Your SlideShare is downloading. ×
Trabalho Geo Ue
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Trabalho Geo Ue

2,582
views

Published on

Published in: Technology, Business

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,582
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
49
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Grupo: Inês Carvalho, nº6 Joana Lima , nº7 Joana Oliveira, nº8 Joana Carvalho, nº9 Vanessa Costa, nº20
  • 2.
    • - Europa destruída depois da II Guerra Mundial (baixas civis e militares, miséria e fome). Cidades inteiras arrasadas.
    • - Chefes de estado dos principais países vencedores (Reino Unido, EUA e URSS) Winston Churchill, Franklin Roosevelt e Estaline, reúnem-se.
    • Fevereiro de 1945 – Conferência de Ialta . Tinha como objectivo resolver os problemas postos pela derrota dos Alemães.
    • - Resultado da conferência: Alemanha ficou dividida em quatro zonas ---» três ocidentais, administradas pelos EUA, França e Reino Unido e uma oriental, administrada pela URSS.
  • 3.
    • - Mais tarde, zonas ocidentais juntam-se, formando a República Federal da Alemanha (RFA), enquanto a zona oriental se passa a denominar de República Democrática Alemã (RDA).
    • - Europa perde o domínio sobre o mundo. Estados Unidos da América e a URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) surgem como dois pólos político-económicos dominantes a nível mundial.
    • - Europa desorganizada a nível económico e corria sérios riscos de desestabilização política. ---» Novo objectivo: encontrar mecanismos que garantissem a estabilidade na Europa.
  • 4.
    • - Administração Americana dá o primeiro impulso para a reconstrução da Europa Ocidental: Plano Marshall .
    • Plano Marshall: plano elaborado pelos Estados Unidos da América destinado à recuperação dos países da Europa Ocidental, após a II Guerra Mundial, cujo nome oficial era Programa de Recuperação Europeia. Gerido pela Organização Económica de Cooperação Europeia (OECE).
  • 5.
    • - Fim da II Guerra Mundial ---» início de uma nova “vida” ---» criação dos Estados Unidos da Europa, criação de um novo sistema de alianças:
    • Tratado de Bruxelas : pacto de cooperação assinado em 1948 pela França, Grã-Bretanha, Bélgica, Luxemburgo e Holanda que propunha uma aliança a nível económico, social e cultural e que pretendia também esclarecer um sistema de autodefesa;
    • Tratado do Atlântico Norte : assinado em 4 de Abril de 1949;
    • Conselho da Europa .
    • - Surge a Comunidade Económica Europeia (CEE) a 25 de Março de 1957 com a assinatura do Tratado de Roma por parte de seis países fundadores : França, Bélgica, Luxemburgo, República Federal Alemã, Holanda (Países Baixos) e Itália.
  • 6.
    • Esta organização tinha como objectivo a formação de um mercado comum em que os homens, as mercadorias e os capitais circulassem livremente. Procurava reforçar os laços de cooperação e amizade entre os Estados-membros, evitando o aparecimento de situações de conflito que conduzissem a uma nova guerra.
    • - 1973 – 1º alargamento – Reino Unido, Dinamarca e Irlanda (Europa dos 9).
    • - 1981 – 2º alargamento – Grécia (Europa dos 10).
    • - 1986 – 3º alargamento – Portugal e Espanha (Europa dos 12).
    • - 1989 – Queda do Muro de Berlim.
    • - 1992 – Tratado de Maastricht – Deu uma nova dimensão ao processo de integração europeia. A União preparou-se para uma nova realidade internacional: o fim da divisão da Europa. Foi também com a assinatura deste tratado que o nome de União Europeia (UE) substituiu o de Comunidade Europeia.
  • 7.
    • Nova fase no processo de integração europeia. O tratado instituiu a cidadania europeia , permitindo aos cidadãos de todos os Estados-membros uma maior liberdade para circular, viver, trabalhar ou estudar em qualquer um dos países-membros, bem como o de poder eleger e ser eleito nas eleições municipais e europeias no Estado-membro de residência.
    • - 1993 – Conselho Europeu de Copenhaga: foram redefinidas as relações entre a Comunidade e os Países da Europa Central e Oriental (PECO), com os quais a Comunidade celebrou ou tencionava celebrar acordos europeus.
    • PECO – República Checa, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Polónia, Eslováquia, Eslovénia, Bulgária e a Roménia.
    • - 1995 – 4º alargamento – Áustria, Suécia e a Finlândia (Europa dos 15).
    • - Após este quarto alargamento e em resultado da dissolução do Bloco de Leste, desenha-se a perspectiva de alargamento da União Europeia a esses países.
  • 8.
    • 1997 – Tratado de Amesterdão: cooperação reforçada; abertura de novas negociações para proceder às reformas institucionais necessárias, na perspectiva do alargamento.
    • - 1999 – Conselho Europeu de Colónia – convocou uma nova Conferência Intergovernamental (CIG). Objectivo, a saber:
    • A dimensão e a composição da Comissão Europeia;
    • A ponderação doa votos no Conselho;
    • A eventual extensão da votação por maioria qualificada no Conselho.
    • - 2001 – Tratado de Nice: possibilitou a reforma institucional necessária ao alargamento da União Europeia aos países candidatos do Leste e do Sul da Europa.
    • - 2004 – 5º alargamento – Estónia, Letónia, Lituânia, Polónia, República Checa, Eslováquia, Eslovénia, Hungria, Chipre e Malta (Europa dos 25).
    • - 2007 – 6º alargamento – Bulgária e Roménia (Europa dos 27).
  • 9.
    • Princípios fundamentais da União Europeia :
    • Estabelecer os fundamentos de uma União cada vez mais estreita entre os povos europeus
    • Consolidar a defesa da paz e da liberdade
    • Melhorar condições de vida e de trabalho dos seus povos
    • Aprofundar a solidariedade entre os povos, respeitando a sua história, cultura e tradições
  • 10.
    • Para que um país europeu se possa candidatar à União Europeia é necessário :
    • Respeitar os princípios de liberdade democracia , e respeito pelos direitos do homem .
  • 11.
    • Segundo os critérios estabelecidos pelo conselho Europeu em Copenhaga no ano de 1993 para um país se candidatar á adesão são:
    • Que o país disponha de instituições estáveis que garantam a democracia , o Estado de direito, os direitos humanos, o respeito pelas minorias e a sua protecção – Critério político
    • Que o país candidato tenha uma economia de mercado em funcionamento e a capacidade para responder á pressão da concorrência e ás forças do mercado dentro da União Europeia – Critério Económico
    • A capacidade dos candidatos para assumirem as suas obrigações, incluindo a adesão aos objectivos de união politica, económica e monetária Critério Jurídico
  • 12.  
  • 13.  
  • 14.
    • 1997 – Estratégia de Pré-Adesão
    • Parcerias de Adesão
      • Definição de prioridades nacionais
      • Adopção do acervo comunitário
    • Instrumentos de apoio técnico e financeiro
    • 1999 – Conselho Europeu de Berlim
    • Aumento significativo das ajudas financeiras de pré-adesão
    • Criação de programas comunitários
    • Reforço do programa PHARE
    • Criação de dois instrumentos:
      • IEPA
      • SAPARD
  • 15.
    • 2006 – “Estratégia de Alargamento”
    • Consolidação de Compromissos
    • Condições de adesão rigorosas e justas
    • Comunicação ao público
    • Potenciais candidatos: Turquia, Croácia e República da Macedónia
  • 16.
    • Estratégia de Pré-Adesão
    • Acordos europeus, de associação e de estabilidade
    • Parcerias para a adesão
    • Participação em eventos da U.E
    • Programa nacional de adopção do acervo comunitário
    • Relatórios periódicos de balanço
    • Instrumento de assistência de pré-adesão ( IPA )
  • 17.
    • IPA – Instrumento de Assistência de Pré-Adesão:
      • Maior eficácia e facilidade na atribuição de fundos
      • Promove uma melhor utilização dos recursos
      • Melhora a coordenação com instituições financeiras internacionais
    • CARDS – Assistência comunitária para a Reconstrução, o Desenvolvimento e a Estabilização (apoio à estabilidade política e social)
  • 18.
    • PHARE – Polónia e Hungria: Assistência para Recuperar a Economia
    • IEPA – Instrumento Estrutural de Pré-Adesão
      • Financia infra-estruturas na área dos transportes e do ambiente
    • SAPARD – Programa Especial para a Agricultura e o Desenvolvimento Rural
  • 19.
    • Objectivos do programa SAPARD:
    • Estabelecer quadros de apoio à agricultura e ao desenvolvimento rural sustentável no período de pré-adesão
    • Apoiar a resolução de problemas a longo prazo do sector agrícola e das áreas rurais
    • Apoiar na aplicação do acervo comunitário relativo à PAC
  • 20.
    • Apoio Agrícola e Rural:
    • Modernização das explorações
    • Melhoramento das estruturas de transformação e comercialização
    • Maior controlo veterinário e sanitário
    • Melhor gestão dos recursos hídricos
    • Preservação do ambiente e do espaço rural
    • Promoção da formação profissional
    • Diversificação económica das áreas rurais
  • 21.
    • Oferecer um espaço de liberdade, segurança e justiça
    • Criação de uma Europa de desenvolvimento sustentável, baseada num crescimento económico, equilibrado e competitivo com preocupação ambiental
    • Promoção do progresso científico e técnico
    • Luta contra a exclusão e descriminação
    • Promoção da coesão económica, social e territorial entre os Estados- Membros.
  • 22.
    • A superfície e a população aumentaram significativamente
    • Deu-se um empobrecimento em termos gerais
    • Maior heterogeneidade económica, social e cultural
  • 23.
    • Tornou-se mais periférico
    • e viu reduzidos os fundos estruturais
    • Competir com os novos Estados – Membros
    • Maior concorrência para as exportações portuguesas e na captação de investimento estrangeiro
  • 24.
    • Maior possibilidade de internacionalização da economias portuguesa
    • Alargamento do potencial mercado consumidor de produtos portugueses
    • Participação no maior mercado comum do Mundo
  • 25.
    • Melhores infra-estruturas e estruturas produtivas mais organizadas
    • Maior desenvolvimento social
    • Maior estabilidade política e económica
    • Sistema bancário mais eficiente e credível