Doc1

725 views
650 views

Published on

Published in: Travel, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
725
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
292
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Doc1

  1. 1. Aluna: Ana Margarida Cardoso Ano/ Turma: 12ºA Editora: Presença Ano de publicação: 1979 Ano de 1ª edição: 1984 Ano de 5ª edição: 2008 Local de edição: Lisboa Período de Leitura: 11/Abril – 20/Abril Autor Michael Ende nasceu a 12 de Novembro de 1929, em Garmisch,Alemanha e morreu a 29 de Agosto de 1995, EmFilderstadt-Bonlanden, Alemanha. Foi um escritoralemão de romances sobre fantasia e livros infantis efez parte do movimento antroposófico (estudo dohomem sob o ponto de vista moral e intelectual).Tornou-se conhecido pelo seu trabalho A HistóriaInterminável (Die unendliche Geschichte, no original),publicado em 1979, que recebeu inúmeros prémiosliterários alemães e internacionais. Este livro foitraduzido para cerca de 40 países tendo vendido até hoje 8 milhões deexemplares. Para começar é bom explicar que este livro se encontra impresso emduas cores: as partes a cor de laranja correspondem ao mundo real, aomundo dos humanos, onde vive Bastian e as partes a preto,correspondem ao livro que Bastian está a ler, A História Interminável.
  2. 2. Resumo Bastian, um rapazinho baixo e francamente gordo, de uns dez ouonze anos, entra numa livraria e rouba um livro chamado A HistóriaInterminável, fugindo, de seguida para o sótão da sua escola, onde ocomeça a ler. Nessa altura, ainda não tem noção do que o livrorepresenta. O livro tem uma capa que brilha quando se mexe e temduas cobras, uma branca e uma preta, que mordem a cauda uma daoutra, formando uma oval. Estava impresso em duas cores diferentes. A História Interminável começa com a introdução de quatromensageiros que procuram a Imperatriz Criança, para a informar quealgo tinha feito desaparecer partes das suas cidades. Lá encontramoutros mensageiros que se queixam do mesmo problema. Mas aImperatriz Criança está doente e pede assim a Cairon, um médico, queprocure Atreiú, para que este parta na Grande Busca ou seja, encontraruma cura para a sua doença. O mesmo mal que está a fazer partes decertas cidades desaparecerem é também a doença da Imperatriz, oNada. Para auxiliar Atreiú na Busca, é-lhe confiado AURIN, tambémconhecido como o «Brilho» - o símbolo da Imperatriz Criança, que érespeitada por todos, já que não distingue o bem do mal, o bonito dofeio, e que tem uma forma oval, formada por duas cobras, que mordema cauda uma da outra – para que possa sobreviver aos vários perigos. Atreiú procura a Morla, que lhe explicará a cura para a doença daImperatriz. Com Artax, o seu cavalo, viajam em busca da Morla mas,para a encontrar têm que passar o Pântano da Tristeza, onde Artaxmorre “afogado” em tristeza. Atreiú sobrevive, uma vez que tem o«Brilho». Quando fala com a Morla, esta diz-lhe que a Imperatriz precisade um nome novo e manda-o procurar o Oráculo do Sul. Entretanto, nosótão, Bastian acha estranho que ninguém em Fantasia possa dar umnovo nome à imperatriz. Atreiú viaja agora sozinho e a pé, quando encontra uma criatura deuma espécie desconhecida, chamado Ygramul. Esta criatura está a tentaralimentar-se de um Dragão da Sorte, um animal raro em Fantasia.Procurando ajuda para encontrar o Oráculo do Sul, Atreiú pergunta aYgramul como o pode encontrar ao que este responde que o seuveneno, embora seja letal, lhe dará o poder de viajar para onde quiser.Atreiú aceita assim ser mordido pela criatura, na esperança que consigaencontrar a cura e voltar para junto da Imperatriz Criança antes que oveneno o mate. Devido ao poder conferido pelo veneno, Atreiú acorda num lugardesconhecido com uma voz a chamar o seu nome: é Fuchur, o Dragãoda Sorte, que ouviu o que a criatura contara a Atreiú e decidiu juntar-seao nosso herói. Nessa terra desconhecida são tratados por dois colonos,a velha Urgl e o velho Enguivuck, este último nutre uma paixão por
  3. 3. Uiulala, o Oráculo do Sul e pretende lançar um livro sobre este. Paraentrar no templo de Uiulala é preciso passar por três portas: a Porta doGrande Enigma, a Porta do Espelho Mágico e a Porta Sem Chave. Aprimeira porta é vigiada por duas esfinges que apenas deixam passar osmercadores, a segunda é necessário entrar em si próprio e na terceira épreciso desejar verdadeiramente que ela se abra. Esta informação édada a Atreiú por Enguivuck. O rapaz consegue passar pela primeiraporta porque têm AURIN consigo, na segunda, reflectido no espelho, vêBastian e na terceira ouve Bastian pedir-lhe para não desistir, quandoestava prestes a voltar as costas à porta e a ir embora. Encontrando-se, então, com Uiulala, Atreiú apercebe-se que este éapenas uma voz, a voz do silêncio. Uiulala apenas fala e responde afrases que rimem, obrigando Atreiú a esforçar-se para rimar. Esta diz-lheque ninguém em Fantasia pode dar um nome à Imperatriz, mas que háquem possa, no Mundo Real, os filhos de Adão e as filhas de Eva, oshumanos. Quando Atreiú acorda, depois deste encontro, todas as portase o Templo tinham desaparecido e o velho colono quer saber como é asua musa, mas Atreiú não lhe quer dizer. Os dois colonos partem paralonge de sua casa porque o Nada aproxima-se e Atreiú e Fuchurdecidem sobrevoar Fantasia, há procura das suas fronteiras. Enquanto ofazem, são apanhados no meio de um confronto entre os quatroGigantes do Vento, onde se separam. Na queda, Atreiú perde AURIN. Vagueando sozinho, Atreiú chega à Cidade-Fantasma, que estádeserta, pois o Nada atraiu todos os seus habitantes. Lá encontraGmork, um lobisomem, que lhe diz que o Mundo Real é um mundo àparte e que são as mentiras dos homens que fazem o Nada crescer.Bastian fica então perturbado ao pensar quem, com as suas mentiras,contribuiu para a destruição de Fantasia. Entretanto, Fuchur procura Atreiú e encontra o «Brilho», no fundo domar. Conseguindo alcançá-lo, continua a busca pelo seu amigo.Encontra-o, finalmente, quase a ser “devorado” pelo Nada, masconsegue salvá-lo e voam de volta para a Torre de Marfim. Quandochega perto da Imperatriz Criança, Atreiú repara na sua beleza etambém Bastian a vê e pensa num nome ideal: Filha da Lua. Atreiú temeter falhado por não ter conseguido encontrar um humano, mas aImperatriz diz que ele fez um bom trabalho. Esta já sabia que precisavade um novo nome – o que deixa Atreiú frustrado – mas o nosso heróitinha que passar por tudo aquilo para que o Salvador viesse. Uma vez que o Salvador não aparece, a Imperatriz decide ir procuraro Velho da Montanha Errante, o escritor do livro de tudo o que aconteceem Fantasia. Este recomeça a contar A História Interminável, mas não nomomento em que Bastian começou a ler, quando os mensageirosaparecem, mas quando este entra na livraria e rouba o livro. E assim,apercebendo-se que a Imperatriz se referia a ele, que era ele o Salvador
  4. 4. e dar um nome novo à Imperatriz, Bastian diz pela primeira vez o novonome da Imperatriz e viaja até Fantasia. No seu encontro com a Imperatriz esta dá a Bastian AURIN e diz aBastian para fazer o que quiser, o que desejar. Este cria assim umafloresta, Perelim, a Floresta Nocturna, mas rapidamente se aborrece edecide que quer companhia, criando Goab, o Deserto das Cores. Nestedeserto vive Graograman, um leão conhecido como Morte Multiculor, reido deserto. Este convida Bastian a ir para o seu palácio. Lá, Bastianapercebe-se que, à noite, o leão é transformado em pedra, para quePerelim volte a crescer, mostrando assim que os seus actos têmconsequências. O leão oferece a Bastian Sikanda, uma espada mágica,que defende o lutador sozinha, mas apenas quando este está em perigo. Para sair de Goab, Bastian entra no Templo das Mil Portas, onde temque escolher sempre entre duas portas, mas como ainda não sabe o quedeseja, não consegue sair. Decidido então a encontrar Atreiú, escolhe asportas que tenham alguma característica em comum com o nosso heróie acaba por sair do Templo onde encontra Hynreck, o Herói e trêsamigos, que vão participar num torneio para decidir quem vai protegero Salvador. Como Bastian escondera AURIN, estes não sabem quem eleé. Durante o torneio, Bastian confronta-se com Hynreck, derrotando-ocom a ajuda da espada mágica. Hynreck estava apaixonado pela Princesa Ogamar, mas esta apenasestá interessada no mais dos heróis e Hynreck tinha sido derrotado.Para o ajudar, Bastian – o único com o poder de inventar histórias emFantasia – inventa que a princesa é raptada por um Dragão e é Hynreckque a irá salvar. Como todos os seus outros desejos, também este serealiza. Uma vez que o povo de Amargante vive de contar histórias e oseu reportório é reduzido, Bastian cria uma biblioteca com o seu nome edá uma história à cidade: os aiaiai, seres muito feios, criam a prata queconstrói a cidade e choram Murhu, o Lago das Lágrimas. Bastian, Atreiú, Fuchur e os três cavaleiros partem à procura daporta de regresso ao mundo de Bastian, mas este não quer regressar,logo não têm rumo. Quando pernoitam numa caverna, encontram osaiaiai, que Bastian, por ter pena destes e por se sentir culpado porserem seres tão tristes, transforma em lindas borboletas, mas estascomeçam a destruir a prata. Atreiú pede a Bastian que lhe conte coisassobre o seu mundo, mas este não se lembra, pois casa vez que eledeseja algo, um pedaço da sua memória da vida real desaparece.Encontrando então um objectivo de viagem, a Torre de Marfim, Bastian eos companheiros recebem a visita de alguns príncipes, que querem aajuda de Bastian. Este diz-lhes que só os pode ajudar se o ajudarem aele a encontrar a Imperatriz Criança. Durante a viagem, encontram um palácio, onde reside Xayíde, quetenta intimidar Bastian a submeter-se ao seu poder, mas este nega,dizendo que não tem medo desta. Para convencer Bastian, Xayíde rapta
  5. 5. os três cavaleiros e Bastian, com a ajuda de Atreiú e Fuchur consegueresgatá-los. Tendo sido derrotada, Xayíde pede misericórdia e prometecumprir todos os desejos de Bastian, que este aceita. Quem não gostada ideia é Atreiú, que pensa que os objectivos de Xayíde não são tãoinofensivos como Bastian pensa. Quando confronta Bastian com os seuspensamentos, este repreende-o, não querendo ser aconselhado. Xayídedá a Bastian um cinto que o torna invisível, o cinto Guemal e diz-lhe queAtreiú está a pensar em roubar-lhe AURIN. Embora Bastian se recuse aacreditar em tal coisa, usa o cinto para espiar os dois amigos e confirmaas suspeitas de Xayíde. Quando Atreiú e Fuchur tentam roubar AURIN,Bastian impede-os e expulsa-os da sua comitiva. Acreditando que Bastian precisa de entregar AURIN, Atreiú reúne umexército que fará frente ao exército de Bastian e Xayíde, e no confronto,a Torre de Marfim é destruída e Bastian fere Atreiú no peito. Vagueandosozinho, depois da luta, Bastian sente-se mal ao ter ferido o amigo e,enquanto caminha, entra na Cidade dos Antigos Imperadores, ondeestão alguns dos humanos que viveram em Fantasia, mas que acabarampor enlouquecer. Aí, Bastian decide que precisa de voltar para casa.Encontra-se com a Dama Aiuola, que lhe oferece casa enquanto estedecide quando é a sua Verdadeira Vontade, ou seja, o seu último desejoe este descobre que é ser conseguir amar. Bastian segue assim o seucaminho e encontra Yor, um mineiro, que cria imagens, imagens essasque vão lembrar Bastian do seu pai. Assim, Bastian procura a fonte dasÁguas da Vida, mas é atacado pelas borboletas que antes eram os aiaiaie é salvo por Atreiú e Fuchur. Ao chegarem à fonte, Bastian conseguevoltar para casa e regressa para casa, onde a sua relação com o paimuda radicalmente. Ao ir contar ao Sr. Koreander que tinha perdido oseu livro, este diz que o livro não lhe pertencia, assim como nãopertence a ninguém, e Bastian descobre que também este já esteve emFantasia. Relação Título-Livro “Fantasia é a História Interminável.” É assim que Bastian respondequando alguém em Fantasia lhe pergunta o que é aquele país. O títuloescolhido para esta obra justifica-se muito facilmente por toda a históriadescrita, já que, a história de Fantasia não pode acabar, pois haverásempre alguém a ler o livro e a dar um novo nome à Imperatriz Criança.Uma das frases mais repetidas ao longo do livro é “mas isso é umahistória diferente e terá de ser contada noutra ocasião.”sendo outrajustificação para o título deste livro, indicando, tal como é referido nolivro por Bastian, as histórias são sempre intermináveis, pois aoterminar-mos uma, ela vai dar origem a uma outra e assimsucessivamente.
  6. 6. Citações “- E contas essas coisas a ti mesmo? Porquê? - Porque não interessam a mais ninguém.” “ As paixões humanas são misteriosas e as das crianças não osão menos que as dos adultos. As pessoas que as experimentam nãoas sabem explicar e as que nunca as viveram não as podemcompreender.” “Pois não há olhos que suportem olhar o nada total.” “Sucede, porém, que o horror vai deixando de ser tão terrível àmedida que se repete muitas vezes.” “E nada tem mais poder sobre o homem do que a mentira.” “- Quem sabe – disse ela sorrindo – se as histórias não sãoverdadeiras?” “É a tua proibição de avançar que me está a levar até junto deti.” “(…) podemos estar convencidos durante muito tempo – anostalvez – de querermos algo se soubermos que o nosso desejo éirrealizável. Porém, se de súbito nos encontrarmos perante apossibilidade de que esse desejo ideal se transforme em realidade,apenas desejamos uma coisa – nunca o ter desejado.” “E exactamente por essa razão o seu desejo de ser belodesvanecera-se também, pois ninguém deseja ser aquilo que já é.” “Atreiú não lutava por si, mas sim pelo seu amigo, a quemqueria vencer para o salvar.” “Quem não tem passado também não tem futuro.” “Aquilo que desejara era a sua perdição e aquilo que odiara eraa sua salvação.” “Doía-lhe o coração, que não era suficientemente grande parauma saudade tamanha.”
  7. 7. Reacção Pessoal ao livro Como faço com qualquer outro livro, comecei por o abrir e repareique estava impresso em duas cores. A primeira coisa que fiz, foiconfirmar que todos os outros da loja também estavam assim, não fosseeste ter algum erro. Curiosa por saber porque tal acontece, comeceiimediatamente e ler o livro e percebi que, num só livro, estavam a sercontadas duas histórias, que de início são diferentes, mas que acabampor se intercalar. Na verdade, Bastian, o leitor, acaba por entrar no livro,tal como o leitor entra num livro, embora Bastian o tenha feito nosentido literal. O que posso retirar deste livro é que qualquer histórialeva a outra e essa a uma outra, sendo realmente uma históriainterminável. “Se a História Interminável Em si mesma se encerrar Este mundo admirável Vai neste livro acabar! Porém, se o herói vier, E a todos nós se entregar, Nova vida irá nascer. Só dele depende chegar!”

×