ATELIER DE JORNALISMO              Contabilidade: Entre a paixão e o desgastePara Isabel Valério e Sofia Carreira siglas c...
Presentemente tem particular atenção com as necessidades de quem trabalha na«Balanceuro» e faz tudo para satisfazer client...
CaixaAS RESPONSABILIDADES DO CONTABILISTAA responsabilidade repete-se todos os anos numa rotina onde eficácia e atenção fa...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Atelier de jornalismo_-_ultima_versao[1]

449 views
379 views

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
449
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Atelier de jornalismo_-_ultima_versao[1]

  1. 1. ATELIER DE JORNALISMO Contabilidade: Entre a paixão e o desgastePara Isabel Valério e Sofia Carreira siglas como SNC (Sistema deNormalização Contabilística) ou POC (Plano Oficial de Contas) não têmsegredos. Com a vida familiar suspensa devido à entrega das declarações,dedicam-se à árdua tarefa de organizar a escrita do contribuinte. Às vezessem férias e dias de descanso, o desgaste mental e as depressões sãoalgumas das doenças que afectam os contabilistas. Pouco valorizada emuitas vezes esquecida, esta é uma profissão de riscoO silêncio entrecortado pelo som do teclado do computador e dos papéis emmovimento transmite um ambiente eficaz que carimba o gabinete de contabilidade«Balanceuro» Uma atmosfera essencial à profissão. Que o diga Isabel Valério, 58 anos,há mais de 30 na área da contabilidade. «Trabalhamos com prazos por isso ficacomplicado tirar dias e marcar férias». Uma situação que acaba por criar «uma tensãomuito grande, ansiedade, por vezes, não visível mas que está lá». A lista de doenças éenorme. Isabel Valério avança com algumas: «doenças de ordem física como astendinites, problemas graves de coluna por causa da postura, para além dasdepressões». E vai mais longe: «o pior de tudo, por vezes o que provoca isto, é a faltade compreensão por parte dos clientes, a má organização e falta de entrega dos papéisatempadamente». Um aspecto que é também salientado por Sofia Carreira, 32 anos,escriturária há sete. «É um trabalho de muita responsabilidade mas que se torna fácilquando se percebe e se gosta do que se faz». Mas nem sempre é assim e não escondeas agruras de uma profissão apaixonante: «as maiores dificuldades são os prazos acumprir, por vezes temos que levar trabalho para casa para dar vencimento aos papéisporque chega aquele dia e tudo tem de estar feito».A Organização é fundamentalEsta é uma profissão desgastante mas também compensadora onde a organização é apalavra de ordem. Actualmente sócia-gerente da «Balanceuro», Isabel Valério garanteque «procuramos ter equipamento à altura e condições necessárias para que osnossos colaboradores se sintam bem no seu local de trabalho». A dirigir esta empresadesde 2002, tem bem presente o tempo passado numa outra firma onde «a grandedificuldade era o diminuto espaço físico, que não oferecia as mínimas condições detrabalho». Mas dá outros exemplos: «a falta de material, equipamento informáticonão adequado, a opção era o mais barato mas sem qualidade nem funcionalidade».A esta falta de condições juntou-se o salário incompatível com as funções exercidas.«Sentia-me injustamente remunerada em função da responsabilidade que tinha. Pediraumento era sempre uma grande complicação, havia sempre conflito».
  2. 2. Presentemente tem particular atenção com as necessidades de quem trabalha na«Balanceuro» e faz tudo para satisfazer clientes e colaboradores. Quanto a salário éperemptória: «pagamos acima da média, todos os anos tentamos cumprir, pelomenos, com os aumentos previstos na lei». O convívio entre colaboradores e chefias éaprazível. O mesmo se vive na firma «Firiconta». Prova disso é o sorriso de SofiaCarreira que adora a área de contabilidade. Mudar só mesmo em último caso,afirmando com convicção «gosto muito do que faço».Tecnologias ao serviço da contabilidadeLonge vão os tempos da contabilidade feita à mão. Na era informática os softwaresdominam os vários gabinetes. «Primavera» e «Infologia» são apenas dois dos muitosprogramas existentes. Isabel Valério admite que «os conhecimentos a nívelinformático são mínimos. Contudo, os programas específicos com que trabalhamos,satisfazem perfeitamente as nossas necessidades». Salienta ainda que «existempequenos ajustes que não impedem o normal funcionamento da nossa actividade».Novos desafiosCom a introdução do SNC, verifica-se a maior mudança contabilística desde 1977, apósos 30 anos de utilização do POC. O desafio é grande, esta transição está a ser difícil.Isabel Valério considera que «a adaptação vai demorar algum tempo. Em termospráticos o SNC tem novas normas e formatos, a informação ficará mais explícita e osresultados económicos e financeiros ficarão mais acessíveis». É sem dúvida, umadificuldade acrescida que os gabinetes de contabilidades têm que superar por exemploatravés de formações!Links úteis:http://www.portaldasfinancas.gov.pt/pt/home.action#http://www1.seg-social.pt/http://www.sncpt.com/Default.aspx?action=ArticleViewer&target=415
  3. 3. CaixaAS RESPONSABILIDADES DO CONTABILISTAA responsabilidade repete-se todos os anos numa rotina onde eficácia e atenção fazema diferença! Fique, pois, a saber quais as datas que um contabilista não pode falhar.O primeiro desafio dá pelo nome de IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado). Todosos meses, até ao dia 10, é preciso devolver as tributações ao Estado. A partir de 1 deJulho entrará em vigor uma nova tabela que será de 6% para os bens de primeiranecessidade, 13% na área de restauração e 21% nos restantes produtos.Ainda, com obrigatoriedade mensal, é responsabilidade do contabilista proceder, atédia 15, ao pagamento da Segurança Social. Cinco dias depois, ou seja, até dia 20, épreciso preencher e liquidar o IRS e, por fim, o processamento de salários até dia 30.Mas, se estas tarefas são as mais visíveis para o cidadão comum, ainda há muito paracumprir num gabinete de contabilidade. As chamadas “obrigações contabilísticas”.Trata-se de várias funções que englobam a classificação e lançamento de documentos;emissão de balancetes; conciliação e encerramento de contas, mapas de provisões eamortizações, balanço demonstração dos resultados e respectivo anexo.Também cabe ao contabilista dar todo o apoio fiscal na entrega da declaração de iníciode actividade; apuramento e envio da declaração de IVA; emissão, guias e declaraçãodo modelo 22 do IRC; emissão de guias de IRS e preenchimento da IES – InformaçãoEmpresarial Simplificada.Os prazos devem ser escrupulosamente cumpridos e as falhas não são admissíveis.Docente: Profª. Teresa Maia e CarmoDiscente: Cláudia Anastácio1º Ano Educação e Comunicação MultimédiaNº 090236033

×