Preparatório
Tribunais
Disciplina: Administração
Geral (parte 1)
Prof. Luiz Rodrigues
Breve Currículo do Professor
 Administrador Chesf – Concurso 2002
Administrador ITEP – Concurso 1998
Mestre e Doutorand...
Tema:
Conceitos e
Fundamentos sobre
Administração
Conceitos de Administração
 A administração é o ato de trabalhar com e por
meio de pessoas para realizar os objetivos tan...
Funções da Adminstração
 Planejamento
É a ferramenta para administrar as relações
com o futuro. As decisões que procuram...
Ações
Análise da situação atual
Antecipação do futuro
Determinação de objetivos e metas
Decidir por ações a serem exec...
Organização
 É o processo de dispor os recursos em uma estrutura
que facilite a realização dos objetivos.
Ações
Reunir...
Liderança
 É o processo de trabalhar com pessoas para
possibilitar a realização de objetivos.
Ações
Motivação
Direção...
Execução
 É o processo de realizar as tarefas planejadas, por
meio de energia física e intelectual.
Controle
 É o processo que procura assegurar a realização dos
objetivos.
Ações
Estabelecer padrões de desempenho progr...
Eficácia e Eficiência
 Eficácia
É a indicação de que a organização realiza seus
objetivos. Quanto mais alto o grau de re...
Eficácia e Eficiência
EFICÁCIA
•Capacidade de realizar resultados
•Grau de realização dos objetivos
• Capacidade de resolv...
Tema
Planejamento Estratégico,
Tático e Operacional
Teoria Básica
 Níveis de Planejamento
Estratégicos
Funcionais ou táticos
Operacionais
O tipo de plano a ser desenvolvi...
Teoria Básica
 Planejamento Estratégico (Longo prazo)
O Planejamento Estratégico é o processo de definir a missão
e os ob...
Teoria Básica
 Planejamento Funcional ou Tático (Médio prazo)
O Planejamento tático é o processo de definir objetivos e
c...
Teoria Básica
 Planejamento Operacional
É o processo de definir os meios para realização de objetivos,
como atividades e ...
Tema
Cultura Organizacional
Teoria Básica
 Cultura Organizacional
É um conjunto de premissas que um grupo aprendeu a
aceitar, como resultado da solu...
Teoria Básica
 Funções da Cultura Organizacional
Regular a convivência interna
Avaliação de desempenho
Estabelece açõe...
Teoria Básica
 Componentes da Cultura Organizacional
Artefatos
É o componente mais visível da cultura organizacional
C...
Teoria Básica
 Componentes da Cultura Organizacional
Tecnologia
É o repertório de conhecimentos utilizados pelas
pessoa...
Teoria Básica
 Componentes da Cultura Organizacional
Tecnologia
O grau de sofisticação da tecnologia revela outro
compo...
Teoria Básica
 Componentes da Cultura Organizacional
Símbolos
 Compreendem comportamentos e objetos que
carregam e tran...
Teoria Básica
 Componentes da Cultura Organizacional
Valores
 Os valores estão no íntimo da cultura organizacional,
com...
Cultura Organizacional
1) Petrobras/2004 A cultura organizacional é um tema que vem sendo
amplamente debatido no âmbito da...
Cultura Organizacional
Diferentemente dos rituais, cerimônias e normas, os valores não podem
ser considerados como elemen...
Cultura Organizacional
2) MP/PB - Considerando as afirmativas abaixo, que tratam da cultura
organizacional, identifique co...
Cultura Organizacional
3) Sobre cultura organizacional, identifique com V a(s)
verdadeira(s) e com F, a(s) falsa(s) as que...
Cultura Organizacional
4) Pref. Santos/2005 – FCC. Cultura Organizacional é um
conjunto de
( ) Procedimentos informais da ...
Cultura Organizacional
5) Enap/2006 Marque se as frases a seguir são falsas (F) ou verdadeiras (V) e assinale a
opção corr...
Tema
Comunicação Organizacional
Teoria Básica
 Função principal da Comunicação Organizacional
Facilitar e coordenar os esforços de indivíduos e grupos,
...
Teoria Básica
 Comunicação de Cima para Baixo
Refere-se ao fluxo de informações que parte dos níveis mais altos
para os ...
Teoria Básica
 Comunicação de Baixo para Cima
Refere-se ao fluxo de informações que parte dos níveis mais
baixos para os...
Teoria Básica
 Comunicação Lateral e Diagonal

Formas adicionais de comunicação que não seguem o
organograma tradicional...
Teoria Básica
 Vantagens e Desvantagens
Espalham informações mais rapidamente
Permitem que indivíduos de diversas áreas...
Tema:
Estrutura
Organizacional e
Departamentalização
Estrutura Organizacional e
Departamentalização
 Delegação
É transferência de determinado nível de autoridade de
um chefe...
Estrutura Organizacional e
Departamentalização
 Estrutura Organizacional
É um conceito representado por um gráfico
(orga...
 Departamentalização
Agrupamento das funções relacionadas em unidades
gerenciáveis para atingir objetivos organizacionai...
 Departamentalização Funcional
G E R Ê N C IA D E P R O D U Ç Ã O G E R Ê N C IA F IN A N C E IR A G E R Ê N C IA D E M A...
 Departamentalização Funcional
G E R Ê N C IA D E P R O D U Ç Ã O G E R Ê N C IA F IN A N C E IR A G E R Ê N C IA D E M A...
 Departamentalização Geográfica
B A S E 0 1 B A S E 0 2 B A S E 0 3 B A S E 0 4
R E G I Ã O N O R T E
B A S E 1 1 B A S E...
 Departamentalização Geográfica
B A S E 0 1 B A S E 0 2 B A S E 0 3 B A S E 0 4
R E G I Ã O N O R T E
B A S E 1 1 B A S E...
 Departamentalização por Processo
P R E P A R A Ç Ã O C O R T E E S T A M P A R I A M O N T A G E M
Vantagens:
Maior espe...
 Departamentalização por Clientes
Vantagens:
Assegura reconhecimento e atendimento contínuo e rápido aos diferentes
tipos...
 Departamentalização por Produtos e Serviços
Vantagens:
Integração alta entre as pessoas que lidam com o produto;
Facilit...
 Departamentalização por Produtos e Serviços
Desvantagens:
Quando do estabelecimento das políticas gerais da empresa, a
c...
 Departamentalização Por Projetos
Projetos Funcionais
 Projetos autônomos
Estruturas Matriciais
 Departamentalização Projetos Funcionais
G E R E N T E P R O J E T O 1
G E R E N T E Á R E A A
R E C U R S O S H U M A N ...
Características:
O gerente de projetos está subordinado a um dos gerentes funcionais e portanto
possui um nível hierárquic...
 Departamentalização Projetos Autônomos
G E R E N T E P R O J E T O 1
R E C U R S O S H U M A N O S
G E R E N T E Á R E A...
 Departamentalização Matricial por Projetos
Características:
O gerente de projetos tem nível hierárquico superior ao dos ...
 Departamentalização Matricial
G E R E N T E P R O J E T O 1
G E R E N T E P R O J E T O 2
C O O R D E N A Ç Ã O
P R O J ...
 Departamentalização Matricial
Características:
Existe um responsável pelo projeto como um todo: o gerente de projeto.
Ao...
 Departamentalização Projetizada
G E R E N T E
P R O J E T O 1
G E R E N T E
P R O J E T O 2
G E R E N T E
P R O J E T O ...
 Departamentalização Projetizada
Características:
Gerente de Projeto tem total autoridade sobre o projeto, existindo uma ...
Diferenças entre Descentralização e Delegação
Descentralização Delegação
Ligada ao Cargo Ligada à Pessoa
Atinge vários nív...
Questões
3) MP/PB - Delegação, em uma organização hierárquica, é a atribuição de
responsabilidades adicionais a um subordi...
Questoes
4) AGU/2006 - A departamentalização segue alguns
critérios ou tipos fundamentais, que são:
(A) funcional; por pro...
Questões
5) Atualmente, verifica-se em algumas organizações formas mistas de
departamentalização chamada de Matricial Func...
Questões
6) AGU/2006 - As organizações formais necessitam descobrir
formas eficazes de administração; uma delas é a
depart...
Questões
7) AGU/2006 – A estrutura organizacional define como as tarefas são
formalmente divididas, agrupadas e coordenada...
Questões
8) CEFET/RJ/2006 (CONSULPLAN) - Quanto à Departamentalização,
podemos afirmar que:
A) É um processo utilizado por...
Questões
9) Eletronorte/2006 NCE/UFRJ)
A estrutura organizacional denominada “matricial” resulta da estrutura
tradicional ...
Questões
10) CEFET/RJ 2006– (CONSULPLAN) - A empresa Criativa S. A. optou por
desenvolver a departamentalização por projet...
Questões
12) INB – Consulplan - Para que os empregados da empresa Engenharia
Lar Doce Lar Ltda. colaborem e trabalhem junt...
13) Enap/2006 Controle e subordinação, definição prévia de funções,
forma verticalizada e unidade de comando são caracterí...
Tema
Administração da
Qualidade
Conceitos de Qualidade
 Excelência
Significa o melhor que se pode fazer, o
padrão mais elevado de desempenho em
qualquer...
Conceitos de Qualidade
 Especificações
 Qualidade planejada, definição de como o
produto ou serviço deve ser
Conformida...
Eras da Qualidade
 Era da Inspeção
 Observação direta do produto ou serviço pelo
fornecedor ou consumidor
Produtos e se...
Eras da Qualidade
 Era da Inspeção – Início Século XX
 Posteriormente foram criados
departamentos de controle de qualida...
Eras da Qualidade
 Era do Controle Estatístico – Anos 30
Ascensão da grande empresa e da produção em
massa torna-se impo...
Eras da Qualidade
 Era da Qualidade Total – Anos 70 e 80
O elemento do fundamental do TQC era o cliente.
Esse era o pont...
Principais Contribuições
dos Autores
SHEWART,DODGE E ROMIG
 Cartas de Controle de Qualidade
Controle Estatístico da Qua...
Principais Contribuições
dos Autores
FEIGENBAUM
 Departamento de Controle de Qualidade
Sistema de Qualidade
Qualidade ...
Principais Contribuições
dos Autores
DEMING
 14 Princípios de Deming
Ciclo PDCA
JURAN
 Trilogia (Planejamento, Contro...
Ferramentas e Técnicas da
Qualidade
Mapeamento do Processo
Utilização do fluxograma para descrever e mapear as
diversas ...
Ferramentas e Técnicas da
Qualidade
Diagrama de Pareto
Gráfico de barras verticais que permite determinar quais
problema...
Ferramentas e Técnicas da
Qualidade
Diagrama de Causa e Efeito – Espinha de Peixe de
Ishikawa
Visa estabelecer uma relaç...
Programas e Métodos para
a Melhoria da Qualidade
Programa 5S
Origem Japonesa nos anos 50
Um processo de reeducação das ...
Programas e Métodos para
a Melhoria da Qualidade
Reengenharia de Processos
Um conceito bastante associado ao de mudança ...
Programas e Métodos para
a Melhoria da Qualidade
Just In Time
Programa que inicialmente foi considerado de controle de
e...
Programas e Métodos para
a Melhoria da Qualidade
Just In Time
Tem como principal filosofia, a eliminação do desperdício
...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Adm Geral Parte 1

11,199

Published on

0 Comments
8 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
11,199
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
257
Comments
0
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Adm Geral Parte 1

  1. 1. Preparatório Tribunais Disciplina: Administração Geral (parte 1) Prof. Luiz Rodrigues
  2. 2. Breve Currículo do Professor  Administrador Chesf – Concurso 2002 Administrador ITEP – Concurso 1998 Mestre e Doutorando pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP Professor da FIR desde 2001 Professor para concursos desde abril 2006
  3. 3. Tema: Conceitos e Fundamentos sobre Administração
  4. 4. Conceitos de Administração  A administração é o ato de trabalhar com e por meio de pessoas para realizar os objetivos tanto da organização quanto de seus membros. (Montana e Charnov 1999)  A administração o processo ou atividade dinâmica, que consiste em tomar decisões sobre objetivos e recursos, procurando garantir a eficácia e eficiência das organizações. (Maximiano, 2000)
  5. 5. Funções da Adminstração  Planejamento É a ferramenta para administrar as relações com o futuro. As decisões que procuram, de alguma forma, influenciar o futuro, ou que serão colocadas em práticas no futuro, são decisões de planejamento
  6. 6. Ações Análise da situação atual Antecipação do futuro Determinação de objetivos e metas Decidir por ações a serem executadas Determinar os recursos necessários
  7. 7. Organização  É o processo de dispor os recursos em uma estrutura que facilite a realização dos objetivos. Ações Reunir e alocar recursos humano, financeiros, físicos, informações Especificar responsabilidades por tarefa Agrupar tarefas em unidades de trabalho Alocar recursos e criar condições para o trabalho
  8. 8. Liderança  É o processo de trabalhar com pessoas para possibilitar a realização de objetivos. Ações Motivação Direção Comunicação Participação no trabalho em grupo
  9. 9. Execução  É o processo de realizar as tarefas planejadas, por meio de energia física e intelectual.
  10. 10. Controle  É o processo que procura assegurar a realização dos objetivos. Ações Estabelecer padrões de desempenho progressivos Monitorar o desempenho de pessoas, processos, produtos e unidades organizacionais Identificar problemas pela comparação de dados de desempenho e padrões
  11. 11. Eficácia e Eficiência  Eficácia É a indicação de que a organização realiza seus objetivos. Quanto mais alto o grau de realização dos objetivos, mais a organização é eficaz. Eficiência É a indicação de que a organização utiliza produtivamente, ou de maneira econômica, seus recursos. Quanto mais alto o grau de produtividade ou economia na utilização dos recursos, mais eficiente é a organização
  12. 12. Eficácia e Eficiência EFICÁCIA •Capacidade de realizar resultados •Grau de realização dos objetivos • Capacidade de resolver problemas EFICIÊNCIA •Ausência de desperdícios •Uso econômico de recursos •Menor quantidade de recursos para produzir mais resultados
  13. 13. Tema Planejamento Estratégico, Tático e Operacional
  14. 14. Teoria Básica  Níveis de Planejamento Estratégicos Funcionais ou táticos Operacionais O tipo de plano a ser desenvolvido dependerá da abrangência e impacto sobre a organização
  15. 15. Teoria Básica  Planejamento Estratégico (Longo prazo) O Planejamento Estratégico é o processo de definir a missão e os objetivos da organização, considerando as ameaças e oportunidades. Em geral, os planos estratégicos estabelecem:  os produtos e serviços ofertados pela organização Os mercados e clientes que serão atendidos A forma de lidar com a concorrência A responsabilidade pela definição do PE é da alta direção.
  16. 16. Teoria Básica  Planejamento Funcional ou Tático (Médio prazo) O Planejamento tático é o processo de definir objetivos e cursos de ação das áreas funcionais (MKT, Finanças, RH) para realizar os planos estratégicos. São de responsabilidades dos gerentes funcionais a elaboração dos planos, que podem também ser auxiliados por unidades especializadas
  17. 17. Teoria Básica  Planejamento Operacional É o processo de definir os meios para realização de objetivos, como atividades e recursos. Os planos operacionais especificam atividades e recursos necessários para a realização de qualquer tipo de objetivo. É o tipo de plano mais característico da base da pirâmide organizacional.
  18. 18. Tema Cultura Organizacional
  19. 19. Teoria Básica  Cultura Organizacional É um conjunto de premissas que um grupo aprendeu a aceitar, como resultado da solução de problemas de adaptação ao ambiente e de integração interna. A Cultura compreende diversos componentes, que foram desenvolvidos pelos antepassados e transmitidos ao veteranos Os novos integrantes devem entender a cultura e aprender a comportar-se de acordo com os componentes culturais, para serem aceitos e sobreviver.
  20. 20. Teoria Básica  Funções da Cultura Organizacional Regular a convivência interna Avaliação de desempenho Estabelece ações corretivas e punitivas Define o comportamento em relação a autoridade Regular as relações com outros grupos e o meio externo em geral A cultura define a missão da organização e projeta sua imagem para os cliente A cultura define as fronteiras dos grupos. Quem é de dentro e quem é de fora A cultura define a posição relativa a outros grupos (igualdade, superioridade e inferioridade)
  21. 21. Teoria Básica  Componentes da Cultura Organizacional Artefatos É o componente mais visível da cultura organizacional Compreendem: Arquitetura, veículos (ambiente), roupas e produtos (recursos) Ex: Imponência de edifícios, estilo de vestir (formal ou informal) , ambiente de trabalho (agradável, limpo, organizado etc), a organização é austera ou benevolente com gastos, Quantidade e variedade de recursos.
  22. 22. Teoria Básica  Componentes da Cultura Organizacional Tecnologia É o repertório de conhecimentos utilizados pelas pessoas e organizações para resolver problemas A cultura tecnológica exprime os diferentes estágios de utilização do conhecimento em que as organizações se encontram Como componente da cultura organizacional, a tecnologia permite classificar as organizações em atrasadas e avançadas
  23. 23. Teoria Básica  Componentes da Cultura Organizacional Tecnologia O grau de sofisticação da tecnologia revela outro componente da cultura organizacional: hábitos, atitudes e valores em relação ao próprio conhecimento
  24. 24. Teoria Básica  Componentes da Cultura Organizacional Símbolos  Compreendem comportamentos e objetos que carregam e transmitem significados dentro de uma cultura organizacional, tais como: Rituais e Cerimônias Histórias, Mitos e Heróis Arquitetura e Vestuário Linguagem
  25. 25. Teoria Básica  Componentes da Cultura Organizacional Valores  Os valores estão no íntimo da cultura organizacional, compreendendo, preconceitos, ideologias, atitudes e julgamentos compartilhados pelos integrantes da organização. Influenciam muitos aspectos dos comportamentos das pessoas nas organizações Ex: A maneira como o chefe trata os funcionário, a maneira como os funcionários se tratam.
  26. 26. Cultura Organizacional 1) Petrobras/2004 A cultura organizacional é um tema que vem sendo amplamente debatido no âmbito da teoria das organizações, sendo que, por meio da compreensão desse sistema de significados partilhados mantidos pelos membros de determinada organização, é possível conhecê-los e tentar gerenciá- los de modo a garantir os retornos esperados pela organização. No que se refere à cultura organizacional, julgue os itens que se seguem. VERDADEIRO ou FALSO A cultura organizacional auxilia na transmissão de um sentido de identidade para os membros da organização e pode ser compreendida como um mecanismo de controle. ( ) Uma das principais funções da cultura organizacional é a de auxiliar no processo de comprometimento organizacional.( )
  27. 27. Cultura Organizacional Diferentemente dos rituais, cerimônias e normas, os valores não podem ser considerados como elementos da cultura organizacional, tendo em vista que esses valores se modificam na medida em que a organização tem de responder a diferentes transformações no ambiente externo.( ) A socialização organizacional é um importante mecanismo para que a organização possa apresentar a seus novos empregados em que consiste a sua cultura. ( ) Muitas organizações contam com um importante elemento da cultura organizacional, a saga, em que, por meio de uma narrativa histórica que venha a descrever realizações fantásticas de líderes ou de ex-líderes da organização, as pessoas possam se inspirar e buscar a inserção nas convicções fundamentais da organização em que trabalham ( ) A) VVFVV B) FFFVF C)FFVVV D) VVVFV E) VVFVF
  28. 28. Cultura Organizacional 2) MP/PB - Considerando as afirmativas abaixo, que tratam da cultura organizacional, identifique com V a(s) verdadeira(s) e com F, a(s) falsa(s): ( ) É impossível para uma organização implementar com sucesso uma estratégia que contradiga sua cultura. ( ) Quanto maior a congruência entre as crenças e atitudes do funcionário e a cultura da organização, maiores as chances de um bom desempenho desse funcionário. ( ) Quanto maior for o conhecimento dos funcionários de uma organização, melhor será a cultura organizacional. ( ) As organizações que valorizam o planejamento têm maiores chances de sucesso na implementação de suas estratégias. ( ) A cultura das empresas privadas influencia menos o comportamento e expectativas dos empregados do que a cultura das organizações públicas. A seqüência correta é: a) V F V F V b) F F V V V c) V V F F F d) F V F F V e) V V V V F
  29. 29. Cultura Organizacional 3) Sobre cultura organizacional, identifique com V a(s) verdadeira(s) e com F, a(s) falsa(s) as questões abaixo ( ) Os artefatos não são os componentes mais visíveis da cultura organizacional ( ) O estilo de vestir ajuda a compreender a cultura organizacional ( ) “Gritos de Guerra” são considerados valores organizacionais ( ) O fato do chefe tratar de forma humilhante seus subordinados pode ser considerado um símbolo. ( ) A cultura tecnologia ajuda a classificar a organização entre atrasada e avançada. A seqüência correta é: a) F V F F F b) F F V V V c) F V V F V d) F V F F V e) V V V V F
  30. 30. Cultura Organizacional 4) Pref. Santos/2005 – FCC. Cultura Organizacional é um conjunto de ( ) Procedimentos informais da organização ( ) Normas emitidas pela organização que forma o código de conduta pelo qual todos os funcionários se submetem ( ) Pessoas instruídas que atuam como formadoras de opinião dentro da organização ( ) Procedimentos formais da organização ( ) Mecanismos reguladores e adaptativos de pessoas ou grupos a determinado ambiente, em determinado tempo
  31. 31. Cultura Organizacional 5) Enap/2006 Marque se as frases a seguir são falsas (F) ou verdadeiras (V) e assinale a opção correta. ( ) Por clima organizacional se entende a influência do ambiente interno e externo da organização sobre a motivação dos participantes. ( ) A cultura organizacional compreende um conjunto de percepções, opiniões e sentimentos que se expressam no comportamento de um grupo ou de uma organização. ( ) A cultura organizacional compreende um conjunto de valores e idéias, formas de agir, pensar e sentir partilhadas na organização, com certa regularidade no tempo e no espaço. ( ) Motivação para o trabalho é o resultado que uma pessoa consegue com a aplicação de um esforço ou ação que leva ao desempenho profissional positivo. a) V, F, V, F b) F, V, F, F c) V, V, F, V d) V, V, V, F e) F, V, F, V
  32. 32. Tema Comunicação Organizacional
  33. 33. Teoria Básica  Função principal da Comunicação Organizacional Facilitar e coordenar os esforços de indivíduos e grupos, contribuindo para as realizações das metas organizacionais Comunicação de Cima para Baixo Comunicação de Baixo para Cima Comunicação Lateral Comunicação Diagonal
  34. 34. Teoria Básica  Comunicação de Cima para Baixo Refere-se ao fluxo de informações que parte dos níveis mais altos para os mais baixos da hierarquia Características Filtragem Os funcionários reclamam que muitas vezes as informações são omitidas pela alta gerência Informação Incompleta Muitas vezes o executivo estima incorretamente a quantidade de informação necessária para o subordinado, transmitindo menos do que o adequando. Isso ocorre pois a intenção é criar uma dependência do subordinado ou apenas não se possui confiança no mesmo.
  35. 35. Teoria Básica  Comunicação de Baixo para Cima Refere-se ao fluxo de informações que parte dos níveis mais baixos para os mais altos da hierarquia Características Participação dos Empregados Configura-se numa forma de expor problemas, aspirações e interesses por parte dos empregados Filtragem Muitas vezes os empregados não tem abertura suficiente junto aos chefes, tendendo a partilhar notícias boas e esconder as ruins. Decisões gerenciais dependem de informações boas. Se a informação for censurada a tomada de decisão pode ser equivocada.
  36. 36. Teoria Básica  Comunicação Lateral e Diagonal  Formas adicionais de comunicação que não seguem o organograma tradicional de hierarquia. Lateral Ocorre entre indivíduos ou departamentos diferentes que estão no mesmo nível hierárquico Diagonal Ocorre entre indivíduos ou departamentos que estão entre dois níveis hierárquicos diferentes
  37. 37. Teoria Básica  Vantagens e Desvantagens Espalham informações mais rapidamente Permitem que indivíduos de diversas áreas contribuam para a resolução de problemas Servem para conectar grupos que teriam de se comunicar através “cima para baixo” e de “baixo para cima” de forma mais rápida. Podem mexer com a rotina normal da organização espalhando informações incorretas e imprecisas
  38. 38. Tema: Estrutura Organizacional e Departamentalização
  39. 39. Estrutura Organizacional e Departamentalização  Delegação É transferência de determinado nível de autoridade de um chefe para seu subordinado, criando o correspondente compromisso pela execução da tarefa. Centralização É a maior concentração do poder decisório na alta administração de uma empresa Descentralização É a menor concentração do poder decisório na alta administração da empresa sendo mais distribuído por seus diversos níveis hierárquicos.
  40. 40. Estrutura Organizacional e Departamentalização  Estrutura Organizacional É um conceito representado por um gráfico (organograma) apresentando a divisão do trabalho, a autoridade e responsabilidade, bem como a comunicação entre pessoas e grupos.  Na vertical  Cadeia de Comando (autoridade e Hierarquia) Na Horizontal  Unidades de Trabalho (cargos e departamentos) As linhas representam a comunicação
  41. 41.  Departamentalização Agrupamento das funções relacionadas em unidades gerenciáveis para atingir objetivos organizacionais. As principais formas de Departamentalização são: Funcional Processo Produto Clientes Área Geográfica Projetos Matricial
  42. 42.  Departamentalização Funcional G E R Ê N C IA D E P R O D U Ç Ã O G E R Ê N C IA F IN A N C E IR A G E R Ê N C IA D E M A R K E T IN G G E R Ê N C IA D E R H D IR E T O R IA G E R A L Vantagens : maior segurança, pois cada funcionário tem facilidade de entender sobre a sua área de atuação; especialização do trabalho. É uma vantagem quando se consideram as definições claras e precisas das tarefas; influência positiva sobre a satisfação dos técnicos por ter um chefe da mesma área técnica; maior competência das pessoas pois estão orientadas para uma atividade específica;
  43. 43.  Departamentalização Funcional G E R Ê N C IA D E P R O D U Ç Ã O G E R Ê N C IA F IN A N C E IR A G E R Ê N C IA D E M A R K E T IN G G E R Ê N C IA D E R H D IR E T O R IA G E R A L Desvantagens: a responsabilidade pelo desempenho total está somente na cúpula; comunicação geralmente deficiente, visto que as decisões são centralizadas nos níveis mais altos da empresa; visão parcial da empresa nos níveis mais baixos; resistente ao ambiente pró-inovação; quando uma tarefa exigir interligação entre várias atividades, provoca demora no cumprimento de prazos.
  44. 44.  Departamentalização Geográfica B A S E 0 1 B A S E 0 2 B A S E 0 3 B A S E 0 4 R E G I Ã O N O R T E B A S E 1 1 B A S E 1 2 R E G I Ã O C E N T R O B A S E 2 1 B A S E 2 2 B A S E 2 3 R E G I Ã O S U L D E P A R T A M E N T O D E T R Á F E G O A E Á R E O Aspectos básicos: Utilizada em empresas territorialmente dispersas; As atividades que se realizam em determinado território são agrupadas e colocadas sob as ordens de um administrador; Possibilidade de maior treinamento de pessoal pela atuação direta no território considerado; Maior facilidade de conhecer os fatores e problemas locais para a tomada de decisão.
  45. 45.  Departamentalização Geográfica B A S E 0 1 B A S E 0 2 B A S E 0 3 B A S E 0 4 R E G I Ã O N O R T E B A S E 1 1 B A S E 1 2 R E G I Ã O C E N T R O B A S E 2 1 B A S E 2 2 B A S E 2 3 R E G I Ã O S U L D E P A R T A M E N T O D E T R Á F E G O A E Á R E O Desvantagens: Duplicação de instalações e de pessoal se não houver um planejamento efetivo; Possibilidade de haver falta de coordenação entre as regiões ou filiais devido ao grau de liberdade e autonomia.
  46. 46.  Departamentalização por Processo P R E P A R A Ç Ã O C O R T E E S T A M P A R I A M O N T A G E M Vantagens: Maior especialização de recursos alocados nas diversas fases; Possibilidade de comunicação rápida de informações técnicas. Desvantagens: Possibilidade de perda da visão global do andamento do processo; Flexibilidade restrita para ajustes no processo.
  47. 47.  Departamentalização por Clientes Vantagens: Assegura reconhecimento e atendimento contínuo e rápido aos diferentes tipos de clientes; Elevada integração entre pessoas que lidam com mesmo tipo de cliente. Desvantagens: Dificuldade de coordenação com outros tipos de departamentalização; Utilização inadequada de recursos humanos e de equipamentos em termos de grupos de clientes.
  48. 48.  Departamentalização por Produtos e Serviços Vantagens: Integração alta entre as pessoas que lidam com o produto; Facilita a coordenação dos resultados esperados por cada grupo de produtos, e a utilização máxima dos recursos através do conhecimento especializado; Fixa a responsabilidade dos departamentos para um produto, linha de produtos ou serviços; Permite maior versatilidade e flexibilidade de produção, conforme as condições mudem; Propicia condições favoráveis para a inovação e criatividade.
  49. 49.  Departamentalização por Produtos e Serviços Desvantagens: Quando do estabelecimento das políticas gerais da empresa, a coordenação pode tornar-se mais difícil; Pode propiciar o aumento de custos pela duplicidade de atividades no vários grupos de produtos.
  50. 50.  Departamentalização Por Projetos Projetos Funcionais  Projetos autônomos Estruturas Matriciais
  51. 51.  Departamentalização Projetos Funcionais G E R E N T E P R O J E T O 1 G E R E N T E Á R E A A R E C U R S O S H U M A N O S G E R E N T E Á R E A B R E C U R S O S H U M A N O S G E R E N T E Á R E A C D I R E T O R
  52. 52. Características: O gerente de projetos está subordinado a um dos gerentes funcionais e portanto possui um nível hierárquico inferior. É muito usado em organizações com poucos projetos interdisciplinares e com baixo grau de prioridade. O gerente de projetos está alocado à área técnica que tem mais afinidade com a natureza do projeto.
  53. 53.  Departamentalização Projetos Autônomos G E R E N T E P R O J E T O 1 R E C U R S O S H U M A N O S G E R E N T E Á R E A A R E C U R S O S H U M A N O S G E R E N T E Á R E A B R E C U R S O S H U M A N O S G E R E N T E Á R E A C D I R E T O R
  54. 54.  Departamentalização Matricial por Projetos Características: O gerente de projetos tem nível hierárquico superior ao dos gerentes funcionais. É muito utilizada quando os projetos interdisciplinares têm prioridade.
  55. 55.  Departamentalização Matricial G E R E N T E P R O J E T O 1 G E R E N T E P R O J E T O 2 C O O R D E N A Ç Ã O P R O J E T O S R E C U R S O S H U M A N O S E M A T E R I A I S G E R E N T E Á R E A A R E C U R S O S H U M A N O S E M A T E R I A I S G E R E N T E Á R E A B R E C U R S O S H U M A N O S E M A T E R I A I S G E R E N T E Á R E A C D I R E T O R É aquela que divide igualmente a autoridade entre os gerentes de projetos e os gerentes funcionais.
  56. 56.  Departamentalização Matricial Características: Existe um responsável pelo projeto como um todo: o gerente de projeto. Ao final do projeto, as pessoas voltam para as suas origens departamentais As estruturas funcionais servem para suportar os projetos Todos os gerentes de projetos interdisciplinares somente gerenciam projetos, não ocupando simultaneamente cargos funcionais; A estrutura Matricial viola o princípio da unidade de comando: os funcionários possuem dois chefes (o gerente do projeto e o gerente funcional) Os diferentes gerentes de projetos podem competir pelos recursos técnicos, fazendo com que o uso dos mesmos deixe de ser realizado da melhor maneira possível.
  57. 57.  Departamentalização Projetizada G E R E N T E P R O J E T O 1 G E R E N T E P R O J E T O 2 G E R E N T E P R O J E T O 3 D I R E T O R I A Neste tipo de departamentalização as atividades e as pessoas recebem atribuições temporárias.
  58. 58.  Departamentalização Projetizada Características: Gerente de Projeto tem total autoridade sobre o projeto, existindo uma unidade de comando dentro do projeto Rápida resposta ao cliente é proporcionada Pouca possibilidade de continuidade de carreira e oportunidades para as pessoas que trabalham no projeto Incerteza sobre o que irá ocorrer com os membros do projeto ao final do mesmo.
  59. 59. Diferenças entre Descentralização e Delegação Descentralização Delegação Ligada ao Cargo Ligada à Pessoa Atinge vários níveis hierárquicos Atinge um nível hierárquico Caráter mais formal Caráter mais informal Menos pessoal Mais pessoal Mais estável no tempo Menos estável no tempo
  60. 60. Questões 3) MP/PB - Delegação, em uma organização hierárquica, é a atribuição de responsabilidades adicionais a um subordinado. Analisando as afirmativas abaixo, identifique com V as que representam vantagens verdadeiras da delegação e com F, as falsas. ( ) O administrador, ao delegar, economiza tempo e deixa de responder pelas ações do subordinado. ( ) A delegação dá ao subordinado um trabalho mais importante e potencialmente mais gratificante. ( ) O administrador ficará livre de atividades de avaliação de desempenho e poderá dedicar suas energias a atividades de nível mais alto. ( ) O subordinado tem a oportunidade de desenvolver novas habilidades. ( ) O subordinado passa a tomar decisões sobre problemas e oportunidades que ele conhece mais intimamente e que serão temporalmente mais adequadas. A seqüência correta é: a) F V F V V b) V F V F F c) F F V V F d) V V F V F e) F V V F V
  61. 61. Questoes 4) AGU/2006 - A departamentalização segue alguns critérios ou tipos fundamentais, que são: (A) funcional; por processo; por agrupamento e por produtividade; (B) funcional; por processo; por produto ou serviço; por cliente e por área geográfica; (C) funcional; por normas; por combinação; por diferenciação e por delegação; (D) funcional; por produção e por normas industriais; (E) por processo; por finanças e por normas institucionais.
  62. 62. Questões 5) Atualmente, verifica-se em algumas organizações formas mistas de departamentalização chamada de Matricial Funcional (Funcional e por projeto). Com relação e esse tipo de departamentalização marque a alternativa correta: (A) A equipe reporta-se a mais de um gerente (B) Existência de pouco conflito de poder, interesse e recursos (C) Equipe pouco comprometida com o projeto (D) Equipe sem local para voltar após o projeto (E)Pouca dificuldade no controle e monitoramento da equipe
  63. 63. Questões 6) AGU/2006 - As organizações formais necessitam descobrir formas eficazes de administração; uma delas é a departamentalização, que pode ser entendida como: (A) o agrupamento de funções relacionadas em unidades gerenciáveis para atingir objetivos organizacionais de maneira eficiente e eficaz; (B) uma quantidade significativa de autoridade delegada aos níveis mais baixos de uma organização; (C) a forma de delegação que envolve uma quantidade ilimitada de poder, conforme os objetivos organizacionais; (D) a divisão de pessoas, conforme a delegação de autoridade de cada uma, envolvendo a combinação de uma forma possível; (E) um novo método de gerenciamento, com base na delegação, na centralização e nos padrões de desempenho
  64. 64. Questões 7) AGU/2006 – A estrutura organizacional define como as tarefas são formalmente divididas, agrupadas e coordenadas. Assim sendo, existem alguns elementos fundamentais que os gestores precisam considerar quando projetam a estrutura da organização: (A) a cadeia de comando, que apresenta a autoridade fluindo dos níveis mais baixos da organização para os mais altos; (B) a centralização e a descentralização, que envolvem a delegação de autoridade; e a cadeia de comando, que representa a definição clara da autoridade; (C) o produto ou processo que será fabricado pela organização e os níveis de comando do núcleo operacional e fabril; (D) a especialização do trabalho, que permite identificar a autoridade para a tomada de decisão; (E) a formalização, que envolve o nível adequado de centralização, e permite à organização responder com rapidez às exigências do mercado interno.
  65. 65. Questões 8) CEFET/RJ/2006 (CONSULPLAN) - Quanto à Departamentalização, podemos afirmar que: A) É um processo utilizado por empresas que não possuem critérios objetivos de organização. B) É um processo que se define o curso de ação para a tomada de decisão. C) É um processo longo e demorado, onde a eficiência e a eficácia não são pontos cruciais. D) É um processo que estabelece unidades compostas de grupos, com funções relacionadas. E) É um processo pelo qual o grau de incerteza nas decisões é maior, pois as funções não possuem similaridade
  66. 66. Questões 9) Eletronorte/2006 NCE/UFRJ) A estrutura organizacional denominada “matricial” resulta da estrutura tradicional mais a formulação estrutural fundamentada no planejamento e execução de projetos. Uma das características da organização matricial é: (A) a permanente sensação de se ter duas chefias; (B) os profissionais especializados permanecem sempre no mesmo grupo; (C) há facilidade de conciliar as duas estruturas, pois as demandas são as mesmas; (D) a fixação de personagens dentro de um mesmo grupo dá uma dimensão de rigidez da estrutura; (E) é possível separar momentos decisórios importantes quando o processo decisório desce aos níveis médio-inferiores
  67. 67. Questões 10) CEFET/RJ 2006– (CONSULPLAN) - A empresa Criativa S. A. optou por desenvolver a departamentalização por projetos, onde ocorre a combinação de estruturas por função e por produto. Foi solicitado que se apresentasse um organograma da nova estrutura. O organograma escolhido foi: A) matricial D) cruzado ou conjugado B) de linha E) linha x staff C) BCG 11 ) INB 2006 (CONSULPLAN)- Ao optar pela departamentalização por projeto, a qual combina as estruturas por função e por produto, a diretoria do Laboratório LABOMED Ltda. solicitou a você que traduzisse esta opção em um novo organograma, sendo escolhido o organograma: A) Escalar. B) BCG. C) De linha. D) Linha x “staff”. E) Matricial.
  68. 68. Questões 12) INB – Consulplan - Para que os empregados da empresa Engenharia Lar Doce Lar Ltda. colaborem e trabalhem juntos em diversos projetos, Andréa Albuquerque, gerente de projetos, optou por uma estrutura matricial de desenho departamental. Quer dizer que a organização: A) Utilizou equipe-tarefa ou força-tarefa para a adaptação de certos segmentos da empresa a um produto/serviço complexo. B) Dividiu suas unidades para que cada uma delas possa servir a um tipo especial de cliente, num processo de diferenciação. C) Agrupou os seus processos segundo a seqüência do ciclo de produção, por meio de arranjo físico e disposição racional dos equipamentos. D) Optou por uma estrutura mista na qual ela sacrifica o princípio da unidade de comando e passa a ter uma autoridade dual. E) Integrou todos os departamentos funcionais, mesmo com numerosos grupos de assessoria , em torno de uma linha de produtos
  69. 69. 13) Enap/2006 Controle e subordinação, definição prévia de funções, forma verticalizada e unidade de comando são características de uma estrutura organizacional. a) matricial. b) por projetos. c) em trevo. d) hierárquica. e) virtual. Questões
  70. 70. Tema Administração da Qualidade
  71. 71. Conceitos de Qualidade  Excelência Significa o melhor que se pode fazer, o padrão mais elevado de desempenho em qualquer campo de atuação Valor É um conceito relativo que depende do cliente e seu poder aquisitivo
  72. 72. Conceitos de Qualidade  Especificações  Qualidade planejada, definição de como o produto ou serviço deve ser Conformidade Produto ou serviço executado e acabado de acordo com as especificações do projeto Regularidade Uniformidade, tendo produtos e serviços idênticos
  73. 73. Eras da Qualidade  Era da Inspeção  Observação direta do produto ou serviço pelo fornecedor ou consumidor Produtos e serviços inspecionados um a um ou aleatoriamente Início do século XX, as empresas substituíram o supervisor de produção, como agente do controle de qualidade, pelo inspetor de qualidade, totalmente desvinculado hierarquicamente e funcionalmente do supervisor para que o seu julgamento fosse independente
  74. 74. Eras da Qualidade  Era da Inspeção – Início Século XX  Posteriormente foram criados departamentos de controle de qualidade desvinculados dos departamentos de produção. Sempre haverá a inspeção enquanto existir os mercados em que o cliente relaciona-se diretamente com o produtor
  75. 75. Eras da Qualidade  Era do Controle Estatístico – Anos 30 Ascensão da grande empresa e da produção em massa torna-se impossível inspecionar todos os produtos Surge o controle estatístico da qualidade baseado na amostragem, tendo como pioneiro Shewhart Surgimento de um departamento de Controle de Qualidade nas organizações, cuja atribuição era de assessorar a implantação de programas da qualidade
  76. 76. Eras da Qualidade  Era da Qualidade Total – Anos 70 e 80 O elemento do fundamental do TQC era o cliente. Esse era o ponto de partida, ou seja o parâmetro de Qualidade era estabelecida por ele e não por engenheiros e pesquisadores A Qualidade deixa de ser um atributo do produto ou serviço, assim como de responsabilidade exclusiva do departamento de Controle de Qualidade. A Qualidade exige visão sistêmica, envolvendo pessoas, processos e máquinas. Isso nos mostra a idéia de um SISTEMA DA QUALIDADE
  77. 77. Principais Contribuições dos Autores SHEWART,DODGE E ROMIG  Cartas de Controle de Qualidade Controle Estatístico da Qualidade e Controle Estatístico do Processo  Técnicas de Amostragem
  78. 78. Principais Contribuições dos Autores FEIGENBAUM  Departamento de Controle de Qualidade Sistema de Qualidade Qualidade Total
  79. 79. Principais Contribuições dos Autores DEMING  14 Princípios de Deming Ciclo PDCA JURAN  Trilogia (Planejamento, Controle e aprimoramento) ISHIKAWA  Qualidade Total Círculos de Controle da Qualidade
  80. 80. Ferramentas e Técnicas da Qualidade Mapeamento do Processo Utilização do fluxograma para descrever e mapear as diversas etapas de um processo, ordenando-as em uma sequência lógica Objetivos: Identificar tempo, produtividade, confiabilidade ou capacidade de um processo (otimizar) Identificar gargalos ou tarefas sem valor (eliminação de tarefas) Identificar erros (eliminar erros)
  81. 81. Ferramentas e Técnicas da Qualidade Diagrama de Pareto Gráfico de barras verticais que permite determinar quais problemas resolver e quais as prioridades. Explicitam os problemas prioritário de um processo, através da relação 2080. 20% das causas explicam 80% dos problemas. É largamente utilizado em todos os níveis operacionais e constitui-se como importante instrumento de análise, planejamento e implementação de melhorias aos processos.
  82. 82. Ferramentas e Técnicas da Qualidade Diagrama de Causa e Efeito – Espinha de Peixe de Ishikawa Visa estabelecer uma relação entre o efeito e todas as causas de um processo Normalmente é realizada através de brainstorming ou outras técnicas que envolvam equipes de trabalho
  83. 83. Programas e Métodos para a Melhoria da Qualidade Programa 5S Origem Japonesa nos anos 50 Um processo de reeducação das pessoas, a partir da otimização da utilização, ordem, limpeza, saúde e disciplinas
  84. 84. Programas e Métodos para a Melhoria da Qualidade Reengenharia de Processos Um conceito bastante associado ao de mudança de paradigmas Palavras mágicas: Fundamental, radical, drástica e processo PERIGOS: Desconsiderar os processos históricos, culturais e comportamentais nas organizações Usar de forma inadequada ou inoportuna Desperdiçar muito tempo na análise o que pode inibir a mudança Não testar e analisar as consequências da mudança
  85. 85. Programas e Métodos para a Melhoria da Qualidade Just In Time Programa que inicialmente foi considerado de controle de estoque Atualmente é considerado um conjunto de técnicas e atividades que buscam redefinir o conceito de fluxo de produção. Objetivando: Reduzir o tempo de produção Reagir rapidamente às mudanças Minimizar a utilização de capital com estoques Identificar em tempo real problemas na produção Diminuir custos de produção
  86. 86. Programas e Métodos para a Melhoria da Qualidade Just In Time Tem como principal filosofia, a eliminação do desperdício através da regulação do fluxo de produção, do comprometimento dos funcionários e da consequente melhoria da qualidade
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×