• Like
Introdução à programação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Introdução à programação

  • 2,060 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
2,060
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
58
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Aula nº2: Sumário: Teste diagnóstico. Aula nº1: Sumário: Apresentação Preenchimento dos registos biográficos. Apresentação dos conteúdos da disciplina. Susana Mendes da Silva Canto 2009/2010
  • 2.
    • Noção de programa;
    • Programa fonte;
    • Programa objecto;
    • Fases de elaboração de um programa.
    Aula nº 3 SUMÁRIO:
  • 3.
    • Programa: Conjunto de instruções organizadas de uma forma lógica que permite ao computador executar tarefas que lhe são pedidas;
    • Programa-fonte:É o texto que nós escrevemos numa linguagem de programa.
    • Programa-objecto: é o programa que se obtém depois de se ter traduzido o programa-fonte.
  • 4.
    • 1.2 FASES DE ELABORAÇÃO DE UM PROGRAMA
    • Definição do problema;
    • Planificação da resolução;
    • Codificação do algoritmo numa linguagem de programação;
    • Testes e depuração;
    • Documentação;
    • Manutenção.
  • 5.
    • 1.Definição do problema:
    • Definir o problema de forma clara e completa.
    • 2. Planificação da resolução:
    • Aqui, há a considerar diversas estratégias de abordagem aos
    • problemas e diversos métodos de representação de um
    • esquema – algoritmo – que conduza à solução.
    • 3. Codificação
    • Trata-se de transpor as indicações do algoritmo para as
    • instruções numa linguagem de programação.
    • 4. Testes e depuração:
    • Após o código do programa, há que testá-lo com diversos tipos
    • de dados e em diferentes situações, de modo a poderem
    • detectar-se eventuais erros, falhas ou omissões.
  • 6.
    • 5. Documentação:
    • A documentação do programa pode ser de dois tipos,
    • dirigindo-se a dois tipos de destinatários: programadores e
    • utilizadores. Para os programadores a documentação pode, em
    • grande parte, ser incluída no próprio código e visa facilitar a sua
    • compreensão e a sua eventual retoma para alterações ou
    • melhoramentos. Para os utilizadores a documentação visa
    • facilitar a aprendizagem relativa ao modo de operar com o
    • programa.
    • 6. Manutenção:
    • Esta fase diz respeito a possíveis alterações que sejam
    • necessárias fazer ou aperfeiçoamentos que se revelem úteis .
  • 7.
    • Aula nº4
    • Sumário: Noção de algoritmo.
    • Características de um algoritmo.
    • Noção de programa.
    • Operadores elementares: Operadores aritméticos, operadores relacionais ou de comparação e operadores lógicos. Ordem de prioridade dos operadores.
  • 8.
    • Programa: Conjunto de
    • instruções destinadas a
    • serem processadas num
    • sistema informático para
    • realizar alguma tarefa.
    Algoritmo : Sequência finita e ordenada de acções que conduzem á solução de um problema. Fase de concepção Fase de implementação
    • A algoritmia permite separar duas fases distintas na resolução de problemas
    • A fase de formulação de algoritmos;
    • A fase da sua implementação numa linguagem de programação
  • 9.
    • Características de um bom algoritmo:
    • Deve ser correctamente definido;
    • Deve ser eficaz;
    • Deve ter a capacidade de resolver o problema com um número mínimo de recursos.
  • 10. Unidades de entrada ou Input Operadores de entrada ou inputs de dados. Por Ex.: Ler (valor) Operadores de Processamento interno Ex.: Valor =V* (1+0.9) Operadores de saída ou output de dados. Ex: Escrever (valor) Unidade Central de Processamento Unidades de saída ou output
  • 11.
    • Operações de entrada ou input de dados:
    • Utilizam-se as palavras ler ou obter.
    • Operações de saída ou output de dados:
    • Utilizam-se as palavras escrever ou apresentar .
    • Operações de processamento são essencialmente operações
    • de cálculos aritméticos e lógico.
    Operadores aritméticos Operador Operação + Adição - Subtracção * Multiplicação / Divisão
  • 12.
    • Operadores relacionais ou de comparação
    Operadores lógicos Operador Operação = Igual < Menor > Maior >= Maior ou igual >= Menor ou igual <> Diferente Operador Operação AND E OR OU NOT NEGAÇÃO
  • 13.
    • Ordem de prioridade dos operadores em geral
    1º Operadores unários + (sinal positivo) -(sinal negativo) 2º Operadores multiplicativos * / 3º Operadores aditivos + - 4º Operadores relacionais > = < >= <= <> 3º Operadores Lógicos NOT, AND, OR Maior Menor Prioridade
  • 14.
    • Aula nº5
    • Sumário: Dados e tipos de dados.
    • Variáveis e constantes.
    • Declaração e atribuição.
    • Introdução aos fluxogramas e pseudocódigo.
  • 15.
    • Tipos de dados
    • Caracteres: cadeias de caracteres ou texto;
    • Dados numéricos: inteiros(negativos, zero e positivos) ou reais (em que figura a parte decimal);
    • Dados do tipo lógico ou booleanos: estes dados admitem apenas um entre dois resultados possíveis: verdadeiro(true) ou falso (false).
  • 16.
    • Variáveis e constantes:
    • Em algoritmos e programas os dados podem surgir
    • sob a forma de constantes ou variáveis.
    • Constante: é um dado que permanece inalterável do início ao fim do algoritmo.
    • Variáveis : é um dado que pode sofrer alterações de valor ao longo do algoritmo.
  • 17.
    • Aula nº 6
    • Sumário: Representação de algoritmos:
    • Pseudocódigo e fluxogramas.
    • Ficha de trabalho nº1 .
  • 18.
    • Técnicas de representação de algoritmos:
    • Fluxogramas
    • Pseudocodigo
    • Fluxogramas:
    • São diagramas que representam
    • os fluxos das acções contidas num programa,
    • utilizando para tal, símbolos. Estes diversos
    • tipos de acção e o seu relacionamento na
    • sequência do programa .
  • 19. Processamento Entrada/Saída Decisão Escolha Múltipla Processo ou sub-rotina Ligação Início/Fim Circuito
  • 20.
    • VANTAGENS DOS FLUXOGRAMAS
    • Fácil de visualizar;
    • Cada símbolo tem um significado, portanto simplificam a resolução de uma situação.
    • São simples de testar;
    • Permite estruturar o programa;
    • DESVANTAGENS DOS FLUXOGRAMAS
    • Não possui regras padrão, depende do estilo de escrita de cada programador;
    • Não permite uma rápida visualização de situações específicas;
    • Para problemas mais complexos, torna-se de difícil compreensão.
  • 21.
    • PSEUDOCODIGO
    • É uma forma de representar os algoritmos, utilizando uma linguagem escrita para representar as acções que o programa vai efectuar.
    • Exemplo:
    Inicio ler (A); Ler (B); C  A+B; Escrever (C); Fim
  • 22.
    • FICHA DE TRABALHO Nº1
  • 23.
    • Sumário: Estruturas de controlo:
    • Estrutura sequencial, estrutura de selecção e estruturas repetitivas.
    • Ficha de trabalho nº2.
  • 24.
    • Estrutura sequencial:
    • É a estrutura de controlo mais simples e consiste na especificação das instruções a serem utilizadas.
    Inicio A  20 B  a+2 C  a/b Fim … A  20 B  a+2 C  a/b …