualitativas.ao sujeito.
  9. 9. Conclusão Wundt desmarcou-se do pensamento dominante da épocaprocurando autonomizar a psicologia da filosofia. Definiu umobjecto (a consciência) é um método de investigação (introspecçãocontrolada) com a finalidade de dar um estatuto de ciência àpsicologia. Procurou desenvolver uma teoria sobre a natureza damente humana que conjugasse a componente biológica e acomponente social, o mundo interno e o mundo externo, a dimensãoindividual e colectiva. Actualmente, muitos dos contributos de Wundt encontrama sua fundamentação nas investigações das neurociênciascontemporâneas.
  10. 10. 1. Wundt definiu como objecto da psicologia: A- o comportamento e os processos mentais. B- o desenvolvimento e processos mentais. C- a consciência e os processos mentais. D- o inconsciente e os processos mentais.2. Segundo Wundt, a consciência é constittuída por elementos simples: A- as percepções e as emoções. B- as percepções e os sentimentos. C- as sensações e os sentimentos. D- as sensações e as percepções.3. Wundt utilizou como método: A- o método clínico. B- a consciência controlada. C- o método experimental. D- a introspecção controlada.
  11. 11. 4. Analisa as afirmações que se seguem sobre as concepções de Wundt.Seleccione, depois, a opção que as avalia correctamente. 1. A consciência conhece-se a partir da observação docomportamento. 2. A psicologia deve estudar fenómenos individuais e sociais. 3. Os processos mentais elementares podem ser estudadosexperimentalmente.A- 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa.B- 1 é verdadeira; 2 e 3 são falsas.C- 2 é verdadeira; 1 e 3 são falsas.D- 2 e 3 são verdadeiras; 1 é falsa. Soluções: 1. C 2. C 3. D 4.
  12. 12. Jerome SeymourBruner nasceu em 1915, emNova Iorque. Em 1937,formou-se na Universidadede Duke. Após ter-sedoutorado em Psicologia pelaUniversidade de Harvard,desenvolveu a maior parte dasua carreira como professore investigador. Com o inícioda Segunda Guerra Mundial,Bruner desenvolveu a suatese de doutoramento sobreas técnicas de propagandanazi, direccionando o seuinteresse para a psicologiasocial.
  13. 13. Bruner interessou-se pelo estudoda evolução das competências cognitivas A Cogniçãodas crianças e pela necessidade deestruturar os conteúdos educativos. Talcomo Piaget, considerou que a maturação eo meio ambiente influenciavam odesenvolvimento intelectual. A abordagemde Bruner à cognição passa pela análise dapercepção. Distingue na percepção duasdeterminantes: a autóctone que inclui asqualidades da percepção directamenterelacionadas com o sistema nervoso,reflecte directamente as propriedadesdos órgãos dos sentidos e dos sistemanervoso e a comportamental que serelaciona com a motivação, apersonalidade, a aprendizagem, asatitudes, as necessidades sociais, ocontexto cultural, etc.
  14. 14. Bruner e Cecile Goodman concluíram que as crianças maispobres cometiam poucos erros de avaliação das moedas de menor valore que sobrevalorizavam as moedas de valor mais elevado. Estaexperiência mostra que a percepção não é neutra, mas depende do valorque se atribui a um objecto.Esta abordagem da percepção, a que se chamou “new look”, defende queo sujeito é activo no acto de percepcionar, dado que atribui um sentidoao que percepciona em função das suas expectativas, interesses,necessidades, valores e experiências anteriores vividas. A teoria “newlook”, assim designada para acentuar que se trata de uma novaabordagem, vai orientar a investigação da percepção tendo em conta osquadros de referência do sujeito.
  15. 15. Modos de representação Segundo Bruner, o desenvolvimento cognitivo organiza-se em tornode determinadas capacidades: a pessoa que aprende tem de dominar certosconhecimentos ou acções para poder dominar outros mais avançados. Brunerdefendia que o desenvolvimento intelectual da criança depende do modocomo a mente usa a informação que recebe. No decurso do seudesenvolvimento, a criança adquire três diferentes modos derepresentação do meio que a envolve, da mais simples à mais complexa:“enactivo”, icónico e simbólico. O nível anterior da representação é condiçãodo desenvolvimento do nível seguinte. Assim, a criança só atinge arepresentação simbólica se os modos anteriores de representaçãoestiverem já presentes.
  16. 16. O primeiro nível derepresentação designa-se porrepresentação “enactiva”, isto é, ligadaà acção, à manipulação. Bruner retira conclusões aonível educativo: os professores podeminduzir os estudantes a usarem arepresentação enactiva no processo deaprendizagem proporcionando-lhesexperiências, materiais sugestivos,exemplos de comportamento, etc.
  17. 17. Na representação“icónica”, o pensamento baseia-se nas imagens mentais dosobjectos e situações nãopresentes, adquire umaimportância maior à medida quea criança cresce e aprendeconceitos e princípios que nãose podem “mostrar” e realiza-se por interiorização dosgestos e das percepções sob aforma de esquemas estáveis. Bruner consideravaque os professores poderiamrecorrer a filmes e a outrosmateriais audiovisuais comoforma de enriquecimento dosestudantes.
  18. 18. Na representação “simbólica”, a representação do meio faz-se através de símbolos, assumindo particular importância a linguagem falada e escrita. A linguagem possibilita que a criança aceda ao conhecimento disponível no seu meio, ultrapassando-o, é o elemento vital do desenvolvimento intelectual. A linguagem é oprincipal sistema simbólicoutilizado pelo adulto naaprendizagem. No fimdesta fase, o sujeito temos instrumentos mentaisque lhe permitem outrosdesenvolvimentos.
  19. 19. Poder-se-ia dizer que, para Bruner, existem três estádios: “Enactivo” – aprender fazendo; Icónico – aprender por meio de imagens e gravuras; Simbólico – aprender por meio de palavras ou números.
  20. 20. A mente Bruner foi um dos impulsionadores da teoria cognitivista mas acabou por se afastar, por considerar o modelo proposto muito limitativo e redutor. Bruner defende que o desenvolvimento da mente está ligado à construção de significados pelos seres humanos na sua relação com o meio. Estes significados construídos pelos sujeitos nada têm a ver o modo informático do processamento de informação. A mente é criativa, produz sentido, é pessoal e subjectiva, mas é partilhada com os outros que fazem parte do seu contexto social. A pertença a um dado grupo social marca a forma de uma pessoa pensar e de comportar-se; por isso, não podemos compreender os processos cognitivos sem termos em conta o factor cultura.
  21. 21. Bruner reconhece que existe, em cadacultura, o que comummente se chama psicologiapopular que consiste na forma como, num dadocontexto social e cultural, cada um de nós procuraexplicar o que são as pessoas, por que razão secomportam de determinada maneira, como encaram osproblemas, etc. Variam de sociedade para sociedadepois dependem das práticas sociais e das instituições. A psicologia popular é uma teoria da menteque procura explicar as causas dos desejos, crenças,intenções e motivações. A psicologia popular produzum conjunto de narrativas que organizam estasexplicações, que descrevem um modo padronizado depensar os comportamentos, as motivações, asintenções. Diferentemente da psicologia científica,que organiza as suas teorias conceptualmente, apsicologia popular fá-lo através das narrativas.
  22. 22. A Aprendizagem A cada modo de representação corresponde um modelo deaprendizagem. Bruner considera que as aprendizagens devem ser compatíveiscom as diferentes fases de representação. Assim, na fase enactivadominarão as aprendizagens centradas sobretudo na manipulação dosobjectos; segue-se, na fase icónica, uma aprendizagem das representaçõesdos objectos e das suas características; na última fase, a capacidadesimbólica vai possibilitar a compreensão de conceitos lógicos e abstractos eas suas combinações em sistemas. Um mesmo assunto pode ser abordado de formas distintas nas trêsfases, num percurso que vai de uma abordagem mais simples até à maiscomplexa. Propõe o que se designa por currículo em espiral.
  23. 23. Bruner defende que existe umdesejo natural de aprender por parte dacriança, uma motivação que, se foraproveitada pelos professores, conduzirá aum maior sucesso escolar. Tem de se ter emconta as necessidades do aluno e a suacapacidade para entender a estrutura doque está a aprender. Primeiro deve ser feitauma abordagem icónica e depois umasimbólica. Finalmente, referia a necessidadedo reforço: uma aprendizagem bem-sucedida deve ser reforçada, para aumentara probabilidade de se repetir.
  24. 24. Bruner deu grandeimportância à aprendizagem pordescoberta: se o aluno estiverenvolvido na exploração e pesquisade um determinado assunto,aprenderá melhor e desenvolveráas suas capacidades intelectuais,designadamente o pensamentointuitivo. Este tipo de pensamentoantecipa as hipóteses antes deestar de posse de todos os dados,explorando, correndo algunsriscos, procurando umacompreensão imediata doproblema. O professor age comoum facilitador que encoraja osalunos a descobrirem os princípiospor si próprios e a constituírem oconhecimento, para resolveremproblemas reais em cooperaçãocom os outros.
  25. 25. Metodologia de investigação Bruner consideravaque, se queria compreendero processo deaprendizagem, deveriaobservar alunos eprofessores em contextoda sala de aula. Adoptouprocedimentos dametodologia experimentalprocurando compatibilizaras suas investigações comas regras científicas.
  26. 26. Conclusão Bruner abandona o cognitivismo,por considerar que a busca de umacientificidade conduziu esta corrente àadopção de um modelo explicativo dosprocessos da mente que não respeita oseu carácter criativo e dinâmico. Bruner considerou a elaboraçãodas representações mentais e dacategorização da informação comoprocessos fundamentais do pensamentohumano. A criação de significados é ocentro dos processos cognitivos que sãopartilhados pelas narrativas de cadacultura. Reflexo da importância queatribui à ligação entre o desenvolvimentocognitivo e a cultura é a criação dapsicologia cultural.

×