• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
O filme nome da rosa
 

O filme nome da rosa

on

  • 9,067 views

 

Statistics

Views

Total Views
9,067
Views on SlideShare
9,065
Embed Views
2

Actions

Likes
1
Downloads
61
Comments
0

2 Embeds 2

http://www.slideshare.net 1
http://xichass.wordpress.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    O filme nome da rosa O filme nome da rosa Document Transcript

    • -1045210-876300<br />HISTÓRIA DOS MÉDIA<br />RECENSÃO<br />DOCENTE: PROF. LUIS VIDIGAL<br />DISCENTE: CLÁUDIA PATRICIA ANASTÁCIO <br />1º ANO EDUCAÇÃO COMUNICAÇÃO MULTIMÉDIA – PÓS LABORAL<br /> I . Filme<br />I.I “O NOME DA ROSA”<br /> País/Ano de produção: França/Itália/Alemanha, 1986<br />I.II FICHA TÉCNICA<br />Títulos alternativos: The Name of the Rose/ Nom de la Rose, Le / Nome Della Rosa, Il<br />Género: Drama<br />Duração: 130 min. <br />Tipo: Longa metragem/ colorido<br />Distribuidoras: Flashstar, Warner Bros<br />Produtoras: Cristaldifilm, France 3 Cinéma, Les filmes Ariane, Neue Constantin Film, Rai Uno Radiotelevisione Italiana, Zweites Deutsches FernsehenDirecção de Jean-Jacques AnnaudElenco: Sean Connery, F. Murray Abraham, Christian Slater<br />I.III O ARGUMENTO E O ESCRITOR<br />O filme foi inspirado no romance “O Nome da Rosa”, escrito por Umberto Eco, nascido a 5 de Janeiro de 1931 em Alexandria, na Região Italiana de Piedmont.<br />Eco, recebeu uma educação salesiana, o que determinou a sua escrita e consequentemente as suas obras, sendo além de escritor de romances, filósofo, semiólogo, linguista e bibliófilo italiano.<br />Este livro foi originalmente publicado em 1980 e rapidamente assumiu o estatuto de clássico-moderno, tendo sido inicialmente traduzido para alemão, inglês e espanhol. Foi, posteriormente traduzido para mais de 60 línguas e vencedor de dois dos principais prémios literários italianos (Viareggio e Strega).<br />"O Nome da Rosa", um enorme sucesso de vendas a nível mundial, explora as diversidades, contradições e complexidades do mundo medieval, mas também levanta questões relacionadas com a actualidade, em última análise, sobre o que é que constitui a cultura, a quem é transmitida, por quem e com que objectivos.<br />Foi, sem dúvida, a obra que tornou este escritor mundialmente conhecido.<br />Além de "O Nome da Rosa", Eco escreveu três outros romances: "O Pêndulo de Foucault" (1988), "A ilha do dia antes" (1994) e "Baudolino" (2000), todos editados em Portugal.O Nome da Rosa foi adaptado cinematograficamente em 1986 por Jean-Jacques Annaud.<br />II. SINOPSE DO FILME<br />Uma série de estranhos homicídios, onde as vitimas aparecem mortas com os dedos e as línguas roxas, começam a ocorrer num mosteiro no norte da Itália, nos finais da Idade Média.<br />William de Baskerville, um monge franciscano, e Adso von Melk, um noviço que o acompanha, chegam ao remoto mosteiro, pois Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a sua atenção é desviada por estes curiosos assassinatos que acontecem no mosteiro. <br />Baskerville começa então a investigar o caso, que se mostra bastante enigmático, além dos restantes religiosos acreditarem que é obra do Diabo, dificultando qualquer investigação racional.<br />Ao não partilhar desta opinião, Baskerville desenvolve esforços para resolver o mistério, mas antes que conclua as investigações Bernardo Gui, Grão-Inquisidor, chega ao local com a pré-disposição e vontade de torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome de Lúcifer. <br />Considerando que ele não gosta de Baskerville, coloca-o no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. <br />Esta batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado<br />A imensa biblioteca, existente no mosteiro, onde poucos monges têm acesso às publicações sacras e profanas é o cenário principal desta obra. <br />"O Nome da Rosa" é uma obra labiríntica, cujo conteúdo é muitas vezes insondável.<br />III. PRODUÇÃO<br />O filme decorre num mosteiro encravado numa montanha, controlado pelos Beneditinos e que recebe a ilustre visita de monges Franciscanos. <br />É vivido e respirado uma atmosfera sombria do local, sendo amplamente demonstrado o aspecto doentio de muitos dos frades que aparecem no decorrer da história e o tom escuro de muitas das sequências. Efeitos propositadamente trabalhados pelo director Jean-Jacques Annaud.<br />É-nos mostrado a rejeição, por parte da maioria dos monges que circulam no mosteiro, de conceitos considerados avançados para a época e é destacada a figura da Inquisição a partir da metade do filme, revelando-nos tudo isto um pouco do que foi a Idade Média.<br />Este filme foi filmado num verdadeiro mosteiro do século XXII onde sombrias figuras encapuçadas tudo vigiam como gárgulas.<br />A forma brilhante como o frade William of Baskerville vai decifrando mistério após mistério e todo o enquandramento da história está simplesmente divinal. <br />A equipa de Annaud, ao ser assistida pelo historiador francês Jacques Le Goff e ao fazer uma reprodução praticamente fiel da época, deu ao filme uma enorme credibilidade no que se refere à utilização do mesmo como recurso didáctico, sendo esta uma das maiores qualidades do filme.<br />O figurino, os cenários (o filme foi feito num autêntico mosteiro medieval), o ambiente, as músicas, os objectos disponibilizados e mesmo a fotografia em tons lúgubres (escuros, dando-nos uma impressão de humidade nos locais de filmagem) tornam-se referências para que apresentar o domínio cristão medieval. <br />A própria atmosfera de violência, muitas vezes bem patente, evidencia práticas correntes da época no relacionamento entre os homens - que a caridade cristã não conseguia conter, até no relacionamento com as mulheres, como é mostrado no filme.<br />O filme mostra uma crítica do poder e do esvaziamento dos valores pela demagogia, violências sexuais, os conflitos no seio dos movimentos heréticos, a luta contra a mistificação e o poder. <br />Uma parábola sangrenta patética da história da humanidade. <br />Trata-se de um filme carregado de cenas que oferecem ao espectador uma excelente dose de suspense e ansiedade sobre o resultado final, interpretações majestosas e um clima tenebroso muito bem suportado por planos profundos da solidão que se vive num mosteiro rodeado apenas de majestosas montanhas, envoltos num ambiente medieval irrevogável e digno de ser premiado. <br />Macabro, duro, inteligente e negro, oferece uma jornada a um argumento fascinante de causas e soluções criminosas decadentes que levam a um final nada previsível acompanhando por uma fórmula histórica constantemente bem idealizada. É um dos papéis da vida profissional de Sean Connery a ver e rever. É, simplesmente um filme de culto.<br />Todo o filme respeita o tempo histórico da obra não se detendo em pormenores históricos, como o livro, mas ficando bem patente, ao longo de todo o filme, o poder hipócrita e vazio de valores cristãos que naquela época, a "Santa" Inquisição detinha.<br />IV. PERSONAGENS PRINCIPAIS<br />(1) A Personagem Frei Guilherme de Baskerville, desempenhada por Sean Connery <br />É a Personagem principal, uma espécie de Poirot medieval, que é um monge franciscano e teólogo imperial, representando ou antecipando já um pouco a figura do intelectual renascentista, que com uma postura humanista e racional, consegue desvendar a verdade por trás dos crimes cometidos no mosteiro.<br />Baskerville é um homem experiente, muito inteligente, sagaz, perspicaz, subtil, amigo de Guilherme de Occam um dos grandes pensadores do seu tempo. <br />(2) A Personagem Frei Adso de Melk, desempenhada por Christian Slater<br /> É o jovem, inexperiente e impressionável noviço, assistente de Baskerville que se encontra a despertar sexual e intelectualmente.<br />(3) A Personagem Grão-Inquisidor Bernardo Gui desempenhada por F. Murray Abrahams <br />Bernardo Gui, Grão-Inquisidor, é a arrogância feita homem. Implacável, rancoroso e amante do poder que detém. Cego por quesilias antigas, desconsidera factos óbvios, de forma a poder «derrubar» Baskeville.<br />V. BREVE BIOGRAFIA DOS ACTORES PRINCIPAIS<br />(1) Sean Connery <br />Sir Thomas Sean Connery nasceu em Edimburgo, Escócia, a 25 de agosto de 1930.<br />Tornou-se famoso na década de 60, especialmente pelo papel desempenhado como 007- James Bond, agente secreto do MI-6, da obra do escritor Ian Flemming. Fez 7 filmes, neste papel, entre 1962 - 1983.<br />Filho de pessoas humildes, teve como primeiro trabalho a profissão de leiteiro e à posterior entrou para a Marinha Real. Desempenhou, inclusive, trabalhos como camionista e servente. <br />Com o objectivo de ganhar mais dinheiro, vai trabalhar para os bastidores do Teatro « King's Theatre» onde se interessa pela arte da representação.<br />Construiu uma sólida carreira cinematográfica após a personagem de James Bond, desempenhado brilhantemente papéis nos anos seguintes como O Homem que Queria Ser Rei, O Nome da Rosa, Os Intocáveis e Caçada ao Outubro Vermelho , entre outros. <br />Por tudo o que fez nas artes cinematográficas e pela forma como representou o Reino Unido nestas mesmas artes foi -lhe atribuído o título de Sir, independentemente de durante toda a sua vida ter lutado pela independência da Escócia no Reino Unido.<br />(2) Christian Slater<br />Nasceu, no seio de uma família ligada ao teatro, na cidade de Nova York, no dia 18 de Agosto de 1969. <br />É polémico e considerado arruaceiro, tendo inclusive sido condenado por isso a 3 meses de prisão.<br />Tem no seu curriculo profissional 3 filmes considerados notáveis, que são O Nome da Rosa, Robin Hood: O Príncipe dos Ladrões e Entrevista com o Vampiro.<br />(3) F. Murray Abrahams <br />Fahrid Murray Abraham nasceu em Pittsburgh, a, 24 de outubro de 1939.<br />Recebeu um Óscar pelo seu desempenho no filme Amadeus, tendo participado especialmente em peças de teatro. Teve um importante papel no filme Scarface como Omar Suarez e como o Inquisidor ao lado de Sean Connery em O Nome da Rosa. Outros trabalhos notáveis em Encontrando Forrester de Gus Van Sant e Poderosa Afrodite de Woody Allen.<br />DO FILME:<br />O MELHOR: O clima esmagador; a reconstituição histórica, uma excelente transposição do livro para o cinema, interpretação de Sean Connery<br />O PIOR: a interpretação de Christian Slater<br />WEBGRAFIA<br />Home page de Umberto Eco: http://www.umbertoeco.com<br />Harvard University Press: http://www.hup.harvard.edu<br />Library of Allexamina: http://www.themodernword.com<br />Universidade de Bolonha: http://www.unibo.it<br />Portal da Literartura: http://www.portaldaliteratura.com<br />Home Page de Sean Connery: http://www.seanconnery.com<br />Home Page de Christian Slater: http://www.christianslater.com<br />