Autor: Carlos de Oliveira;Editora:ASSIRIO & ALVIM;1ª edição: 1953Ano de edição:Agosto de 2007
Carlos de Oliveira (1921-1981) nasceu em Belém doBrasil, e faleceu em Lisboa.Licenciou-se na Universidade de Coimbra emCiê...
Este livro é composto por trinta e cinco capítulos em que:•1ºperíodo- Cap.I - Cap.XVI - entre as cinco horas de uma Quinta...
A história leva-nos à aldeia de Montouro num Outonochuvoso, é constituída pelas relações conflituosasentre Álvaro Silvestr...
Maria dos Prazeres odeia o seu marido, nãosente qualquer amor ou carinho por ele, estasim amara Leopoldino, irmão de Álvar...
A rapariga encontrava se grávida mas o seu painão poderia saber de tal assunto uma vez quenão permitiria, querendo que est...
A abelha - o casal Álvaro e D. Maria dos Prazeres são identificados como “abelhas cegasobcecadas “;O mel - Ao nível de Álv...
Comparação as abelhas - Clara que juntamente com Jacinto forma um casalequilibrado onde reina a harmonia, tal como na colm...
(...)” Não apliques aos bichos amedida dos homens”(...)                                   (...)” Nem rei nem papa a morte ...
Last PP - Julha
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Last PP - Julha

1,336

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,336
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Last PP - Julha

  1. 1. Autor: Carlos de Oliveira;Editora:ASSIRIO & ALVIM;1ª edição: 1953Ano de edição:Agosto de 2007
  2. 2. Carlos de Oliveira (1921-1981) nasceu em Belém doBrasil, e faleceu em Lisboa.Licenciou-se na Universidade de Coimbra emCiências Histórico-Filosóficas.A sua obra poética e ficcional centra-se na vidacampestre.Obras poéticas:•Turismo (1942),•Sobre o Lado Esquerdo (1968),•Entre Duas Memórias (1971),Obras de ficção:•Casa na Duna (1943),•Uma Abelha na Chuva (1953),•Crónicas: O Aprendiz de Feiticeiro (1971).
  3. 3. Este livro é composto por trinta e cinco capítulos em que:•1ºperíodo- Cap.I - Cap.XVI - entre as cinco horas de uma Quinta-feira do mês deOutubro;•2ºperíodo- Cap.XVI - Cap.XXVI - tem duração de vinte e quatro horas de uma Sexta-feira;•3ºperíodo- Cap.XXVII - Cap.XXXV - desde de Sábado até o amanhecer de Domingo.
  4. 4. A história leva-nos à aldeia de Montouro num Outonochuvoso, é constituída pelas relações conflituosasentre Álvaro Silvestre e D. Maria dos Prazeres era filhade um fidalgo, descendente de um coronel-mor, de umguerreiro das Linhas de Elvas e primo da Bispomissionário de Cochim. O seu pai negociou o seucasamento com a família Silvestres quando elacompletou dezoito anos devido a miséria e a desgraçaem que viviam. Álvaro, inseguro e cobarde, teme que asua esposa possa descobrir as ilegalidades que estecometeu assim este recorre ao Comarca(Jornal deCorgos) para tornar pública a sua confissão de terroubado gente e povo.Sua mulher, preconceituosa em relação ao marido,domina o próprio humilhando-o uma vez que o impedede tal loucura dizendo que sofre de distúrbios.Paralelamente a este casal encontramos Jacinto e Claraque se amam mesmo contra a vontade dos pais.
  5. 5. Maria dos Prazeres odeia o seu marido, nãosente qualquer amor ou carinho por ele, estasim amara Leopoldino, irmão de Álvaro, viviaem África. Maria durante a noite sonhava comLeopoldino. Numa noite como era habitual,Álvaro bebeu muito até cair para o lado tendoofendido sua esposa, e esta pusera-o a dormirno escritório.Álvaro levanta se de madrugada, cheio dedores no corpo, e decide ir passear peloscampos. Quando caminhava ouviu numpalheiro o riso de uma mulher. Aproximando-sedo palheiro percebeu que era Clara e Jacintoque lá se encontravam a fazer planos para oseu futuro.
  6. 6. A rapariga encontrava se grávida mas o seu painão poderia saber de tal assunto uma vez quenão permitiria, querendo que esta se casassecom um fidalgo. Álvaro ao ouvir tudo istodecidiu contar tudo o que ouvira ao pai da rapariga.Dirigiu-se à loja do pai da rapariga e conta lhesobre a gravidez da sua filha com Jacinto. O paida rapariga sem pensar duas vezes decidemata-lo, Clara quando se apercebe do crimeque o pai cometeu entrega-o a polícia, mas odesgosto da pobre rapariga era tão grande queela acabou por se suicidar atirando se paradentro do poço.
  7. 7. A abelha - o casal Álvaro e D. Maria dos Prazeres são identificados como “abelhas cegasobcecadas “;O mel - Ao nível de Álvaro e D. Maria dos Prazeres "todos eles fabricam mel", é junto docasal Jacinto e Clara que o mel (isto é: a doçura, a perfeição) é susceptível de serencontrado na gravidez de Clara;As Abelhas - simbolizam as "trabalhadoras disciplinadas e incansáveis".Em oposição às abelhas temos o casal Álvaro Silvestre e Maria dos Prazeres (estareferência é feita por Dr. Neto), que diz "todos eles fabricam mel; abelhas cegas,obcecadas“;
  8. 8. Comparação as abelhas - Clara que juntamente com Jacinto forma um casalequilibrado onde reina a harmonia, tal como na colmeia. Jacinto tem o nome da florda qual Clara se alimenta para produzir mel, o filho. O zangão é Jacinto que após acópula com a abelha, morre;A água - A chuva é o sinónimo de agressividade no ambiente social e está presentenos conflitos pessoais e nos momentos mais importantes da acção , como porexemplo a situação de Álvaro e Maria dos Prazeres.
  9. 9. (...)” Não apliques aos bichos amedida dos homens”(...) (...)” Nem rei nem papa a morte escapa”(...)

×